O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Galeria
  4. Brasil
  5. Debaixo do Bloco Arquitetura
  6. 2017
  7. Galeria 11 Meia 1 / Debaixo do Bloco Arquitetura

Galeria 11 Meia 1 / Debaixo do Bloco Arquitetura

  • 05:00 - 9 Março, 2018
Galeria 11 Meia 1 / Debaixo do Bloco Arquitetura
Galeria 11 Meia 1 / Debaixo do Bloco Arquitetura, © Joana França
© Joana França

© Joana França © Joana França © Joana França © Joana França + 31

Descrição enviada pela equipe de projeto. A Galeria Almeida Prado sempre teve sua base em Brasília, mas depois de alguns anos a demanda mudou de lugar e o proprietário decidiu levar sua galeria para a cidade de São Paulo. Nessa mudança o escritório de arquitetura Debaixo do Bloco foi convidado com a intenção de levar os traços típicos da capital do país para um bairro nobre de São Paulo, assim a loja não perderia a identidade da cidade onde nasceu mesmo estando em outro estado. A primícias maior desse espaço era criar um galeria aconchegante e que o cliente pudesse visualizar as peças expostas como se fosse na casa dele, algo diferente das galerias já existentes na região.

© Joana França
© Joana França

Já o desafio desse projeto era resolver o layout que deveria ser disposto em um terreno de 13 metros de comprimento por 4,5 m de largura sem parecer estreito demais. Sabendo disso as soluções encontradas foram; implantar um pé direito de 3 metros, criar comunicação com a rua, elaborar um fundo na loja que fosse mais convidativo e setorizar os andares. No primeiro andar ficou concentrado um espaço de exposição das peças, com mobiliários e quadros dispostos ao logo do salão, abaixo da escada foram locadas prateleiras com finalidade de exibir as esculturas e comportar uma copa, além disso, um banheiro locado no vão livre abaixo da escada.

© Joana França
© Joana França
Plantas
Plantas
© Joana França
© Joana França

Aos fundo foi estabelecido um limite de construção a 100 cm da parede já existente no lado  posterior da loja, isso tanto no térreo quanto no segundo andar, o que possibilitou a criação de um jardim de inverno no primeiro pavimento  que se comunica com o segundo andar e com o terraço, esse espaçamento proposital criou uma ligação dos andares que através de claraboias chaminés levam luz e ventilação natural para os fundos da loja, local que não possibilita a instalação de janelas e era pouco atraente.

Isometria 1
Isometria 1

As escadas que levam os visitantes de um andar para o outro foram feitas com chapas xadrez sustentadas por uma viga central, já no segundo andar elas ganham uma nova funcionalidade, além da comunicação entre um pavimento e outro elas recebem como guarda corpo telas crespas pintadas de amarelo e que pivotam quando necessário para expor obras de arte. Esse andar também ganha uma janela que funciona como uma grande vitrine e gera comunicação entre a rua e o espaço interno da galeria, por ser uma área com menos funções - banheiros, copa, mostruários -  recebe os mobiliários maiores da loja, como mesas, estantes e poltronas.

© Joana França
© Joana França

O terraço comporta uma pequena área livre, um banheiro e um escritório que futuramente pode virar um café. Na fachada desse espaço os cobogos servem para destacar o volume criado no topo do pequeno edifício, a relembram as habitações residenciais de Brasília onde esse recurso foi amplamente utilizado, esse artificio também esconde a caixa d’água que fica aos fundos do terraço. Na parte da arquitetura de interior o coaautor Fabio Almeida Prado definiu as cores utilizadas que lembram a marca criada em Brasília – amarelo, preto e cinza - a curadoria das peças também são feitas por ele e traz obras importantes como Oscar Niemeyer, Lucio Costa, Tomie Othaque, o mobiliário vem de toda parte do Brasil ou seja a criação da identidade da loja foi concebida por ele junto ao layout do escritório.

Outra parte interessante para resolver uma função comum na galeria foi a forma de exposição dos quadros, ao invés de pregos nas paredes, foram colocadas correntes suspensas e nelas são expostas os quadros em diferentes alturas e posições sem precisar danificar as paredes. Após resolver os obstáculos de função e aproveitamento do terreno a fachada precisava se destacar na rua então foram aplicados blocos de concreto pré-moldados para jardim vertical, assim criou-se movimento com um elemento simples onde as mesmas técnicas do Athos Bulcão foi utilizada, ou seja criar uma lógica de composição, assim um elemento construtivo direcionado a receber plantas na parede virou peça chave para transformar a fachada em algo atraente.

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Galeria 11 Meia 1 / Debaixo do Bloco Arquitetura" 09 Mar 2018. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/890231/galeria-11-meia-1-debaixo-do-bloco-arquitetura> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.