Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Harvard HouseZero / Snøhetta

Harvard HouseZero / Snøhetta
© Michael Grimm
© Michael Grimm

© Michael Grimm © Michael Grimm © Michael Grimm © Michael Grimm + 26

Cambridge, Estados Unidos
  • Arquitetos Autores deste projeto de arquitetura Michael Grimm
  • Fotógrafo Created with Sketch.
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    WindowMaster
  • Ano do projeto

    2018
  • Cliente

    Harvard Center for Green Buildings and Cities
  • Arquitetura, Paisagismo e Interiores

    Snøhetta
  • Energia e Sustentabilidade

    Skanska Teknikk (Noruega)
  • Estrutura

    Silman Associates
  • Complementares

    BR+A
  • Engenharia civil

    Bristol Engineering
  • Ventilação natural

    WindowMaster
  • Acústica

    Brekke & Strand Akustikk
  • Códigos e acessibilidade

    Jensen Hughes
  • Geotécnica

    Haley & Aldrich
  • Elevadores

    Syska Hennesy
  • Especificações

    Kalin Associates
  • Controle e segurança

    Siemens Building Technologies
  • Sistemas fotovoltaicos

    Solect Energy
  • Paisagismo do entorno

    Reed Hilderbrand
  • Gestão do projeto

    Harvard Planning & Project Management & CSL Consulting
  • Suporte e operação

    Harvard Graduate School of Design Staff
Mais informações Menos informações
© Michael Grimm
© Michael Grimm

Descrição enviada pela equipe de projeto. O Harvard Center for Green Buildings and Cities (CGBC) da Harvard Graduate School of Design (GSD), abriu as portas da sua nova sede no dia de hoje, chamada de HouseZero, esta antiga casa de madeira dos anos trinta foi completamente reformada e transformada em um ambicioso laboratório vivo e um protótipo ultra-eficiente que nos ajudará a melhor compreender como projetar os edifícios no futuro. O projeto seguiu metas bastante ambiciosas, incluindo um gasto energético praticamente nulo para os sistemas de aquecimento e resfriamento da casa, a total independência do sistema de iluminação artificial durante o dia, ventilação natural o ano todo e zero emissões de carbono. O edifício foi concebido para produzir um excedente energético ao longo de sua vida útil, equilibrando o que foi consumido em sua reforma e deixando um saldo positivo para futuras obras que possam vir a ser realizadas. O projeto foi concebido pelo escritório Snøhetta em parceria com a Skanska Teknikk da Noruega.

O projeto funciona tanto como um espaço de trabalho quanto como um laboratório de análise e pesquisa. O projeto será monitorado 24 horas por dia através das centenas de sensores embutidos na casa e os milhares de dados fornecidos por cada componente da HouseZero. Esses dados de desempenho fornecerão aos pesquisadores de Harvard uma oportunidade sem precedentes para compreender o complexo comportamento deste edifício. A enorme quantidade de dados fornecida pelos sistemas inteligentes do edifício, por sua vez, deverão estimular o desenvolvimento de novas pesquisas e ferramentas de análise, incentivando os pesquisadores do CGBC à criar novos sistemas e algoritmos inteligentes para promover a eficiência energética, o conforto e a sustentabilidade em edifícios já construídos.

© Michael Grimm
© Michael Grimm

"A infraestrutura flexível utilizada na HouseZero nos fornecerá suficientes dados para desenvolver pesquisas mais contundentes que auxiliem a melhor compreender o funcionamento de edifícios deste tipo. A partir disso, seremos capazes de avaliar e aplicar este conhecimento em projetos de estruturas cada vez mais eficientes", disse Ali Malkawi, criador do projeto e diretor fundador do Harvard Center for Green Buildings and Cities. “Ao criar um protótipo de estudo e avaliação de longo prazo em Harvard, esperamos promover o interesse dos arquitetos e empresas dos ramos da tecnologia e eficiência energética em projetos de reforma ultra-eficientes, inspirando mudanças transformadoras na disciplina da arquitetura e na industria da construção.”

