Casa Coopworth / FMD Architects

Casa Coopworth / FMD Architects

© Dianna Snape© Dianna Snape© Dianna Snape© Dianna Snape+ 27

  • Arquitetos: FMD Architects
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  263
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2020
  • Fotógrafo Fotografias:  Dianna Snape
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Lysaught, Robertson Building Products, Timberwood Panels
  • Equipe De Projeto:Fiona Dunin, Jayme Collins, Alice Edwards, Robert Kolak, Fady Ghabbour, Oscar Eltringham-Smith
Mais informaçõesMenos informações
© Dianna Snape
© Dianna Snape

Descrição enviada pela equipe de projeto. Situado nos arredores rurais da Ilha Bruny, Tasmânia, Coopworth é uma interpretação contemporânea de uma casa de fazenda no campo. As ovelhas Coopworth do local, as amplas vistas para a água e as cadeias de montanhas além, bem como os volumes vermelhos pontilhados sobre a ilha fornecem uma paisagem em constante mudança com a qual a casa dialoga.

© Dianna Snape
© Dianna Snape
Planta - Térreo
Planta - Térreo
© Dianna Snape
© Dianna Snape

O impacto da casa é conscientemente limitado para maximizar a terra arável, mas mantém a generosidade em sua disposição interna cuidadosa. Internamente, o contraste de volumes elevados e espaços confortáveis é acentuado por uma paleta de revestimentos de madeira compensada e pisos de concreto, atraindo o foco para um teto forrado com lã Coopworth da propriedade. Selada com uma chapa ondulada de policarbonato transparente, a lã aumenta o desempenho térmico, ao mesmo tempo em que celebra as conexões agrícolas como um afresco abstrato feito de lã.

© Dianna Snape
© Dianna Snape

A fachada norte estabelece um ritmo de nichos de janelas, capturando a vista. As janelas sem moldura são posicionadas nas extremidades para abrigar de ventos e chuvas - ao mesmo tempo imersas na beleza e brutalidade do clima, porém, bem protegidas dele.

© Dianna Snape
© Dianna Snape

Na fachada oeste, a ubíqua chaminé vista nas edificações históricas é reinventada como uma banheira submersa, conectando assim o usuário à paisagem circundante com as ovelhas e baía mais além.

© Dianna Snape
© Dianna Snape

Embora projetada para acomodar dois ocupantes principais, a casa pode ser aberta para a família anfitriã e amigos por meio de interpretações criativas de dormitórios australianos criados na varanda e beliches. Os vãos das janelas são delimitados por canteiros rebaixados, um arranjo semelhante a um acampamento que nutre conexões familiares. Um mezanino em formato de sótão serve como espaço de estudo e quarto de hóspedes, enquanto uma cama adicional forrada de compensado é discretamente integrada entre uma parede de marcenaria. Detalhes sob medida, incluindo um suporte de lenha de aço dobrado e acessórios de banheiro revestidos em couro, adicionam mais textura ao interior.

© Dianna Snape
© Dianna Snape
Planta - Primeiro Pavimento
Planta - Primeiro Pavimento
© Dianna Snape
© Dianna Snape

A casa trata de acessibilidade, longevidade e sustentabilidade. As valas no solo eliminam as calhas do telhado, enquanto todas as entradas da cobertura, exceto uma, são removidas, mitigando vazamentos e riscos de incêndio. Espaços compactos que podem ser fechados quando não estão em uso reduzem significativamente as demandas de aquecimento e resfriamento. O calor e a radiação ultravioleta são absorvidos pelo "beiral interno" das espreguiçadeiras no pico do verão, enquanto pisos de concreto, tetos forrados de lã, painéis de ventilação operáveis e ventiladores de teto efetivamente moderam as temperaturas.

© Dianna Snape
© Dianna Snape

Um grande painel solar e tanques de água nos galpões agrícolas próximos fornecem água e energia autossustentáveis, enquanto um fogão à lenha eficiente e de combustão lenta é a principal fonte de aquecimento. Os espaços são projetados para acesso universal, levando em consideração a família com deficiência e as necessidades futuras potenciais do casal.

Elevações
Elevações

A construção leve da casa facilitou o transporte de materiais de construção para o local remoto, enquanto o comércio local foi convocado para reduzir as viagens e construir laços com a comunidade. Produtos naturais e de origem local foram favorecidos, incluindo madeira compensada e madeira reciclada. Móveis e iluminação LED foram projetados e feitos localmente. Esculturas de madeira carbonizadas pelo artista local, Robby Wirramanda, fornecem uma adição cativante, específica do local, protegendo o campo séptico de máquinas agrícolas, reiterando o equilíbrio entre o pragmático e o poético na paisagem.

© Dianna Snape
© Dianna Snape

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos
Sobre este escritório
Cita: "Casa Coopworth / FMD Architects" [Coopworth House / FMD Architects] 19 Mai 2021. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/961940/casa-coopworth-fmd-architects> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.