Casa Sombra / Ayutt and Associates design

Casa Sombra / Ayutt and Associates design

© Chalermwat Wongchompoo© Chalermwat Wongchompoo© Chalermwat Wongchompoo© Chalermwat Wongchompoo+ 50

  • Arquitetos Responsáveis:Ayutt Mahasom, Suvatthana Sattabannasuk, Napatgarn Limwanuspong
  • Equipe De Projeto:Ayutt and Associates design (AAd)
  • Design De Interiores:Ayutt and Associates design (AAd)
  • Paisagismo:Ayutt and Associates design (AAd)
  • Iluminação:Ayutt and Associates design (AAd)
Mais informaçõesMenos informações
© Chalermwat Wongchompoo
© Chalermwat Wongchompoo

O papel da habitação e seu ecossistema individual - Vivendo em meio à população urbana em rápido crescimento e arranha-céus em Bangkok, surge uma questão fundamental: como podemos nos ajustar para viver em paz e privacidade neste ambiente em rápida mudança? Como evitar a perda na acessibilidade aos espaços verdes que as megacidades nos proporcionam? O conhecido estúdio de arquitetura Ayutt and Associates Design (AAd), com sede em Bangkok, propõe uma solução de projeto alternativa para mitigar este problema de habitação urbana com a criação da Casa Sombra, uma residência autossustentável, implantada com um ecossistema natural individual que planeja se tornar parte de uma ecologia urbana maior e uma solução para a próxima geração de moradias. AAd foca no problema diminuindo o papel da casa aumentando a importância do ambiente natural como o principal protagonista do projeto.

© Chalermwat Wongchompoo
© Chalermwat Wongchompoo
Planta - Térreo
Planta - Térreo
© Chalermwat Wongchompoo
© Chalermwat Wongchompoo
© Chalermwat Wongchompoo
© Chalermwat Wongchompoo

No início, a casa, de propriedade de um casal amante da natureza, foi planejada para ser uma residência particular de dois andares. Isso espalharia suas funções por quase todo o terreno. No entanto, com um plano para criar o menor impacto possível, a casa passa a ter três andares com as vagas de estacionamento colocadas separadamente na frente. Esta nova estratégia ajuda a aumentar os metros quadrados de área verde para 60% mais, o que é o dobro do requisito mínimo dos regulamentos de área verde em Bangkok. Junto com a adição de pequenos jardins em cada canto da casa e um telhado verde, o espaço verde total da casa aumenta para 90%. Quando a vegetação estiver totalmente crescida e cobrir todas as elevações da casa, a área verde será até 150% maior do que o local inicial. Consequentemente, irá cumprir uma intenção original dos proprietários e dos arquitetos: maximizar os sentidos de percepção do cenário natural no local, estabelecendo uma comunicação vitalícia entre os habitantes e a natureza circundante, o que resulta na sombra crescente da casa. .

© Chalermwat Wongchompoo
© Chalermwat Wongchompoo

Detalhe de projeto ao reduzir o impacto ambiental da edificação: O plano inicial dos arquitetos era colocar uma piscina no segundo andar, junto com o espaço de convivência da família, para deixar a área mais aberta no térreo para o paisagismo mantendo a privacidade dos proprietários. Isso cria uma nova experiência sensorial de aconchego na piscina infinita entre as nuvens de folhas das árvores, criando uma conexão visual com o céu. É possível desfrutar do verde e do céu azul enquanto se mergulha na piscina. Além disso, a equipe de projeto da AAd propôs um tipo diferente de disposição em que cada andar funcionaria completamente dentro de si. Cada unidade habitável está equipada com todas as funções necessárias, tais como banheiro, cozinha e despensa, jardim e terraço.

© Chalermwat Wongchompoo
© Chalermwat Wongchompoo

O primeiro nível foi designado para ser uma unidade de hóspedes "casa com jardim". Os visitantes podem optar por acessar esta suíte de hóspedes passando pelo hall principal ou entrando na unidade imediatamente por uma porta lateral, localizada ao lado da cachoeira. Os espaços habitacionais restantes que necessitam de mais privacidade e segurança, reservados apenas aos proprietários da casa, estão localizados nos pavimentos superiores. A suíte "casa com piscina" do segundo andar foi projetada para se aninhar entre as árvores. Suas janelas do chão ao teto enquadram a paisagem: uma vegetação escultural e a piscina. A unidade do terceiro andar, que se eleva acima da copa das árvores, tem vista para a paisagem do Aeroporto de Suvarnabhumi.

© Chalermwat Wongchompoo
© Chalermwat Wongchompoo
Plant
Plant
© Chalermwat Wongchompoo
© Chalermwat Wongchompoo

Outra função: fachada perfurada (imitando folhas de árvore) e controle de temperatura: ao colocar todos os ambientes nos andares superiores, os cômodos funcionam como uma casa na árvore. As folhas das árvores e arbustos não só fornecem um refresco florescente para os residentes, mas também servem como um amortecedores naturais, protegendo a casa dos olhos de estranhos. As fachadas da sala ainda mantêm o design da AAd: aproveitando o vão e os painéis de alumínio perfurado para evitar o aquecimento da casa, além de permitir a passagem da luz solar e a ventilação do ar. Ao medir a temperatura durante a temporada de verão, esses painéis ajudam a resfriar de 39 graus Celsius em ambientes externos a 26 graus em ambientes internos.

