Centro de Habitação Coletiva Rigot / acau architecture

Centro de Habitação Coletiva Rigot / acau architecture

© Marcel Kultscher© Enric Rovira Ferrer© Marcel Kultscher© Marcel Kultscher+ 24

  • Arquitetos: acau architecture
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  7070
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2019
  • Fotógrafo Fotografias:  Marcel Kultscher, Enric Rovira Ferrer
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Hunter Douglas, Docol, Arquivo Contemporâneo, AutoDesk, Bontempo Brasília, Carminati tapetes, Danilo Vale, Deca, Decortiles, Divino Galeria, Estilo em Pedras, Hunter Douglas, Líder Interiores, Sallva
  • Equipe De Projeto:Antoine Dellenbach, Darius Golchan, Enric Rovira Ferrer, Liliana Franco Teixeira
  • Cliente:Hospice général – Service immobilier, 1227 Les Acacias
  • Gestão De Construção:Entreprise Générale SA, JPF Construction SA, 1630 Bulle
  • Arquiteto De Execução:Pasquier Glasson sa, Bulle
  • Engenheiro Civil:T-ingéniérie, Geneva
  • Engenheiro De Execução Civil:Thomas Jundt SA, Geneva
  • Combate A Incêndio:Bois Initial SA, 1110 Morges
  • Engenheiro De Segurança E Combate A Incêndio:Charpente Concept SA, 1258 Perly-Certoux
  • Engenheiro De Execução Em Madeira:JPF-DUCRET SA, 1400 Yverdon-les-Bains
  • Esquadrias:JPF-Ducret (VD, FR), Dasta (GE), Casaï (GE)
  • Serralheria:Epicéa : Despond SA Bulle (FR) et Zahnd SA Rueyres (VD)
  • Carvalho:Burgat Saint Aubin (NE) et Corbat (JU)
  • Madeira:COBS (parois des modules, plafonds et ossatures, ainsi que pour le chêne des revêtements de façade et coursives)
  • Cidade:Genève
  • País:Suíça
Mais informaçõesMenos informações
© Marcel Kultscher
© Marcel Kultscher

Descrição enviada pela equipe de projeto. O projeto localiza-se no parque Rigot, em Genebra, ao longo da Avenue de France e ao lado da Escola Sismondi. A escolha desta localização foi impulsionada pela necessidade urgente de acomodar temporariamente 370 imigrantes. Os dois edifícios simétricos de 5 pavimentos são constituídos por 230 módulos pré-fabricados em madeira. O acesso aos apartamentos é feito através de uma galeria aberta sobre o espaço público central, que conecta a paragem do eléctrico Sismondi ao parque Rigot. Através de seu processo construtivo, o projeto visa limitar o seu impacto ambiental a várias escalas. Os edifícios serão desmontados e realocados num período de dez anos e o local restituído ao seu estado inicial. Tendo em conta esta realozação e a reciclagem dos materiais após a intervenção, as fundações são feitas em madeira, de maneira a poderem ser reaproveitadas, através de uma rede de estacas e sapatas em madeira que reduz o impacto do projeto no solo. Esta construção totalmente “seca” evita qualquer contaminação da rede de águas durante a construção.

© Marcel Kultscher
© Marcel Kultscher

O projeto antecipa as especificidades de uma população que não apresenta sistematicamente o perfil familiar típico de um casal heteroparental com dois filhos. Para responder ao aumento e à diminuição da procura e às mudanças de residentes, o projeto propõe tipologias evolutivas. O sistema modular permite que, através de um só módulo se possam variar as unidades habitacionais de 1 a 6 quartos através de um jogo de portas corta-fogo e de uma cozinha que permite facilmente a conversão do espaço em quarto. 

© Enric Rovira Ferrer
© Enric Rovira Ferrer
Planta
Planta
© Marcel Kultscher
© Marcel Kultscher

A modularidade dos apartamentos e a flexibilidade das tipologias permite também que o edifício possa ser convertido e albergar outros programas, como um hotel ou moradia estudantil. Para além disso, após a sua desmontagem e montagem em outro local, o carácter modular do projeto não restringe a forma e volumetria futuras, podendo-se imaginar ser reconstruído um ou vários edifícios com diferentes volumetrias. A pré-fabricação e a entrega dos módulos acabados foi decisiva para a calendarização da obra. Esta organização que planeia três estaleiros de obras em paralelo (fundações / pré-fabricação dos módulos / montagem e acabamento) permitiu que o projeto tenha sido executado num curto espaço de tempo.

© Marcel Kultscher
© Marcel Kultscher

A utilização de madeira das florestas de Genebra para as fundações e para os revestimentos de fachada foi imposta desde o inicio, o que levou a um processo que envolveu os fabricantes locais de madeira, reduzindo assim a “energia cinza”. Estima-se a utilização de 3200m³ de madeira certificada “Label Bois Suisse” (antiga COBS), com exceção das esquadrias em madeira de lariço estruturais que consolidam a fachada. A ideia que o edifício revelasse a estrutura de madeira foi uma premissa, numa afirmação sobre uma estética racional que reflete a essência do projeto. A composição da fachada foi modelada a partir de uma só dimensão de tábuas. Estas tábuas todas iguais, de madeira bruta sem tratamento, são utilizadas como revestimento de fachada e também nas galerias.

© Enric Rovira Ferrer
© Enric Rovira Ferrer

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Avenue de France 36, 1202 Genève, Suíça

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Centro de Habitação Coletiva Rigot / acau architecture" [Rigot Collective Dwelling Centre / acau architecture] 26 Ago 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/946030/centro-de-habitacao-coletiva-rigot-acau-architecture> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.