Apartamento Caixa Mágica / Raúl Sánchez Architects

Apartamento Caixa Mágica / Raúl Sánchez Architects

© José Hevia© José Hevia© José Hevia© José Hevia+ 25

Viladecans, Espanha
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  110
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2020
  • Fotógrafo Fotografias:  José Hevia
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Cosentino, Dekton, FRANKE, ICONICO, Roca, Smeg, VitrA, nanimarquina
  • Arquitetos Responsáveis:Albert Montilla, Valentina Barberio
  • Engenharia:Marés ingenieros
  • Estruturas:Diagonal Arquitectura
  • Mobiliário:VITRA
  • Construtora:Ubicaciones y Espacios
  • Tapetes :NANI MARQUINA
  • Cidade:Viladecans
  • País:Espanha
Mais informaçõesMenos informações
© José Hevia
© José Hevia

Descrição enviada pela equipe de projeto. Em uma antiga residência de dois pavimentos localizada no centro de Viladecans, um município industrial situado em Barcelona, um casal e suas duas filhas decidiram que a área térrea deveria ser reformada. Anteriormente ocupado pelos avós, o novo térreo deveria se tornar sua moradia, enquanto os pais continuariam vivendo no nível superior. O acesso desde a rua é comum, e a intervenção começa dentro do hall de entrada.

© José Hevia
© José Hevia
Planta
Planta
© José Hevia
© José Hevia

A casa, localizada em um terreno de esquina, se caracteriza por uma parede estrutural que a percorre longitudinalmente e que cria dois elementos bem diferenciados em cada lado. Desde o início, decidiu-se não intervir sobre a estrutura, por isso, esta parede se converteu na espinha dorsal da nova proposta, a qual foi complementada pela retirada das divisórias interiores. Dessa maneira, a partir da entrada, abre-se uma sala espaçosa, composta por uma série de planos, anunciando desde o acesso que se trata de uma nova linguagem da qual fazem parte grandes aberturas nas áreas superiores, permitindo a entrada de luz. Em seguida, um espaço comum com cozinha e sala de jantar se conecta ao jardim externo, com vegetação abundante, conectado, por sua vez, ao interior por um banco longitudinal que desliza até a janela (ampliada em relação ao tamanho original). A janela em si foi posicionada na face externa da fachada, para que não seja visível do interior, criando a sensação de estar em contato direto com o exterior.

© José Hevia
© José Hevia

No outro lado da parede estrutural, é desenvolvido um conjunto de salas que se comunicam diretamente com a área de acesso e a sala de jantar e cozinha, mas que também se comunicam entre si através de diversos corredores, o que aumenta a experiência espacial e a complexidade interior da casa, pois sempre existem duas maneiras de chegar ao mesmo local. Existem quatro ambientes (três dormitórios e uma sala de estar) e três espaços de serviço entre eles. Os dois quartos menores, para as meninas, são na verdade o mesmo espaço. Em seu centro está localizada a "caixa mágica": um volume abstrato, como uma caixa de joias, uma caixa surpresa, feita em metal dourado, que envolve os guarda-roupas, mas também uma passagem secreta entre os dois quartos. Essa "caixa mágica" tem uma altura de 2,10m (o pé-direito do ambiente é de 3,50m) e pode ser escalada até seu topo, tornando-se um lugar distinto para as meninas se divertirem. A exigência de projetar um espaço especial para elas esteve presente desde o primeiro momento, portanto, ele próprio nomeia o projeto.

© José Hevia
© José Hevia
© José Hevia
© José Hevia
© José Hevia
© José Hevia

A estratégia material é simples, porém incide nas sutis mudanças espaciais do projeto: o piso dos dormitórios é feito em madeira, porém, muda de direção de um lado a outro da parede; nos espaços de serviço (banheiros e corredores entre os cômodos), o piso é alterado para microcimento branco, marcando a transição entre os espaços que representam estas áreas; o metal pretende assumir o papel especial de um objeto precioso, porém, misterioso. Vergas e batentes são revestidos de aço inoxidável para marcar a entrada dos espaços que, apesar de estarem abertos entre si, mudam de função (o corredor entre o hall de entrada e a cozinha e entre a cozinha e a sala). Por último, foram levadas a cabo diversas intervenções que utilizaram a cor, as quais procuraram destacar, de maneira sutil, a transição entre os espaços, alinhando as marcações coloridas com a prolongação dos eixos, alguns visíveis (alinhados à elementos construídos) e outros invisíveis (correspondendo à elementos do processo de projeto).

© José Hevia
© José Hevia
© José Hevia
© José Hevia

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos
Sobre este escritório
Cita: "Apartamento Caixa Mágica / Raúl Sánchez Architects" [Apartamento La caja mágica / Raúl Sánchez Architects] 02 Ago 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/944741/apartamento-caixa-magica-raul-sanchez-architects> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.