Conjunto Santa Clara / OWAR Arquitectos

Conjunto Santa Clara / OWAR Arquitectos

Conjunto Santa Clara / OWAR ArquitectosConjunto Santa Clara / OWAR ArquitectosConjunto Santa Clara / OWAR ArquitectosConjunto Santa Clara / OWAR Arquitectos+ 28

Ilhas Juan Fernández , Chile
  • Arquitetos: OWAR Arquitectos
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  637
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2008
  • Fotógrafo Fotografías: 
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Hunter Douglas, Cintac®
  • Colaboradores:Samuel Bravo, Celine Castritius, Gabriel Lagos, Patricio Larraín, Tomás Lillo, Cristián Martínez
  • Nome Da Obra:Proyecto Habitacional Santa Clara
  • Gestão:Fundación Un Techo Para Chile
  • Construtora:Inark S.A.
  • Assessores Técnicos:Technopanel, Hunter Douglas, Nova Chemicals, Instapanel
  • Superfície Do Terreno:5.931 m²
  • Madeira:Estrutura de muros com base em painéis SIP 75mm prefabricados,
  • Metal:Revestimento Miniwave de Hunter Douglas eletropintado.
  • Equipe:Alvaro Benítez, Emilio De la Cerda, Tomás Folch, Mirko Salfate
  • Cidade:Ilhas Juan Fernández
  • País:Chile
Mais informaçõesMenos informações

Descrição enviada pela equipe de projeto. Materiais predominantes

Lajes sólidas 95 mm de pinos cravados.

1. ORIGEM E GESTÃO DO PROJETO

O projeto Santa Clara parte de um convite realizado pela Municipalidade de Juan Fernández à organização "Un Techo para Chile", através do qual se solicita o desenvolvimento de um conjunto habitacional para 10 famílias residentes na ilha Robinson Crusoe. A partir disso, a Fundação assume a gestão do requerimento, estabelecendo os critérios gerais do processo em termos de logística, prazos, convênios comerciais e trabalho social - Entidade de Gestão Imobiliária e Social EGIS. Paralelamente, UN TECHO PARA CHILE convoca o escritório de arquitetura OWAR para que projete o edifício. 

2. PROGRAMAÇÃO

Devido a sua condição insular, Robinson Crusoe conta com um desenvolvimento muito precário em diversos âmbitos, entre eles a construção. Isso define que tanto as matérias primas como os profissionais envolvidos no projeto devem vir desde o continente em algum dos navios que a marinha envia uma vez por mês e instalar-se na ilha durante o tempo que durem as atividades de construção. 

A condição de isolamento, somada ao clima extremo de chuvas e ventos presente grande parte do ano, fazem com que os critérios frente a realidades como as futuras ampliações ou os metros quadrados entregues inicialmente a cada família devam ser diferentes dos aplicados no continente. Por isso, optou-se por trabalhar com uma envolvente definitiva e hermética que contem todos os metros quadrados úteis e um interior adaptável às mudanças progressivas das famílias. 

3. MEIO NATURAL E TOPOGRAFIA

Trabalhar em um contexto geográfico tão extremo como o arquipélago de Juan Fernández, localizado a 670 km da costa da região de Valparaíso, onde só se pode chegar em avião (2-3 horas) ou por navegação marítima (24-36 horas), cria uma série de condições que definirão as principais operações de projeto, entre elas, a necessidade de trabalhar com lógicas de pré-fabricação e construção em concreto armado seco. 

O terreno corresponde a um lote de 5.931m2, com uma inclinação média de 30°, localizado no limite da reduzida área urbana da baía Cumberland. Diferentemente de 96% da superfície da ilha correspondente ao parque nacional com flora e fauna endêmica, a área do projeto - que em termos administrativos está sujeita a mesma regulamentação para novas urbanizações que o resto do continente - não apresenta espécies de maior interesse já que foi composta principalmente a base de pinos e eucalipto. Apesar disso, decidiu-se trabalhar com um modelo cujo impacto sobre o terreno seja mínimo. No desenvolvimento desta opção foi de vital importância o trabalho direto com as empresas provedoras de materiais e dos distintos sistemas construtivos presentes na proposta final. 

4. PRÉ-FABRICAÇÃO

Levando em conta os aspectos mencionados, o trabalho com lógicas de pré-fabricação se justificava por várias razões:

A. Aumentar o controle de um projeto que escassamente poderia ser supervisionado diretamente durante sua execução no terreno. 

B. Ajustar o volume e o peso do conjunto às lógicas e tempos do transporte marítimo. 

C. Contar com a maior quantidade de atividades secas para que as intervenções sobre o terreno fossem as mais pontuais possíveis. 

D. Diminuir o tempo de trabalho in loco, otimizando desta forma o tempo que a equipe de profissionais deveria passar na ilha

5. MODELO DE CASA

Cada uma das 10 moradias projetadas possui uma superfície de 63,7 m2 e foi resolvida em três meios níveis com o objetivo de adaptar o conjunto a topografia existente. As áreas de circulação foram reduzidas ao máximo e, em vez disso, foram projetadas amplas áreas associadas às zonas de sobreposição das lajes. 

Na fachada de altura dupla foram incorporadas aberturas de piso a teto, tanto no primeiro como no terceiro nível, a fim de captar a maior quantidade de luz natural possível nos estares, facilitando a construção e a conexão da casa com futuras áreas de terraço. 

Em termos materiais, cada moradia conta com fundações pontuais de pinos, lajes de madeira laminada, painéis pré-fabricados pela empresa TecnoPanel, janelas de alumínio, coberturas pré-fabricadas pela empresa Instapanel e forros exteriores de aço micro ondulado fabricados por Hunter Douglas. 

6. LOTEAMENTO 

A solução do condomínio contempla a habilitação de uma calçada pública contínua que conecta o acesso ao prédio pela avenida Yunque com o lote localizado no limite oeste do terreno. Ao longo dessa configuração foram dispostas as casas em lotes de 400 m2 de superfície e em grupos de cinco moradias, todas orientadas buscando a luz norte e a vista da baía. 

Como etapa posterior a construção das moradas e a habilitação dos serviços básicos, contemplou-se estratégias participativas de manejo da paisagem baseadas principalmente na relocalização de rochas e troncos em áreas específicas. Estas buscam consolidar a área central de jogos comuns, manejar a inclinação e controlar a erosão pela água da chuva. 

Situação
Situação

MATERIAIS: Nesta obra se destaca o uso de Painel Miniwave de Hunter Douglas. A ficha com a descrição desse revestimento, que inclui sua descrição técnica, características, forma de instalação, cores, e informação adicional, pode ser encontrada na nova seção de materiais no ArchDaily Brasil.

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Juan Fernández Islands, Juan Fernández, Valparaíso, Chile

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Conjunto Santa Clara / OWAR Arquitectos" [Conjunto Santa Clara / OWAR Arquitectos] 21 Jan 2012. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/878074/conjunto-santa-clara-owar-arquitectos> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.