O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Habitação De Interesse Social
  4. Irã
  5. ZAV Architects
  6. 2014
  7. Moradia para Meninas Órfãs / ZAV Architects

Moradia para Meninas Órfãs / ZAV Architects

  • 11:00 - 8 Março, 2018
  • Traduzido por Lis Moreira Cavalcante
Moradia para Meninas Órfãs / ZAV Architects
Moradia para Meninas Órfãs / ZAV Architects, © Aidin Gilandoost
© Aidin Gilandoost

© Aidin Gilandoost © Aidin Gilandoost © Soroush Majidi © Soroush Majidi + 40

  • Arquitetos

  • Localização

    Rayisan Kouy, 22 Bahman st., Khansar, Irã
  • Arquitetos Responsáveis

    Mohamadreza Ghodousi, Parsa Ardam, Fatemeh Rezaie Fakhr-e-Astane
  • Equipe de Projeto

    Mahshid Gharibi, Seyed Hossein Hejrati, Golnaz Bahrami, Sara Jafari
  • Área

    800 m²
  • Ano do projeto

    2014
  • Fotografias

  • Engenheiro Civil

    Nader Shokoufi
  • Engenharia Elétrica e Mecânica

    Ali Ghanizadeh
  • Empresa de Construção

    ZAV Architects
  • Cliente

    The Late Ahmad Maleki, Parvin Maleki
  • Design Gráfico

    Golnaz Bahrami
  • Mais informações Menos informações
© Soroush Majidi
© Soroush Majidi

Moradia para Meninas Órfãs

A moradia para meninas abandonadas está localizada no zona histórica de Khansar, uma pequena cidade no coração do Irã. Antes de evoluir para uma residência para meninas órfãs, nosso caridoso cliente pretendia construir uma clínica pública. Tivemos a ideia de apresentar uma proposta de uma instituição de assistência social, uma vez que a localização do terreno poderia eventualmente ajudar também seus futuros usuários privados. Os órfãos encontrarão proteção na história: eles estarão cercados por três dos monumentos históricos da cidade.

A proposta aprovada se transformou em um projeto destinado a mudar a forma como as meninas órfãs são vistas, como crianças estigmatizadas, dignas de pena, pertencentes a uma parte inseparável mas normal da sociedade. O objetivo era que elas passassem a não estar mais sob vigilância, para terem uma vida normal no contexto social introvertido e fechado de Khansar. As meninas só precisavam de um apartamento aconchegante que parecesse legal, deixando-as orgulhosas. O projeto deveria ser de uma casa, e não de um espaço disciplinado de um dormitório que quase parece uma prisão.

© Soroush Majidi
© Soroush Majidi

Com uma arquitetura que é ao mesmo tempo modesta e monumental, a residência teve como objetivo proporcionar às meninas não só um dormitório com espaços públicos e privados, mas também varandas especiais que servissem de palco para cenários sociáveis: elas podem se expressar ao longo das festividades, do luto à celebração ou com a mudança das estações, mudando o 'Hijab' de suas varandas, assim como elas costumam usar e mudar seus Hijab e Chador de acordo com o cronograma cultural da cidade, relembrando a estética da censura.

Uma tecnologia construtiva justa foi escolhida para este projeto de caridade, cuja área do terreno é 354m² e a área construída total é 800m², dividida em quatro níveis. O custo da construção – com mão de obra local -– acabou totalizando em menos da metade em relação aos custos comuns de manutenção e futuros, otimizados ao mínimo.

Diagrama
Diagrama

Para ter um espaço com uma aparência de caráter permanente, o processo de construção foi o mais próximo possível do básico e essencial, resultando em um espaço interno que é materialmente idêntico ao exterior.

Acreditamos que a arquitetura pode contribuir para melhorar o bem-estar social e a reforma ética e, na medida em que somos responsáveis, tentamos fazer a diferença: passar da exclusão à inclusão, da reclusão ao isolamento e da privação ao privilégio; encorajando as organizações de caridade a se beneficiarem dos valores agregados das soluções arquitetônicas.

© Soroush Majidi
© Soroush Majidi

No entanto, a história não terminou. Hoje, o prédio está sendo usado não da maneira como foi planejado - as meninas vivem em vigilância controlada, com janelas fechadas obrigatoriamente e as varandas não são usadas. No entanto, nós e nosso cliente ainda estamos tentando o nosso melhor para contribuir para uma mudança. Felizmente, nossos laços são fortes.

No final, neste projeto, decidimos ir além dos limites da arquitetura, usá-la como um meio que pode afetar o ser humano e melhorar a qualidade de vida.

Corte
Corte

A questão seria: o que mais se pode esperar da arquitetura?

A tecnologia construtiva simples e disponível é otimizada neste projeto.

Após a execução da estrutura de aço, os pisos de concreto foram realizados e finalizados após um polimento rotativo. O duto das paredes que contém as instalações mecânicas e elétricas está funcionando como um sistema acessível, sendo conectado à estrutura - eles também suportam as paredes de tijolos internas e externas. As paredes de tijolos foram finalizadas durante a fase de construção e assim ficaram, não passaram pelo processo de acabamento.

© Soroush Majidi
© Soroush Majidi

Os blocos de pedra "Laybid" estão conectados aos pisos de concreto, atuando como cornijas internas. As cornijas externas têm forma de U. Os muros da propriedade são feitos de blocos de cimento e paredes de concreto.

As paredes dos espaços internos, as escadas e as fontes de água são feitas de concreto, construídas por pessoas do local.

© Aidin Gilandoost
© Aidin Gilandoost

Como resultado das instalações mecânicas e elétricas aparentes, a remoção da etapa de acabamento no processo de construção e os materiais duráveis, espera-se que este edifício dure muito tempo e se sustente com uma taxa de manutenção mínima.

© Soroush Majidi
© Soroush Majidi

O projeto tem vários e consideráveis impactos sociopolíticos na sociedade.

Criando uma oportunidade através de princípios arquitetônicos para tal espaço existir através de um programa de caridade, o projeto proporcionou às órfãs um espaço com qualidade, apesar dos desafios financeiros do projeto.

© Soroush Majidi
© Soroush Majidi

Enquanto isso, o tecido histórico de Khansar agora abriga um grupo de jovens inocentes, com uma vaga história familiar, o que resulta em dois aspectos: em primeiro lugar, a história do terreno está oferecendo a essas crianças uma importância genuína e, em segundo lugar, as crianças estão trazendo de volta a energia e espírito de vida para esta região antiga.

© Aidin Gilandoost
© Aidin Gilandoost
Detalhe - Corte da Parede
Detalhe - Corte da Parede
© Aidin Gilandoost
© Aidin Gilandoost

Em termos de organização espacial, a mudança do arranjo espacial de um dormitório para uma casa cria espaços pessoais e um sentimento de pertencimento para as crianças.

Os quartos organizados em torno de um pequeno espaço público apresentam uma varanda independente em direção à cidade.

Diagrama
Diagrama

Ver a galeria completa

Sobre este escritório
ZAV Architects
Escritório
Cita: "Moradia para Meninas Órfãs / ZAV Architects" [Habitat for Orphan Girls / ZAV Architects] 08 Mar 2018. ArchDaily Brasil. (Trad. Moreira Cavalcante, Lis) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/890149/moradia-para-meninas-rfas-zav-architects> ISSN 0719-8906