Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Parque da Gare / IDOM

Parque da Gare / IDOM

© Marcelo Donadussi © Marcelo Donadussi © Marcelo Donadussi © Marcelo Donadussi + 65

Passo Fundo, Brasil
  • Arquitetos: IDOM
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área: 1823.0 m2
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano: 2016
  • Fotógrafo Fotografias: Pau Iglésias, Marcelo Donadussi
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Andretta Concretos, Atualitá Blocos De Concreto, Brastelha Coberturas, Britas Fuchs, Celesp Mat. Eletrico E Iluminação, Ceramica Princesa, Cimflex Plasticos, Color Tintas, Concretos Calheirão, Concretos Giacomel, Consert Maquinas, Eletropasso Eletricidade, Erefibras, Gerdau S.A, Grupodelta, JR Comércio De Cimento, Lm Vidros, Luminar C, Madepalma Madeiras, Maxi Metal, Metalúrgica Dobrasul, Metaro Pinturas, Montemesso Terraplenagens, Novo Basalto, Patoloco Assitencia Para Maquinas, Salton Vidros, Teles Terraplenagem, Veza Alumínio, Z. Ligth, Zami Importação E Exportação, Zelmo Schio
  • Estruturas

    Igor Ortuoste Jayo, Marcos Eanes Santos Souza
  • Mecânica

    Eugénio Durban Quilis
  • Eletricidade

    David Alfonso Pastor, Pedro Medina Núñez, Marcus Vinicios Ostwald
  • Drenagem

    María Salve Piñero de Miguel, Marta del Blanco Calderón
  • Movimento de terras

    Miguel Faria
  • Meio Ambiente

    Pedro Muradas Montesinos, Encarna Jiménez Monreal, Bruno Turbiani Pereira Dos Santos, Luiz Fernando Amorim
Mais informações Menos informações
© Marcelo Donadussi
© Marcelo Donadussi

Descrição enviada pela equipe de projeto. O Parque da Gare se situa na zona da antiga estação de trem e revitaliza o parque criado nos anos e 1980. O seu abandono e a sua importância como espaço no interior da zona central da cidade de Passo Fundo, levaram à concretização de um projeto para a revitalização da parte paisagística e urbanística com a introdução de algumas infraestruturas: uma feira do produtor substituindo a que atualmente funciona no prédio da Antiga Gare, mas sem as condições exigidas; uma nova lanchonete com ponto de informação substituindo o pequeno bar exterior existente; uma nova zona de banheiros e manutenção; e uma zona polivalente com zona e apoio e coberta na parte mais baixa do parque, junto ao lago, também revitalizado e integrado no desenho do parque, sendo realizada toda a sua limpeza e caracterização para recebimento das águas naturais existentes no parque. Todas as infraestruturas tombadas existentes no parque foram reforçadas na sua importância com a sua integração espacial e a sua completa requalificação, mantendo os traços originais

© Marcelo Donadussi
© Marcelo Donadussi

O espaço urbano é desenhado para ser usufruído com elementos de convívio e contemplação. O desenho adota os caminhos e algumas quadras existentes, melhorando a sua qualidade e acrescentando outros percursos para acessos e organização interior do parque. A intervenção urbana é dividida em dois tratamentos distintos, o interior pertencente ao parque em piso de concreto e o exterior pertence à cidade, em pedra da região – como todos os passeios da cidade de Passo Fundo, mantendo a relação entre a cidade e o novo parque.

© Marcelo Donadussi
© Marcelo Donadussi

Foi necessário adaptar o novo parque e suas infraestruturas à topografia difícil que desenha o parque. Foram também construídos diversos muros de contenção, pontes, passarelas e edificações que ajudam à transposição de diferentes barreiras e organização do espaço.

Diagrama
Diagrama

O desenho dos caminhos vai sendo alternado com diferentes materialidades, madeira, pisograma, cimento e intertravado que organiza espacialmente o parque e o seu uso. Surgindo playgrounds e pergolados

© Pau Iglésias
© Pau Iglésias

Paisaigismo

O Projeto de Paisagismo foi realizado com a colocação de espécies nativas que possam realizar e estabelecer um contato entre os usuários, os exemplares escolhidos e a proteção natural do espaço: relacionando as cores, tamanho e características de cada árvore com a função necessária para cada espaço, no controle de sombra, na relação imagética e espacial

© Pau Iglésias
© Pau Iglésias

Devido ao grande número de árvores já existentes no parque, foram colocadas algumas mudas que vão compensar e organizar algumas das zonas. O desenho do parque busca manter as manchas já existentes, agregando elementos que compensam e organizam o parque. O desenho do espaço urbanizado, considerado como piso duro, reflete essa intenção e mesmo alguns elementos como o lago, são protegidos através do seu desenho para aumentar a insolação dos espaços ou espécies. Criando pequenas alamedas de árvores baixas, no sentido sul norte, para diminuir a sombra e aumentar a oxigenação das águas e colocando pequenos conjuntos de árvores que tenham cor, agregando assim uma distinção cromática agregada ao verde constante existente atualmente no parque.

