Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Residência Lake Manitouwabing / MJMA

Residência Lake Manitouwabing / MJMA

© Shai Gil © Shai Gil © Shai Gil © Shai Gil + 15

McKellar, Canadá
  • Arquitetos: MJMA
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área: 2.746
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano: 2018
  • Fotógrafo Fotografias: Shai Gil
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Elemental, Legrand, Muskoka Custom Cabinets, Owen Sound Ledgerock, Phantom Screens, Stuv, Western Window Systems
  • Engenharia Estrutural

  • Paisagismo

    MJMA
  • Interiores

    MJMA
Mais informações Menos informações
© Shai Gil
© Shai Gil

Descrição enviada pela equipe de projeto. Uma família de Toronto procurava por uma nova residência para substituir a sua existente, original da década de 1930 e localizada em uma península voltada para o oeste. O objetivo era maximizar a vida ao ar livre e a diversão em todas as estações do ano. Para isso, o projeto previu um grande plano de intertravamento que permite que espaços internos suportem um espaço central externo como um microclima protegido contra intempéries, estendendo o uso sazonal da casa. A estrutura moderna foi projetada  como uma cascata, pairando e se misturando com a paisagem, e, ao mesmo tempo, prestigiando a presença silenciosa da água.

© Shai Gil
© Shai Gil

O projeto foi desenvolvido em torno do objetivo de melhorar a vida ao ar livre e a reunião social. Um plano retangular é esculpido para criar um terraço ao ar livre interligado com espaços no pátio, com um amplo deck e um alpendre. As coberturas planas lembram construções precedentes de meados do século em regiões mais quentes, e flutuam para fora para enquadrar a paisagem. O plano maior tem uma singularidade clara com sua casca externa opaca, mantendo a intimidade e a humildade do vernáculo da cabana. No coração do projeto está um pátio central, com uma rocha singularmente fissurada, a qual remete ao poder do seu lugar. Uma varanda grande é delimitada em três lados, por uma tela de inseto retrátil. A planta é dividida em três áreas, no sentido leste-oeste. A área coletiva está situada no sudoeste, a área mais íntima está mais a nordeste, enquadrando o espaço ao ar livre que fica no meio.

© Shai Gil
© Shai Gil

A orientação do terreno é sul e oeste, reunindo calor, luz e vistas durante todo o dia. O volume fica próximo a linha do terreno e caminha ao longo de seu comprimento para se conectar com a paisagem e foi implantado gentilmente nas costas de um curso da água, atrás de um conjunto de pinheiros. A casa abriga espaços internos e externos e apresenta duas relações dominantes com base na orientação - transparente e aberta ao sudoeste, opaca e protegida a nordeste. As áreas principais de estar apoiam a extensão do espaço ao ar livre e são orientadas diretamente para a vista do pôr do sol do equinócio da primavera e do outono, que desaparecem precisamente em um canal aberto entre duas ilhas no outro lado do lago. Os quartos foram colocados ao longo da parcela mais íntima do terreno, que se abre para uma lagoa.

© Shai Gil
© Shai Gil

A residência foi projetada para aproveitar as orientações passivas de aquecimento e resfriamento, e para criar um microclima ao ar livre. Balanços profundos e grandes áreas envidraçadas no sul e no oeste foram modelados para proteger da acumulação solar no verão e permitir ganhos de aquecimento no inverno. As faces norte e leste são fortemente opacas, minimamente articuladas e altamente isoladas para proteger contra os ventos e a perda de calor. Janelas operáveis em todos os lados são projetadas para ventilação cruzada e resfriamento passivo. O aquecimento por piso radiante de concreto contribui para a conservação de energia e cria um calor durante o dia e a noite. Uma caldeira de alta eficiência, HRV e forno de aquecimento a lenha de convecção reduzem o consumo total de energia. O projeto de um envelope para a construção, o teto R-35 e o envidraçamento de baixa eficiência maximizam o desempenho. O edifício adota a limpeza da estrutura existente e a proteção cuidadosa das árvores, minimizando a perda de árvores.

Planta
Planta
Corte
Corte

Os clientes desejavam permanecer conectados com a terra e morar ao ar livre o máximo possível para ajudar a alcançar maior saúde e bem-estar. O projeto se concentrou nesses objetivos - uma volumetria baixa e escalonada, grande porcentagem de janelas operáveis, acabamentos maximizados de madeira e revestimento, exterior arrojado simples, espaço abrigado dentro dos telhados do edifício e modelagem solar. Todos os elementos conspiram para criar espaços internos e externos fluidos de maior conexão com a natureza.

© Shai Gil
© Shai Gil

O projeto se esforça para abraçar a vida ao ar livre e estendê-la através das estações. Ao fazer isso, gera uma resposta formal impulsionada pelo terreno e uma clara meta voltada para o cliente, criando um espaço externo altamente social e saudável. Ao fazer isso, ele desenvolve e reconcilia a linguagem formal do prédio com os requisitos do terreno e da orientação. Ele fornece linhas limpas, luz abundante e conexão com a natureza, ao mesmo tempo em que alcança uma forma humilde e contextual que se harmoniza com seu contexto.

Galeria do Projeto

Ver tudo Mostrar menos
Sobre este escritório
Escritório
Cita: "Residência Lake Manitouwabing / MJMA" [Lake Manitouwabing Residence / MJMA] 26 Fev 2019. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/911862/residencia-lake-manitouwabing-mjma> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.