Centro de Experiência Cottonwood Canyon/ SIGNAL | Architecture + Research

Centro de Experiência Cottonwood Canyon/ SIGNAL | Architecture + Research

© Gabe Border© Gabe Border© Gabe Border© Gabe Border+ 18

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  1
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2019
  • Fotógrafo Fotografias:  Gabe Border
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Blaze King, Clopay, Juniper Design, Richards Wilcox, Taylor Metal Products
  • Arquiteto Responsável :Mark Johnson
  • Cliente:Parques Estaduais de Oregon
  • Engenharia:Lund | Opsahl
  • Paisagismo:Walker | Macy
  • Energia Solar:Sunbridge Solar
  • Empreiteiro Responsável:Tapani Construction
  • Cidade:Wasco
Mais informaçõesMenos informações
© Gabe Border
© Gabe Border

Descrição enviada pela equipe de projeto. Essa história começa por volta do final do século, quando Jim Murtha, um imigrante irlandês, em parceria com Frank Monahan, iniciou a criação de ovelhas, no que seria conhecido como Rancho Murtha. O negócio atingiu o pico durante a Grande Guerra, quando o exército precisava de cobertores, mas a vida em Cottonwood Canyon mudou após a depressão, e o celeiro ficou vazio. Anos mais tarde, os Parques Estaduais de Oregon receberam a propriedade privada de 3.200 hectares (8.000 acres), localizada próxima ao John Day River, como doação.

© Gabe Border
© Gabe Border

Num mero ponto no mapa, a 40 km (25 milhas) de qualquer posto de gasolina e a 80 km (50 milhas) da cidade mais próxima, o local exigia delimitações. Para formalizar o parque, a comissão dos Parques Estaduais de Oregon encomendou o Centro de Experiência Cottonwood Canyon. O Centro é mais que um local sustentável para pesquisa, comemoração e aprendizado, ele se tornou a conexão entre o perímetro urbano e rural do centro de Oregon.

© Gabe Border
© Gabe Border

Em consonância com a missão dos Parques Estaduais de Oregon de não deixar vestígios e trabalhar com foco em pesquisas acessíveis e adaptáveis, a estratégia do projeto foi aproveitar tudo o que a natureza do entorno tinha a oferecer, visando técnicas que não demandassem muita tecnologia, e aproveitassem a tecnologia existente, para minimizar o uso de energia e resistir ao tempo. As portas alocadas nas faces opostas do Centro de Experiência possibilitam a ventilação cruzada e a cobertura translúcida reduz a demanda de iluminação artificial diurna. A iluminação por lâmpadas LED e um painel solar na cobertura minimizam as necessidades de energia.

Corte Perspectivado
Corte Perspectivado
Planta
Planta

O edifício possui um calefator de baixa emissão, que atende aos critérios de emissão de 2020, para queima de madeira a 1,83 gramas/hora. O revestimento do volume foi feito em zimbro, material resistente a insetos e a decomposição, comum em Oregon. O fechamento de metal faz uma releitura do revestimento dos celeiros da região, além de suportar os verões quentes e invernos frios. Já o piso de concreto é resistente e de fácil limpeza. Nenhum desses materiais precisa de pintura ou manutenção, e sua aparência apenas melhora ao longo do tempo. Os espaços internos foram configurados para serem o mais adaptáveis possível, considerando o menor impacto no local. As grandes portas permitem que o edifício dobre de tamanho, atendendo às necessidades da ampla gama de pesquisas, que o centro hospeda. O Centro de Experiência foi projetado para se ajustar à paisagem em que se encontra, sendo resiliente, rígido e auto-suficiente.

© Gabe Border
© Gabe Border

O edifício atende a necessidade de acolhimento e abriga o recém-criado parque, mas também, faz mais do que isso, ao oferecer espaço para salas de aula, exposições interativas, áreas de reunião e uma biblioteca específica para o parque. O Centro de Experiência é envolvente, adaptável e está incentivando a inovação, desde alunos do ensino fundamental às agências de conservação de Oregon e instituições de pesquisa privadas.

© Gabe Border
© Gabe Border

Além disso, o Centro se tornou referência e refúgio para a exploração recreativa da paisagem do deserto. O local recebe o tráfego de cidades vizinhas e de médio porte da região, como The Dalles e Bend, e ajuda a manter os preços diários de aluguel em US$ 75 / por dia. A estrutura sustentável e específica para o local apresenta uma incrível variedade geográfica e socioeconômica, criando terreno fértil para experimentar e pesquisar a natureza, onde antes havia apenas um espaço vazio.

© Gabe Border
© Gabe Border

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Wasco, Oregon 97065, Estados Unidos

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Centro de Experiência Cottonwood Canyon/ SIGNAL | Architecture + Research" [Cottonwood Canyon Experience Center / SIGNAL | Architecture + Research] 03 Jun 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/940701/centro-de-experiencia-cottonwood-canyon-signal-architecture-plus-research> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.