Implantação
Implantação

Devido a ter poucas áreas estáveis foram deixados alguns espaços sem árvores para contemplar e usar as zonas de gramado, usadas para atividades diferentes pelos diversos usuários

© Marcelo Donadussi
© Marcelo Donadussi

Prédio da Feira do Produtor

O Prédio da Feira do Produtor está implantado em uma zona de declive acentuado, sendo a diferença  e cota entre a Avenida Sete de Setembro e a Rua Capitão Bernardo de aproximadamente quatro metros, entre as quais se desenvolve a edificação, articulando patamares e acesso por rampas e escada.  Estabelecendo uma relação de acessibilidade com todas as diferentes cotas exteriores e interiores

© Marcelo Donadussi
© Marcelo Donadussi

O edifício contém todo o seu programa no interior, devido às condições climáticas de Passo Fundo, e tem uma relação direta com as duas ruas paralelas a si, assim como uma relação direta com os estacionamentos adjacentes, para carga e descarga e clientes. O seu interior é organizado espacialmente por rampas que conectam três espaços interiores a diferentes cotas: o primeiro se interliga com a Avenida Sete de Setembro, contendo a zona de apoio, com banheiros, depósitos e instalações, descendo a rampa, temos um patamar intermédio onde surge a praça de alimentação que se conecta ao acesso a leste pelo parque, em patamar inferior temos as zonas fixas dos frios, baixo o espaço de mezanino, donde se acede à Rua Capitão Bernardo e estacionamento da feira

© Pau Iglésias
© Pau Iglésias
Corte
Corte
© Marcelo Donadussi
© Marcelo Donadussi

A estrutura do Prédio da Feira do Produtor é composta por sistema misto de concreto e metálico. A estrutura de concreto realiza a zona do embasamento do edifício no contato com o terreno, com a formação de pilares, vigas, muros de arrimo, e lajes pré-moldadas. Desta estrutura de concreto se solta a estrutura metálica, com a formação de pilares e vigas para fechamentos laterais e de cobertura, a qual organiza espacialmente a envolvente da edificação, originando um grande espaço central aberto e isento de pilares. 

© Pau Iglésias
© Pau Iglésias

A Cobertura será executada em telhas metálicas sobre estrutura de terças metálicas, assim como o fechamento exterior, havendo uma continuidade material entre o telhado e a fachada.

© Pau Iglésias
© Pau Iglésias

As aberturas na fachada servem para ventilação e iluminação e a sua disposição agrega ritmo nas fachadas mais longas do edifício. As grandes aberturas nos topos do edifício geram uma continuidade espacial do exterior para o interior e vice versa.

© Marcelo Donadussi
© Marcelo Donadussi

Prédio da biblioteca

A divisão espacial do terreno em dois níveis também se reflete no partido de projeto deste edifício, já que o pavimento inferior é semienterrado na topografia, aberto para o lago. 

© Pau Iglésias
© Pau Iglésias

O edificio na parte inferior é todo em concreto armado e a partir de sua laje de cobertura (a laje intermediária da biblioteca) se desenvolve um prisma de forma singular, que explora em estrutura metálica e fechamento em alvenaria com algumas superfícies envidraçadas. 

Isométrica
Isométrica

O pavimento inferior contém um núcleo funcional que concentra as áreas molhadas, com os sanitários públicos e a escada externa de acesso ao pavimento superior, além de ter a infraestrutura necessária para a instalação de uma pequena lanchonete no extremo leste, todos esses usos se situam junto ao muro de arrimo e estão voltados para uma grande área livre e coberta, onde se podem realizar eventos.

© Marcelo Donadussi
© Marcelo Donadussi

O pavimento superior corresponde a um espaço polivalente, sem uma atividade estrita, podendo abrigar usos diversos e um pequeno núcleo de sanitários e balcão de recepção aos visitantes. Conta ainda com dois acessos em suas extremidades opostas. O seu uso interno está previsto para ser realizado em conjunto com a praça existente na cota superior, à cota da laje superior, interagindo com aquele espaço exterior

© Marcelo Donadussi
© Marcelo Donadussi

Galeria do Projeto

Ver tudo Mostrar menos

Localização do Projeto

Endereço: Passo Fundo - RS, Brasil

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Escritório
Cita: "Parque da Gare / IDOM" [Parque da Gare / IDOM] 06 Jul 2017. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/875069/parque-da-gare-acxt> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.