Kim A. O'Connell

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE AUTOR

KieranTimberlake está usando realidade virtual para projetar uma casa em Marte

Este artigo foi originalmente publicado por Autodesk's Redshift como "Life on Mars? Architects Lead the Way to Designing for Mars With Virtual Reality."

Se um escritório de arquitetura tiver sorte, ele pode atingir dois coelhos numa cajadada só em um único projeto - por exemplo, priorizando tanto a preservação histórica como a eficiência energética. Mas uma equipe da KieranTimberlake, com sede na Filadélfia, está buscando quatro objetivos ambiciosos com seu projeto Mars City Facility Ops Challenge.

Os arquitetos Fátima Olivieri, Efrie Friedlander e Rolando Lopez fizeram uma parceria com o Instituto Nacional de Ciências da Construção (NIBS), a NASA e o Total Learning Research Institute (TLRI) para criar uma cidade operária virtual em Marte - uma proposta que pode gerar recompensas múltiplas.

Quatro dicas para começar a usar realidade virtual na arquitetura

Este artigo foi publicado originalmente no site da Autodesk .

Você está caminhando por uma elegante residência, admirando as grandes janelas da sala, as pinturas na parede e a cozinha espaçosa. Luminárias pendentes moldam um brilho suave, o piso de pedra brilha sob seus pés, os móveis são convidativos. Então, você tira os óculos de realidade virtual e retoma sua reunião.

Esse cenário está se tornando cada vez mais comum à medida que mais arquitetos incorporam a realidade virtual (VR) em suas atividades. Junto com seus primos - realidade aumentada (AR) e realidade mista (MR) - a realidade virtual permite que os projetistas aumentem as possibilidades de visualização, dando a colegas e clientes novas maneiras de experimentar e entender um edifício ou um espaço muito antes dele realmente ser construído. Com a VR, os arquitetos podem transmitir não apenas como um edifício será, mas também como ele será experenciado.

Como o Minecraft está inspirando a próxima geração de jovens arquitetos

Para muitos arquitetos, uma obsessão com o projeto vem desde uma idade muito jovem - muitas vezes, uma carreira de arquitetura começa com brinquedos como blocos de madeira ou o clássico LEGO. Nos últimos anos, porém, um novo concorrente surgiu para inspirar mentes arquitetônicas jovens: Minecraft. Neste artigo, originalmente publicado em Autodesk's Line//Shape//Space como "Minecraft Architecture: What Architects Can Learn From a Video Game,", Kim A O'Connell analisa a influência crescente do Minecraft no desenho e educação arquitetônica, incluindo a crescente presença da equipe global da "Blockworks".

Desde que estourou no cenário dos jogos em 2009, Minecraft tornou-se um dos jogos mais populares do mundo, tanto que a Microsoft comprou o jogo e a companhia que o produzia por uma quantia de $ 2,5 milhões, em 2014.

Hoje, a plataforma de construção também tem atraído a atenção de arquitetos e designers. Poderia um jogo de computador realmente mudar a forma como a arquitetura é ensinada e praticada?

Construído como entrada para o Planeta Minecraft para a competição “Revolução Industrial ”, a equipe BlockWorks foi capaz de mostrar o seu processo de trabalho sob a forma de uma compilação Minecraft . Imagem Cortesia de BlockWorksConstruído como entrada para o Planeta Minecraft para “Underwater Wonderland Contest,” o Faberzhe Palace mistura de fantasia e estilos arquitetônicos eslavos . Imagem Cortesia de BlockWorksCompetição com o tema Terra-do-Nunca. Imagem Cortesia de BlockWorks.Questionado pelo jornal The Guardian “para construir uma visão moderna da vida urbana em uma cidade limpa e sustentável em Minecraft, "Blockworks criou Climate Hope City utilizando tecnologias e protótipos verdes existentes para um projeto sustentável. Imagem Cortesia de BlockWorks.+ 6