Genius Loci / Bates Masi Architects

Genius Loci / Bates Masi Architects

© Michael Moran © Michael Moran © Michael Moran © Michael Moran + 16

Montauk, Estados Unidos
  • Arquitetos: Bates Masi + Architects
  • Fotógrafo Fotografias:  Michael Moran
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Corian® Design, DuPont, Lutron, Hansgrohe, Acor, Ann Sacks, B-K Lighting, Bates Masi Architects, Benjamin Moore, Circa Antiques, Ciuffo Cabinetry, Corian® Exteriors, De La Espada, Desiron, Duc Duc, Edge, Elizabeth Dow, FRANKE, Ingo Maurer, Kallista , +16
  • Interiores: Bates Masi + Architects e Victoria Pryor
  • Paisagismo: Bates Masi + Architects
  • Mobiliário: Bates Masi + Architects
  • Engenheiro Estrutural: Steven L. Maresca
  • Metragem: 650,00m² (7.000 sqft)
  • Construtora: Davis Builders Inc.
Mais informações Menos informações

Descrição enviada pela equipe de projeto. Montauk, NY, pode parecer como qualquer outra pequena comunidade costeira à primeira vista; no entanto, possui características únicas e fortes raízes. O clima é imprevisível com períodos de neblina espessa e ventos fortes. A história está mais próxima do folclore do que da realidade, com histórias da Conspiração do Projeto Montauk, dos submarinos alemães e, mais recentemente, do Monstro de Montauk, que elimina a barreira entre fato e ficção.

© Michael Moran
© Michael Moran

Remanescentes estruturais do passado, como uma torre de radar e bunkers, estão espalhados pela paisagem. Socialmente, há uma migração sazonal e um mix de classes econômicas, os visitantes poderiam escolher passar férias em qualquer lugar do mundo, mas foram atraídos pela peculiaridade de Montauk. Esses aspectos singulares compõem o "Espírito de Montauk", e os clientes desafiaram o arquiteto a projetar uma casa que incorporasse e capturasse esse espírito na arquitetura.

© Michael Moran
© Michael Moran

A casa responde ao contexto do local e fortalece o “espírito do lugar”. Anteriormente um rancho de cavalos, os extensos campos verdes do terreno estão localizados em uma das cotas mais altas de Montauk. O extenso programa foi escalonado e incorporado à encosta íngreme da colina, sem comprometer o acesso externo e a luz natural. Aproximando-se pelo sul, a residência parece ser composta de duas edificações segregadas e modestas.

© Michael Moran
© Michael Moran

Circulando para o norte, a casa se abre revelando um programa mais extenso. Nesse caso, a tipologia convencional de construções de Montauk, com telhado baixo de duas águas, é modificada pela geometria do envelope da construção permitido, e pelas restrições de altura do local. A anomalia geométrica é aparente na entrada, na cumeeira, que foi deslocada propositalmente e nas paredes que convergem, direcionando a vista do oeste até o lago. A ilusão de ótica causada pela cobertura parabólica é visível no lado sul e chama atenção, assim como vários outros detalhes.

© Michael Moran
© Michael Moran

Detalhes arquitetônicos estão presentes em todo o projeto, em locais inesperados. Uma ponte revestida de ripas de madeira unifica os dois volumes de telhas de cedro, permitindo a entrada de luz no pátio inferior. Os cedros da ponte permitem leituras diferentes, durante o dia parecem planos, mas quando a escuridão cai, a luz é refletida com um padrão ondulado, revelando as ripas com formato de cunha na parte posterior das tábuas. No pavimento inferior, as janelas altas são revestidas minunciosamente por uma pedra polida acinzentada. A pedra parece leve quando peças alternadas são removidas do padrão da parede para permitir o acesso de luz natural na área de hóspedes. Esses detalhes inesperados reforçam a ideia do arquiteto de capturar o inesperado.

© Michael Moran
© Michael Moran

Para os moradores, não existe um percurso definido para a circulação, incentivando diferentes encontros, bem como as experiências sociais de Montauk. É possível circular embaixo da ponte que emoldura o céu, e subir os degraus do terraço, que revela as colinas pastorais e o oceano distante. Esse caminho atrai o visitante diretamente para a paisagem, ignorando a casa. Pode-se também subir a escada da entrada externa que se conecta diretamente à escada interna, separada por uma parede de vidro.

© Michael Moran
© Michael Moran

O usuário pode optar por entrar na casa ou continuar o percurso até a lareira ao ar livre, a área de jantar e a piscina. O visitante que fica na casa pode entrar e sair do terraço de pedra que envolve o exterior da área de hóspedes, atravessando do pátio de acesso para a piscina sem precisar acessar a residência. A exploração resultante da circulação distinta produz uma experiência memorável e diferente para todos.

© Michael Moran
© Michael Moran

A casa celebra o "espírito do lugar" de onde está localizada. Com o surgimento da tecnologia e a rápida transmissão de informações pela Internet, a identidade do lugar pode ser perdida rapidamente. Este projeto explora o regionalismo, e evoluiu a partir da comunidade local.

© Michael Moran
© Michael Moran

Galeria do Projeto

Ver tudo Mostrar menos
Sobre este escritório
Cita: "Genius Loci / Bates Masi Architects" [Genius Loci / Bates Masi Architects] 25 Jan 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/932107/genius-loci-bates-masi-architects> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.