Casa Chica / Alejandro Soffia

Casa Chica / Alejandro Soffia

© Juan Durán-Sierralta© Juan Durán-Sierralta© Juan Durán-Sierralta© Juan Durán-Sierralta+ 20

Ritoque, Chile
  • Arquitetos: Alejandro Soffia
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  60
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2020
  • Fotógrafo Fotografias:  Juan Durán-Sierralta
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Maderas Ritoque, Paneles SIP UP, Pizarreño, Ventanas Venteko
  • Arquiteto Responsável:Alejandro Soffia
  • Colaboradores:Francesco Borghi, Pablo Gramsch, Esteban Guzmán
  • Engenheiro Estrutural:José Manuel Morales
  • Desenhos:Francesco Borghi, Alejandro Soffia, Matías Miranda
  • Maquete:Alejandro Soffia
  • Cidade:Ritoque
  • País:Chile
Mais informaçõesMenos informações
© Juan Durán-Sierralta
© Juan Durán-Sierralta

No contexto da crise do 18-O

Depois da crise social iniciada em 18 de Outubro de 2019 as razões do conflito pouco a pouco têm se tornado mais claras. Este processo de decantação de ideias é fundamental para poder programar soluções de curto, médio e longo prazo, que melhorem a situação das desigualdades que afeta a grande maioria da população chilena. No entanto, estas soluções infelizmente ainda não chegaram. O que aconteceu é que se deu nome a alguns dos problemas fundamentais da sociedade chilena. E isto, por sorte, impossibilita a elite nacional de ignorar estas demandas. Apesar disso, a mesquinhez da "classe dominante" maquiou estes problemas, impondo hierarquias e, portanto, uma ordem arbitrária para a sua solução. Para mim, isto significa uma evasão das responsabilidades do Estado em relação à população, por isso acredito que não devam haver hierarquias, pelo contrário, todos os problemas devem ser nomeados e todos devem começar a serem solucionados ao mesmo tempo, com diferentes tarefas e prazos.

© Juan Durán-Sierralta
© Juan Durán-Sierralta

Estranhamente, a "agenda" do governo e a opinião dos chilenos tem deixado de fora o problema do "espaço". Assim como a água não é um direito das pessoas no Chile, o espaço também não é. Assim, o primeiro caso faz com que não seja possível regar a cultivar o solo próprio, e o segundo faz com que o povo viva em espaços de merda.

© Juan Durán-Sierralta
© Juan Durán-Sierralta
Planta
Planta
© Juan Durán-Sierralta
© Juan Durán-Sierralta

O "espaço" é um conceito bastante abstrato, portanto no contexto da constituição ele é identificado com a habitação. E como o problema é do povo, então este é relegado à habitação popular, ou social. Mas o problema fundamental é o acesso das pessoas ao "espaço". Acesso a uma quantidade e qualidade de espaço, genericamente, para além da habitação. E como o espaço tem diferentes escalas na sua magnitude, na realidade o direito ao espaço de qualidade pode ser reconhecido na habitação, mas também no espaço de trabalho, espaço de estudo, ou qualquer outro tipo de espaço imediato onde as pessoas desenvolvem a sua rotina diária. Sejam estes privados ou públicos. Quer sejam em pequena ou grande escala. O direito a um espaço público de qualidade. O direito a uma cidade equipada e conectada. Em maior escala, o direito a um espaço natural intocado. Alguém nos convenceu de que há pouco espaço. Mas este não é o caso, temos muito espaço, por isso cada pessoa merece viver num espaço de qualidade.

© Juan Durán-Sierralta
© Juan Durán-Sierralta

A Casa Chica

Esta casa não tem uma relação direta com os temas levantados durante a crise social do 18-O. Seria possível pensar, inclusive, que representa o contrário, que possuir hoje uma propriedade na praia, na forma de uma segunda residência, constitui um privilégio de poucos e um símbolo de desigualdade imperativo no Chile. No entanto, minha ideia é refletir acerca de alguns aspectos que são de fato relevantes no contexto da crise a partir da análise de uma casa de praia.

© Juan Durán-Sierralta
© Juan Durán-Sierralta
Cortes
Cortes
© Juan Durán-Sierralta
© Juan Durán-Sierralta

O primeiro e mais importante aspecto tem a ver com o "espaço". Ela se chama Casa Chica ("Casa Pequena", em espanhol) por que, na realidade, o desafio consistiu em fazer a maior casa possível com um orçamento muito limitado. A matriz conceitual seria informada, além disso, por manter certos padrões de qualidade construtiva de eficiência térmica - leia-se paredes e janelas bem isoladas. Então, uma das perguntas iniciais seria: quantos metros quadrados posso construir se conto com determinado orçamento e quero construir com determinado padrão construtivo? A resposta seria 60 metros quadrados. O que consegui programar nesses 60 metros quadrados? Uma sala de estar e jantar pequena, um banheiro minúsculo, uma escada íngreme, um corredor apertado, dois dormitórios estreitos e outro banheiro minúsculo. E, na verdade, gastei muito tempo para encaixar todos esses cômodos em 60 metros quadrados. Além disso, acredito que não é suficiente, por que os espaços de armazenamento são poucos e não há uma loggia.

© Juan Durán-Sierralta
© Juan Durán-Sierralta

Então me lembro dos metros quadrados das habitações sociais que o Estado do Chile entrega àqueles mais afetados pelo nefasto modelo econômico prevalecente. 45 metros quadrados, que subiram logo para 52. Também me lembro dos metros quadrados das pequenas unidades promovidas pelo catastrófico mercado imobiliário. 15 metros quadrados, 24 metros quadrados. E me pergunto, como é possível viver dignamente em tamanha escassez de espaço? Se há espaço de sobra em toda a nossa extensa geografia, como pode o Estado oferecer este tipo de habitação tão reduzida? Porque é possível que as imobiliárias ofereçam espaços indignos para a vida?

© Juan Durán-Sierralta
© Juan Durán-Sierralta

Sem dúvidas alguns dirão que trata-se de um problema orçamentário. Mas então, em que momento pusemos o dinheiro como prioridade antes do espaço? Não é, por acaso, o espaço algo tão vital quanto o ar e a água?

Tomara que a saída da crise atual que o Chile vive hoje nos permita colocar os temas mais relevantes para a vida das pessoas sobre a mesa, e não há dúvida que neste caminho será necessário incluir e enfatizar a importância do espaço, em termos de quantidade e qualidade, a todos os níveis, para o desenvolvimento de uma vida digna.

© Juan Durán-Sierralta
© Juan Durán-Sierralta

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos
Sobre este escritório
Cita: "Casa Chica / Alejandro Soffia" [Casa Chica / Alejandro Soffia] 04 Mar 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/934733/casa-chica-alejandro-soffia> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.