Casa Condeixa / Bernardo Amaral Arquitectura e Urbanismo + Diego Inglez de Souza

Casa Condeixa / Bernardo Amaral Arquitectura e Urbanismo + Diego Inglez de Souza

© Attilio Fiumarella© Attilio Fiumarella© Attilio Fiumarella© Attilio Fiumarella+ 22

  • Arquitetos Responsáveis:Bernardo Amaral, Diego Inglez de Souza
  • Equipe De Projeto:Stella Bacoccoli, Gonçalo Maçães, Rita Vieira da Silva, Simone Cera, Patrícia Coelho
  • Cliente:Diego Inglez de Souza
  • Engenharia Estruturas:NCREP
  • Engenharia Hidráulicas:Kinetika
  • Engenharia Electricidade:Kinetika
  • Engenharia Telecomunicações:Kinetika
  • Engenharia Segurança Contra Incêndio:Kinetika
  • Engenharia Térmica:Kinetika
  • Engenharia Acústica:Kinetika
  • Marcenaria:Movialva
Mais informaçõesMenos informações
© Attilio Fiumarella
© Attilio Fiumarella

Descrição enviada pela equipe de projeto. Situada numa das partes mais antigas da Vila de Condeixa-a-Nova, na região de Coimbra, a casa que pertenceu aimigrantes portugueses que foram para o Brasil nos anos 1960 permaneceu em ruínas por quase três décadas até que surgisse a oportunidade de reabilitá-la, por iniciativa do bisneto. O atual proprietário, também arquiteto, formado pela FAU-USP, analisa a experiência de projeto e obra, que também acabou por ser de aprendizagem e troca de experiências com o arquiteto responsável pelo projeto em Portugal, Bernardo Amaral, formado na FAUP e coordenador do gabinete BAAU, sediado no Porto.

© Attilio Fiumarella
© Attilio Fiumarella
Plantas
Plantas
© Attilio Fiumarella
© Attilio Fiumarella

Reabilitar a casa que pertenceu ao meu bisavô foi uma oportunidade de entrar em contacto com as técnicas tradicionais de construção no centro de Portugal através das ruínas, preservar o uso dos materiais originais da casa, substituindo por componentes disponíveis no mercado europeu que atualizam as tecnologias produtivas e  manter algumas as linhas do ‘projeto’ original, resultado de sucessivas e improvisadas alterações de forma e volume, às quais pudemos acrescentar espaços. Além disto, a empreitada transatlântica foi uma oportunidade de entender como funciona um canteiro-estaleiro de uma pequena obra de reabilitação no centro de uma vila classificado como zona histórica e também entender como funcionam as políticas e incentivos nacionais e europeus para a recuperação dos centros urbanos”

© Attilio Fiumarella
© Attilio Fiumarella

Desde o final dos anos 1990, Condeixa passou por uma série de obras de construção de equipamentos urbanos e de reabilitação de edifícios e espaços públicos que fazem parte do património municipal e nacional, que incluem as ruínas de Conímbriga, importante castro pré-histórico que constituiu um dos epicentros da romanização da península ibérica, cujos vestígios e museus são considerados Monumentos Nacionais. Originalmente, a casa era composta por dois volumes independentes, perfazendo no total 49 m2 de implantação. O volume principal, tinha um primeiro andar e sótão, caracterizado exteriormente por um paramento e cobertura em telha cerâmica.

© Attilio Fiumarella
© Attilio Fiumarella

O volume mais pequeno tinha dois pisos, sendo que o primeiro andar estava ligado ao principal e o rés do chão era separado com entrada independente a partir da rua. Como estratégia de projeto, optou-se por manter as paredes exteriores em alvenaria e respetivas aberturas, unir os dois volumes interiormente e criar um segundo piso, caracterizado externamente pelo revestimento em telha cerâmica. No volume principal localizam-se a sala de estar no térreo e quartos no 1º e 2º pisos. O volume pequeno integrou a cozinha, casa de banho e um terraço. Um poço de luz e a escada quebram as dimensões reduzidas de cada piso unindo fisicamente e visualmente os 3 níveis da casa.

© Attilio Fiumarella
© Attilio Fiumarella

Com uma forma helicoidal irregular, a escada foi inspirada no projeto da arquiteta italiana radicada no Brasil Lina Bo Bardi - a reconversão do Solar do Unhão, em Salvador em Museu de Arte Moderna da Bahia. Partindo de referências e abordagens distintas, o projeto revela características da formação e da experiência dos dois arquitetos, que ainda não haviam trabalhado juntos mas partilharam referências e reflexões no campo teórico, na medida em que durante o projeto e a obra ambos realizavam suas pesquisas de doutoramento. Ao integrar referências de projeto brasileiras e portuguesas, a obra reflete o diálogo permanente entre Brasil e Portugal, diferentes tempos históricos, tecnologias tradicionais e contemporâneas e uma relação direta entre canteiro-estaleiro, memória e projeto.

© Attilio Fiumarella
© Attilio Fiumarella

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos
Sobre este escritório
Cita: "Casa Condeixa / Bernardo Amaral Arquitectura e Urbanismo + Diego Inglez de Souza" 15 Jan 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/931788/casa-condeixa-bernardo-amaral-arquitectura-e-urbanismo-plus-diego-inglez-de-souza> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.