O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Universidade
  4. Estados Unidos
  5. Michael Maltzan Architecture
  6. 2017
  7. Centro Moody para Artes / Michael Maltzan Architecture

Centro Moody para Artes / Michael Maltzan Architecture

  • 17:00 - 1 Julho, 2017
  • Traduzido por Camilla Sbeghen
Centro Moody para Artes / Michael Maltzan Architecture
Centro Moody  para Artes / Michael Maltzan Architecture, © Nash Baker
© Nash Baker

© Nash Baker © Thomas Struth © Nash Baker © Thomas Struth + 17

  • Coordenação do Projeto

    Michael Maltzan, Arquiteto Principal; Tim Williams, Responsável; Jeanette Fabry, Diretor Projeto; Andrea Manning, Arquiteta; Matt Austin, Designer; e Hiroshi Tokumaru, Coordenador Técnico
  • Equipe de Projeto

    Peter Erni, James Tate, Ann Soo, Jen Lathrop, Gee Ghid Tse, Pil Sun Ham, Alan Sillay, Peter Osborne, Collin Cobia e Casey Benito
  • Construtora

    Linbeck
  • Engenheiro Estrutural

    Guy Nordenson and Associates - Engenheiro Estrutural Cardno Hanes Whaley - Engenheiro Executivo
  • Engenheiro Civil

    Walter P. Moore
  • Mecânica, Elétrica, Encanamento, Sustentabilidade

    Stantec
  • Iluminação

    Horton Lees Brogden
  • Planejamento e Design de Teatro

    Fisher Dachs Associates
  • Acústica

    Nagata Acoustics
  • AV / TI / Segurança

    Rice University
  • Impermeabilização

    Wiss, Janney, Elstner Associates
  • Sinalização Interior

    Michael Maltzan Architecture, Inc.
  • Engenheiro Geotécnico

    Ulrich Engineers
  • Segurança Anti-Incêndio

    Jensen Hughes
  • Custo total

    $30 milhões
  • Certificação LEED

    Prata
  • Mais informações Menos informações
© Thomas Struth
© Thomas Struth

Descrição enviada pela equipe de projeto. O interior de Moody está destinado a criar um sentido de abertura e possibilidade. As linhas visuais são seccionadas através dos espaços, criando vistas em camadas da miríada de atividades que têm espaço dentro dos lugares de produção, instrução e exposição da edificação. As vistas se estendem simultaneamente ao longo dos corredores principais e em direção ao campus, proporcionando um fácil ponto de orientação aos visitantes, estudantes e professores, facilitando o acesso direto a estúdios, salas de aula e lojas. O amplo envidraçamento interior oferece vistas aos espaços de aprendizagem, produção e exposição para destacar a experiência do processo artístico como complementar à exposição de obras finalizadas. Ao longo da fachada norte do edifício, um conjunto de amplas escadas ergue-se desde o primeiro pavimento e se volta ao interior, criando um anfiteatro interior que serve como um espaço social informal.

© Nash Baker
© Nash Baker

A ênfase na transparência se estende ao exterior do edifício, com vidro de chão a teto ao longo da maioria das fachadas do primeiro pavimento. As arcadas criadas pela massa em balanço do segundo pavimento criam corredores sombreados que fazem com que o pavimento superior de tijolo pareça levitar. Grandes aberturas pontuam a fachada de tijolos articulados em um ritmo lúdico e levam a luz aos espaços interiores. O desenho incorpora habilmente aspectos compartilhados por muitos edifícios de Rice. Os caminhos pedonais atravessam a grama aberta do terreno e entram no edifício, organizando simultaneamente áreas chave do programa interior e conectando o novo edifício ao campus mais amplo. O desenho cria um abrigo emblemático para o novo centro de artes de Rice, no espírito da visão de Moody que está igualmente no histórico campus da Universidade. 

© Thomas Struth
© Thomas Struth

Três luminárias assinadas surgem sobre o térreo. Duas estão em cada extremo da arcada norte, apoiadas por colunas icônicas "Starburst". Uma terceira abriga o salão do café Moody. Iluminado desde seu interior pela noite, converte-se em uma coleção de novos faróis para a Universidade de Rice. 

© Thomas Struth
© Thomas Struth

O primeiro pavimento de Moody conta com o Studio Lois Chiles, um estúdio de teatro de 150 lugares para artes cênicas e seus espaços de apoio; Skylit Brown Foundation Gallery e a Galeria Central de Exposições e Atuações Experimentais. duas galerias de meios de comunicação;  Creative Open Studioe um laboratório de fabricação interdisciplinar que inclui um laboratório de madeira, de metal, cabine de pintura, áreas de prototipação e uma sala de estudantes. Fora da Galeria Brown Foundation existe uma parede para projeção ao ar livre. 

© Nash Baker
© Nash Baker

O segundo pavimento conta uma área de descanso, três salas de aula (uma das quais se dobra como um estúdio aberto); um grande estúdio modular, um estúdio de artista, uma biblioteca de empréstimo de tecnologia, cabines de edição audiovisual e uma cafeteria. Os escritórios e outros espaços de administração também estão neste pavimento. 

© Nash Baker
© Nash Baker

Ver a galeria completa

Localização do Projeto

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Centro Moody para Artes / Michael Maltzan Architecture" [Moody Center for the Arts / Michael Maltzan Architecture] 01 Jul 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/874508/centro-moody-para-artes-michael-maltzan-architecture> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.