Residência Duplex / débert architects

Residência Duplex / débert architects

© Balázs Danyi© Balázs Danyi© Balázs Danyi© Balázs Danyi+ 35

Budaörs, Hungria
  • Engenharia:Attila Wächter, Sami Zinaeddin
  • Paisagismo:Borbála Gyüre, Gergyely Lád
  • Cidade:Budaörs
  • País:Hungria
Mais informaçõesMenos informações
© Balázs Danyi
© Balázs Danyi

Descrição enviada pela equipe de projeto. Meio Ambiente. Hungria Central, cidade de Buda, margem oeste de Budaörs. A rua está na área de influência da Colina Huszonnégyökrös como uma fenda entre suas encostas, levando a rotas populares para caminhadas, pontos de observação de pássaros e vistas panorâmicas. Devido às condições atmosféricas, planadores decolando dos aeroportos de Budaörs e Farkashegy podem ser vistos voando acima da cordilheira em céu limpo.

© Balázs Danyi
© Balázs Danyi

O terreno possui 100 metros de profundidade entre duas reservas naturais. O céu e a paisagem oferecem uma sensação de vastidão, com vistas em determinados pontos do terreno. Uma visão se abre em direção ao Danúbio entre as formas cumulativas da Colina Huszonnégyökrös, Colina Csík, Colina Út, Colina Odvas e Colina Törökugrató.

A localização do terreno é serena e desce em direção ao leste-nordeste. A estrada leva diretamente ao local. A vista e o sol transformam as salas de estar em duas direções diferentes; o local favorece espaços amplos, duplos e multifuncionais.

© Balázs Danyi
© Balázs Danyi
Planta
Planta
© Tamás Bujnovszky
© Tamás Bujnovszky

A instalação preserva o clima e a luz solar natural da rua, bem como sua unidade e relação com a paisagem. Os muros de arrimo, juntamente com a calçada, não se elevam acima da altura do peito. Subindo a rua, o observador verá a inclinação deslizar em direção ao muro de contenção em seu ângulo original com suas formas delineadas pela iluminação natural. Arbustos aparados nas bordas do jardim filtram a perspectiva cênica. A casa sobe em direção ao ápice do terreno, em direção à luz do sol e ao panorama visual, enquanto em nível inferior, completamente abaixo do natural, está a ala de serviços.

O corpo da edificação e o jardim floral, divididos por uma faixa de pedestres, formam um padrão harmonizado: a encosta, outrora um pomar, coberta por uma camada verde - pelo movimento sutilmente abstrato - se dissolve em faixas largas e ligeiramente curvadas nas bordas da rua.

© Balázs Danyi
© Balázs Danyi

Em frente à casa, no jardim, lembramos de um antigo pomar com gramado verde e algumas árvores frutíferas de menor escala, florescendo e perfumadas, além de alguns arbustos baixos em trechos no gramado verde. Atrás da casa, a folhagem das árvores de média escala molda um pano de fundo, acima das vistas, proporcionando sombra ao sul.

A casa é um conjunto menor de prismas regulares, cortados em uma inclinação natural. Sua geometria é modular, prismas inferiores divididos em dois cubos, enquanto as formas colocadas no telhado representam um oitavo de um cubo. Os jardins do telhado rotacionam espontaneamente por atrás da edificação, mas ambos fazem uso igual da vista.

© Tamás Bujnovszky
© Tamás Bujnovszky

Nós projetamos duas casas de igual valor dentro da edificação. Devido à forte inclinação, em vez de jardins e terraços frontais, a paisagem se conecta aos espaços internos por meio de extensos jardins no telhado. O layout dos níveis é invertido: abaixo, perto do solo, os dormitórios em condições de clima temperado, as salas de estar e os dormitórios dos pais estão no andar superior, com enormes janelas de vidro. No telhado, o terraço de parede a parede e a vista panorâmica compõem - pelo menos parcialmente - o jardim plano. O desenho das aberturas é uma variação formal derivada do módulo de fachada. As aberturas do térreo são envidraçadas na superfície da parede externa, com grandes molduras de madeira por trás do vidro, visíveis desde fora. As janelas de vidro, no andar superior, estão ao lado da superfície da parede interna. A estrutura da edificação desenha uma silhueta ao longo das arestas do vidro.

© Balázs Danyi
© Balázs Danyi

A fachada é cinza claro, as seções sólidas que dividem os panos de vidro têm uma cor cinza mais escuro. Testamos as condições de luz natural da edificação e das instalações em estudos solares dos dois solstícios e do equinócio. Quanto à duração da luz do sol, achamos reconfortante que a encosta fosse tradicionalmente um pomar, onde maçãs, pêssegos, uvas e morangos amadurecem ano após ano.

© Balázs Danyi
© Balázs Danyi

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos
Sobre este escritório
Cita: "Residência Duplex / débert architects" [Duplex villa / débert architects] 22 Mar 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/935732/residencia-duplex-debert-architects> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.