© Michael Grimm
© Michael Grimm

“Harvard HouseZero é um extraordinário exemplo de um projeto eficiente e transformador”, disse Mohsen Mostafavi, reitor e professor da Escola de Design da Harvard. “Como um laboratório vivo, a HouseZero proporcionará aos alunos e pesquisadores de Harvard uma infra-estrutura inovadora e inigualável para a exploração e a pesquisa, fornecendo a base sobre a qual, estaremos projetando a próxima geração de edifícios e cidades sustentáveis ao redor do mundo.”

Corte
Corte

Como protótipo, a HouseZero foi concebida para preencher uma enorme lacuna, um campo muito pouco explorado até os dias de hoje - o universo dos edifícios existentes e ineficientes. Cerca de 40% do consumo global de energia nos Estados Unidos vem do uso e operação de edifícios já construídos, sendo que quase 25% desse consumo é proveniente apenas de edifícios residenciais. Gastamos mais de US$ 230 bilhões por ano para aquecer, resfriar e iluminar as cerca de 113,6 milhões de residências do país. Combater esta enorme ineficiência energética, resolvendo pequenos problemas técnicos deste imenso banco imobiliário nos oferecerá uma tremenda oportunidade para reduzir o impacto das nossas cidades nas mudanças climáticas em curso. Abrindo as portas para um novo mercado de reforma e adaptação, a HouseZero incentiva todos os profissionais à trabalhar para minimizar o custo energético de nossos edifícios e nossas cidades, o que significaria também, uma economia direta também no bolso de seus proprietários.

“A HouseZero apresenta uma solução para o grande número de edifícios existentes, baseada na otimização das tecnologias atuais para promover um melhor desempenho energético destas estruturas”, disse Malkawi. “O projeto nos desafiou a repensar as atuais convenções e a buscar modos de aumentar a eficiência energética dos edifícios e a qualidade de vida de seus moradores.” A chamada "ultra-eficiência" da HouseZero encontra-se em um ponto de interseção entre a aplicação de tecnologias de última geração e estratégias passivas de baixo custo. Um bom exemplo disso pode ser visto na estratégia de ventilação natural da casa, a qual pode ser controlada por um sistema automático de abertura das janelas. O edifício, através de seus sistemas inteligentes, se esforça para proporcionar melhores condições de conforto baseadas em uma programação prévia de dados; no entanto, isso não significa que as janelas não possam ser operadas manualmente, cada morador pode interagir com o ambiente de acordo com as suas necessidades.

A HouseZero será utilizada como uma ferramenta de pesquisa que pretende redefinir o modo como nossas estruturas construídas se conectam com as pessoas e com o ambiente aonde encontram-se inseridas. Os materiais utilizados na reforma não foram escolhidos para apenas "proteger" o edifício, mas para interagir com seus habitantes e responder diferentemente às mudanças climáticas ao longo do ano. O edifício foi concebido como um organismo vivo, que se transforma constantemente - às vezes a cada minuto - para proporcionar melhores condições de conforto à seus usuários.

Corte
Corte

Será como viver em um laboratório. Este ambiente dinâmico e monitorado será uma fonte de inspiração para todos os pesquisadores do CGBC. Com o tempo e os resultados desta constante pesquisa, o CGBC pretende pavimentar o caminho em direção à sustentabilidade do ambiente construído, disponibilizando ferramentas que poderão transformar decisivamente a indústria de construção civil.

© Michael Grimm
© Michael Grimm

Galeria do Projeto

Ver tudo Mostrar menos

Localização do Projeto

Endereço: Cambridge, MA, Estados Unidos

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Harvard HouseZero / Snøhetta" [Harvard HouseZero / Snøhetta] 27 Jan 2019. ArchDaily Brasil. (Trad. Libardoni, Vinicius) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/910105/harvard-housezero-snohetta> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.