© Chalermwat Wongchompoo
© Chalermwat Wongchompoo

O padrão gráfico dos orifícios das fachadas apresenta um desenho criativo que imita as folhas das árvores. Durante o dia, quando a luz do sol incide sobre os ambientes, surge o mesmo efeito de maneira semelhante a sentar-se sob uma árvore e absorver a luz do sol que brilha através das camadas de folhas. Os tamanhos dos furos também são determinados de acordo com o uso da função interna. Por exemplo, os orifícios nas fachadas da sala de estar são maiores no nível dos pés e no nível dos assentos do sofá, enquanto os orifícios dentro do quarto são menores para garantir a privacidade. À noite, quando a luz interna passar por esses orifícios, a casa se tornará uma lanterna que marcará o caminho de volta. No entanto, com o design cuidadoso da AAd, desde fora não será possível ver o que está dentro devido ao nível desses orifícios perfurados. 26 graus no interior da casa.

© Chalermwat Wongchompoo
© Chalermwat Wongchompoo

Estruturas de aço e o crescimento das árvores / santuário e luz + sombra + sombra: Um dos elementos mais marcantes desta casa são as finas hastes de aço brancas fixadas como uma estrutura escultural rígida. Elas formam volumes geométricos que criam uma ligação imediata dos degraus da escada de entrada ao hall principal da casa. Este detalhe escultural não apenas envolve um terraço ao ar livre, mas também enquadra um ponto focal e torna o caminho mais intuitivo e evocativo de aventura. Uma série de vazios e aberturas, criados pelo quadro branco contínuo, atraem os visitantes para a frente. Conforme se aproxima da porta frontal, um lago de lótus parece unir-se ao olhar, revelando outro conjunto de estruturas rígidas que se encontram entre o lago. À medida que os hóspedes se movem pela propriedade, são recebidos com vistas inesperadas da paisagem, que começam a se revelar durante o percurso pela casa. Além de usar essa estrutura rígida para proteger a casa contra invasões, ela tem o objetivo de bloquear a visão de estranhos. Devido à técnica de projeto das sobreposições, as hastes de aço brancas criam uma ilusão que faz com que a moldura pareça mais densa do que realmente é. O arquiteto tende a usar essas estruturas rígidas para colocar diferentes tipos de materiais de parede. Algumas envolvem as paredes sólidas, outras abraçam a parte opaca e outras envolvem as janelas de vidro transparente; tudo isso cria diferentes visões dinâmicas em toda a casa.

© Chalermwat Wongchompoo
© Chalermwat Wongchompoo
Elevações Leste e Norte
Elevações Leste e Norte
© Chalermwat Wongchompoo
© Chalermwat Wongchompoo

Como um dos proprietários da casa é psicólogo e precisa de um espaço para meditar, o arquiteto resolve colocar o "pavilhão do Buda" entre o jardim, no meio do terreno, maximizando os benefícios de estar rodeado pela natureza. Na cultura tailandesa em geral, os arquitetos sempre usam o espaço excedente da casa para criar um santuário e tendem a negligenciar que o espaço seja respirável. Portanto, ao converter o santuário budista em um pavilhão no jardim e envolvê-lo com painéis de vidro transparente, é possibilitado o uso do espaço para outras funções, enquanto mantém uma atmosfera pacífica. O pavilhão também é coberto por hastes de aço rígido, que criam um efeito de moldura de espelho, tornando as elevações dos quartos opacas, mal dá para ver o que está dentro. No final das contas, o cliente e os arquitetos esperam que a hera se espalhe pelas molduras rígidas como uma camada adicional, o que lentamente tornará o pavilhão completamente verde.

© Chalermwat Wongchompoo
© Chalermwat Wongchompoo

Consequências da casa e da paisagem: Uma vez que a criação de um ecossistema é o conceito principal do projeto da Casa Sombra, a AAd planeja projetar uma consequência da experiência espacial integrando vários tipos de paisagem ao redor da casa. Ao olhar para a casa desde fora, não será possível ver nada além de ouvir o som relaxante da cachoeira. Conforme se aproxima da casa, as molduras rígidas começam a revelar a localização do pavilhão budista e do lago de lótus, depois revelam a cachoeira que abraça a habitações dos hóspedes do primeiro andar no canto da casa. Se entrar na casa pelo estacionamento, será possível ver um jardim em camadas, mais formal, que é o terraço onde será plantado arroz quando a temporada chegar. No segundo andar, o planejamento paisagístico torna-se menos formal e mais minimalista, com destaque para o espelho d'água e uma jasmim manga entre as nuvens de árvores. Os espaços vegetados do terceiro andar, que são designados para pequenos jardins, são compactos o suficiente para não bloquear a vista da bela paisagem externa; e terraço finaliza com um pomar de frutas. Com este projeto, a equipe interpreta a casa de forma semelhante à uma tela em branco onde os proprietários podem começar a criar a sua própria pintura, plantando árvores e flores coloridas. Com o passar do tempo, o verde vai avançando sobre o fundo branco, atendendo à expectativa de que os arquitetos querem que a família envelheça com calma e naturalidade à medida que as árvores vão crescendo junto com a casa.

© Chalermwat Wongchompoo
© Chalermwat Wongchompoo

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos
Sobre este escritório
Cita: "Casa Sombra / Ayutt and Associates design" [Shade House / Ayutt and Associates design] 18 Fev 2021. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/957063/casa-sombra-ayutt-and-associates-design> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.