Habitação Culver City / Woods + Dangaran

Habitação Culver City / Woods + Dangaran

© Francis Dreis© Francis Dreis© Francis Dreis© Francis Dreis+ 20

Culver City, Estados Unidos
  • Arquitetos: Woods + Dangaran
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  4030 ft²
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018
  • Fotógrafo Fotografias:  Francis Dreis
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Herman Miller, Allied Maker, Ann Sacks, AutoDesk, Badeloft, Bega, Caesarstone, California Faucets, Carl Hansen and Son, Christopher Allen, DWR, Dal Tile, Harbour Outdoor, Heath Ceramics, Lambert & fils, Madera Hardwood Flooring, Miele, Nelson, Paloform, Quartzite, +10
  • Arquitetos:Joseph Dangaran
  • Clientes:Joseph and Sapna Dangaran
  • Engenharia:John Labib & Associates
  • Paisagismo:Chris Sosa
  • Cidade:Culver City
Mais informaçõesMenos informações
© Francis Dreis
© Francis Dreis

Descrição enviada pela equipe de projeto. A casa é minimalista em sua volumetria e modesta em materialidade. Entretanto, responde a um desafio complexo; fornecer luz natural, utilizar a brisa circundante e criar espaços ao ar livre atraentes que mantêm um alto nível de experiências em casa, bem como um nível confortável de privacidade - tudo em um lote suburbano de tamanho padrão.

Planta - Primeiro Pavimento
Planta - Primeiro Pavimento

A casa em si atua como um estudo de caso de habitação do século XXI - um protótipo para explorar o potencial do design de casas personalizadas nos subúrbios de Los Angeles. Instalada em um terreno de 15m x 3m, a casa de 1.097 m² contém cinco quartos e três banheiros; com térreo composto por cozinha, sala de jantar e salas de estar em planta livre com garagem individual.

© Francis Dreis
© Francis Dreis

A planta foca na fluidez dos espaços interiores e exteriores, mantendo a privacidade da rua e das propriedades vizinhas. Da mesma forma, os materiais e tecnologias de construção usados ​​foram cuidadosamente escolhidos. A ampla utilização da laje da fundação garantiu uma ligação contínua entre interior / exterior através de duas portas de correr exteriores no eixo leste-oeste e de uma porta de correr que conecta o ambiente principal ao pátio exterior.

© Francis Dreis
© Francis Dreis

A relação da edificação com o local é evidente na orientação solar. Ao colocar portas de correr com acabamento em vidro, claraboias e janelas nos corredores principais, a casa não depende de iluminação artificial durante o dia. O átrio de dois andares serve como poço de luz para a sala de estar, entrada dos fundos e sala principal, proporcionando iluminação que se difunde pelos espaços. Em vez de maximizar o número de aberturas, as janelas foram ampliadas para permitir um maior isolamento nas paredes exteriores. As elevações leste e oeste foram protegidas com balanços.

© Francis Dreis
© Francis Dreis

Para o exterior da casa, foram escolhidos tons naturais para complementar o contexto e suavizá-lo ainda mais com as árvores do entorno. Sua fachada principal mostra como o segundo nível se afasta, gerando um recuo do pátio frontal que permitiu respeitar a escala do bairro.

© Francis Dreis
© Francis Dreis

Em relação ao volume da casa, as dimensões foram calculadas de forma a maximizar a eficiência, reduzir custos e desperdícios. Os ambientes foram criados com dimensões adequadas para eliminar a necessidade de colunas e vigas de aço. As alturas do teto foram fixadas em 2,74 m de forma a utilizar um comprimento padrão de madeira de 3 m com o mínimo de desperdício, enquadrando todas as paredes externas com madeira de 0,61 m x 1,82 m para aumentar o nível de isolamento.

© Francis Dreis
© Francis Dreis

Enquanto o design moderno aborda formalmente o desafio de construir de forma sensata em uma comunidade em evolução que contém casas originais da década de 1930, também busca uma preocupação mais humanística: fornecer um santuário. Uma forma de conseguir isso é conectando-se visual e fisicamente com a natureza, criando espaços interiores serenos, confortáveis ​​e privados. Cada espaço da casa tem uma vista emoldurada ou acesso ao exterior. Definido pela sala e pelo quarto principal, o átrio central de dois andares exibe um pinheiro de 30 anos como uma escultura natural. A bancada se abre para o pátio da frente, que contém texturas de ervas e oliveiras, contrastando com o pátio dos fundos, de um gramado liso.

© Francis Dreis
© Francis Dreis

O projeto atinge um efeito relaxante através da sequência de espaços que mudam de escala, criando experiências simultâneas de abertura e intimidade; ambas qualidades essenciais para criar um santuário. Seus cantos, nichos e pequenos espaços de lazer são cuidadosamente refletidos na planta, como um plano aberto. Mesmo o chuveiro do dormitório principal tem uma dicotomia espacial poderosa: a altura permite criar um espaço fechado, iluminado por meio de um poço de luz que se abre ao espaço estreito.

© Francis Dreis
© Francis Dreis

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos
Sobre este escritório
Cita: "Habitação Culver City / Woods + Dangaran" [Culver City Case Study House / Woods + Dangaran] 17 Fev 2021. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/956853/habitacao-culver-city-woods-plus-dangaran> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.