Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Arquitetura De Escritórios
  4. Equador
  5. Ruptura Morlaca Arquitectura
  6. 2018
  7. Cortina de Cimento / Ruptura Morlaca Arquitectura

Cortina de Cimento / Ruptura Morlaca Arquitectura

  • 10:30 - 17 Julho, 2019
  • Curadoria de Clara Ott
  • Traduzido por Julia Brant
Cortina de Cimento / Ruptura Morlaca Arquitectura
Cortina de Cimento / Ruptura Morlaca Arquitectura, © Oscar Moscoso
© Oscar Moscoso
  • Arquitetos

  • Localização

    Cuenca, Equador
  • Arquitetos Responsáveis

    Paul Chango, Carolina Bravo
  • Construção

    Ruptura Morlaca Arquitectura
  • Área

    40.0 m2
  • Ano do Projeto

    2018
  • Fotografias

© Oscar Moscoso
© Oscar Moscoso

Descrição enviada pela equipe de projeto. Com uma postura respeitosa com a natureza (artificial ou natural) do terreno e com o objetivo de integrar o novo uso de casa-estúdio, optou-se por conservar as preexistências nesse projeto: uma mediagua que funcionava como escritório, a área verde com uma árvore de mexericas e dois acessos de pedestres, o primeiro com um piso absorvente de cascalho (informal), e o segundo com uma plataforma de cimento (formal), a qual funcionava como entrada principal para o escritório, executando uma intervenção que mantém a integridade do sistema artificial.

© Oscar Moscoso
© Oscar Moscoso
Planta Proposta
Planta Proposta
© Oscar Moscoso
© Oscar Moscoso

"A informalidade que informa a forma".

A partir da constante região do informal que aproveita os limites, utiliza-se uma estrutura leve que permite esquivar e ocupar o lugar ao redor da árvore que atua como uma força de expansão, liberando um vazio que concentra tudo aquilo que nos liga à terra e ao fechar-se na fachada, desconecta a pessoa do contexto imediato.

© Oscar Moscoso
© Oscar Moscoso

Os acessos de pedestres são utilizados para a mobilidade do espaço. O de cascalho assinala a entrada informal à casa, já que ao entrar aproxima o usuário a um contexto natural pelo som que gera. O de cimento, por sua vez, articulará a residência com o estúdio, o que foi uma solução adotada a partir de uma análise realizada ao explorar os dados de mobilidade na cidade, os quais indicam que, ao situar funções efêmeras (negócio informal) em calçadas que são utilizadas apenas quando necessário, se permite uma variação em seu uso (de estar ocupado ou vazio, por exemplo). A partir desse argumento, o elemento articulador se dá a partir da cozinha e lavanderia, gerando espaços de passagem e convivência informal.

© Oscar Moscoso
© Oscar Moscoso
Cortes
Cortes
© Oscar Moscoso
© Oscar Moscoso

A técnica escolhida permitiu manter a integridade das partes úmidas, utilizando materiais pré-fabricados que minimizam o impacto em custos e tempo de intervenção. Os materiais reciclados de obras anteriores foram: ferro para toda a estrutura, vidro e placas de fibrocimento na cobertura e fachada.

As vigas principais do estúdio flutuam sobre a área verde, evitando umidade e permitindo o fluxo de ar, e se apoiam em 6 pontos sobre uma fundação isolada de concreto. Os erros de 4x4 centímetros foram utilizados para conformar as portas e janelas da cozinha, assim como a estrutura da fachada que suporta as placas de fibrocimento no exterior e as prateleiras no interior, gerando uma "parede mobiliário" que flutua como uma cortina de cimento cruzando imagens difusas com o exterior.

© Oscar Moscoso
© Oscar Moscoso

Em toda a cobertura (cozinha e estúdio) foram instaladas placas de Eternit ondulado pintado de um tom similar. A pavimentação do estúdio foi feita com placas de madeira MDF com pintura em laca, e na cozinha com concreto protegido com resina para gerar uma "divisão" em relação ao piso externo, evitando a entrada de água. Na parede posterior ao balcão da cozinha aplicou-se uma pintura automobilística com um compressor, obtendo impermeabilidade total na superfície irregular existente. O mobiliário apresenta uma variedade de marcas em sua superfície, uma vez que provém de restos de construções anteriores.

Na fachada interna da construção existente (a mediagua) utilizou-se madeira de pinheiro reciclada como acabamento, e na parte nova (cozinha e estúdio) foram colocadas placas de vidro, novas e usadas, de um projeto anterior. A parede interna foi pintada de azul celeste para emular o eterno e eliminar a radiação por reflexão.

© Oscar Moscoso
© Oscar Moscoso

Graças à forma de ocupação adotada, a construção é muito limpa e amigável com o solo, onde seu pátio interno se transforma em uma pequena horta, fazendo que o interior e o exterior se conectem sem adornos em um abrigo leve que, caso desejado, poderia desaparecer e se transportar como um espaço informal, deixando essa natureza em seu estado original.

© Oscar Moscoso
© Oscar Moscoso

Ao sentar-nos e contemplar esta paisagem em poltronas no interior das galerias, assistiremos a um espetáculo revelador: o da eterna sucessão do mesmo, o ciclo do dia e da noite, da chuva e do sol, o florescer da árvore e depois a queda das folhas e assim sucessivamente. Geramos uma representação artificial do mundo, um cenário de mudança entre céu e terra que aparecem como metáfora de um tempo cíclico com o homem e tudo isso no centro da cidade. A obra de arte que significa a vida.

© Oscar Moscoso
© Oscar Moscoso

Ver a galeria completa

Localização do Projeto

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Cortina de Cimento / Ruptura Morlaca Arquitectura" [Telón de cemento / Ruptura Morlaca Arquitectura] 17 Jul 2019. ArchDaily Brasil. (Trad. Brant, Julia) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/920751/cortina-de-cimento-ruptura-morlaca-arquitectura> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.