O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Casas
  4. Brasil
  5. VAGA
  6. 2016
  7. Puxadinho / VAGA

Puxadinho / VAGA

  • 05:00 - 30 Março, 2017
Puxadinho / VAGA

©  Manuel Sá ©  Manuel Sá ©  Manuel Sá ©  Manuel Sá + 20

  • Arquitetos

  • Localização

    Vila Madalena, Brasil
  • Autores

    Fernando O’leary, Pedro Domingues, Pedro Faria
  • Área

    18.2 m2
  • Ano do projeto

    2016
  • Texto

    Fátima Menezes
©  Manuel Sá
© Manuel Sá

Descrição enviada pela equipe de projeto. Eram dois amigos jovens que compraram um apartamento térreo em um prédio residencial no bairro da Vila Madalena. Apesar de intensa, a vida por ali mantém aspectos bucólicos dos bairros residenciais de São Paulo.

Frequentemente começaram a receber jovens como eles, brasileiros e estrangeiros, que se hospedavam no pequeno espaço no fundo do apartamento por pequenas temporadas. Repararam, então, que podiam aproveitar o espaço para receberem as pessoas com muito mais conforto.

O nome “Puxadinho” foi escolhido por remeter a um tipo de construção informal muito comum nas cidades brasileiras e, ao mesmo tempo, era uma maneira simpática de identificar o caráter peculiar da edificação, anexa à construção previamente existente.

©  Manuel Sá
© Manuel Sá

Os desafios para projeto e para a obra foram, incialmente, o orçamento extremamente limitado, além do pequeno espaço e o difícil acesso ao local de obra.

A primeira providência foi demolir a construção existente, um quarto bem precário, e criar dois quartos e um banheiro que poderiam ser utilizados separadamente ou em conjunto, ampliando, portanto, a capacidade do espaço.

Contudo, ao longo do processo, foi possível identificar a oportunidade de ampliação das áreas sociais enquanto os dormitórios não estivessem ocupados e a possibilidade de uso da cobertura para o cultivo de plantas e para uma área de lazer que permitia tomar sol.

©  Manuel Sá
© Manuel Sá
Planta
Planta
©  Manuel Sá
© Manuel Sá

A porta foi a solução fundamental adotada para a criação das novas dinâmicas desejadas.

Na literatura ou na filosofia, as portas têm geralmente sentido metafórico que as associa a várias possibilidades no futuro ou ao fechamento de oportunidades. No sentido do dicionário, as portas servem para dar entrada ou definir saídas.

Mas não no caso do Puxadinho: ela é o elemento principal, responsável pela flexibilidade dos diferentes espaços, ampliando-os ou restringindo-os, mas sempre estabelecendo diversos níveis de integração entre as áreas sociais e os espaços privativos. 

©  Manuel Sá
© Manuel Sá
Planta
Planta
©  Manuel Sá
© Manuel Sá

Versátil, por meio da porta, um mesmo espaço pode dar lugar a uma de três possibilidades: um local de estar e uma suíte, ou, um local de estar com um quarto e um banheiro ou, então, dois quartos e um banheiro.

A cobertura, que ampliou a área externa para o nível superior, além de oferecer uma vista privilegiada para a cidade, incorporou os outros usos previamente idealizados. 

O sistema construtivo consistiu na utilização de lajes em painéis treliçados de concreto pré-moldado apoiadas sobre alvenaria estrutural em blocos de concreto. Este sistema possibilitou uma construção barata, rápida e eficiente para um pequeno espaço de difícil acesso. Já esquadrias, bem como a escada e os bancos foram feitos em serralheria e marcenaria.

Axonométrica
Axonométrica
©  Manuel Sá
© Manuel Sá
Corte
Corte

O toque de sustentabilidade que empresta ao projeto outro traço de modernidade é o fato de que toda a água de chuva drenada na cobertura é direcionada para uma cisterna possibilitando seu uso para limpeza da área externa e irrigação das plantas.

Ao agregar conceitos de versatilidade, sustentabilidade e modernidade a intervenção no espaço original que deu origem ao sonho dos jovens amigos e ao Projeto Puxadinho ressignifica também o conceito desse tipo peculiar de construção informal tão comum na realidade brasileira.

©  Manuel Sá
© Manuel Sá

Ver a galeria completa

Sobre este escritório
VAGA
Escritório
Cita: "Puxadinho / VAGA" 30 Mar 2017. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/868119/puxadinho-vaga> ISSN 0719-8906