O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Recreação E Treinamento
  4. Irlanda
  5. TAKA Architects
  6. 2014
  7. Clube de Críquete Merrion / TAKA Architects

Clube de Críquete Merrion / TAKA Architects

  • 11:00 - 7 Fevereiro, 2017
  • Traduzido por Camilla Sbeghen
Clube de Críquete Merrion / TAKA Architects
Clube de Críquete Merrion / TAKA Architects, © Alice Clancy
© Alice Clancy

© Alice Clancy © Alice Clancy © Alice Clancy © Alice Clancy + 32

© Alice Clancy
© Alice Clancy

Descrição enviada pela equipe de projeto. O clube de críquete de Merrion foi fundado em 1879 e está na sua localização atual desde 1906. O local, escondido por trás das casas de tijolo na Anglesea Road está voltando a oeste, ao rio Dodder. O novo pavilhão substitui uma estrutura existente, de 1980, que foi severamente danificada pelas inundações em 2010 - as últimas de quatro inundações registradas no local desde 1900.

Corte
Corte

A localização e implantação do novo pavilhão foram decididas com base nas numerosas limitações do local. Ainda que a forma do novo edifício parecesse altamente irregular desde certos pontos de vista, ele é de fato um volume piramidal simétrico cortado para se adaptar a geometria irregular do terreno.

© Alice Clancy
© Alice Clancy

O contorno do espaço interior segue, em grande parte, o do clube anterior. Uma grande cobertura de duas águas é posicionada sobre estes espaços a fim de proporcionar um apartamento (para o profissional do clube) no alto, um terraço panorâmico coberto com vistas ao campo e um pórtico de entrada que emoldura a praça. A cobertura distorcida se acomoda nas múltiplas exigências do programa, ao mesmo tempo em que remete a um edifício singular. Por baixo desta cobertura principal estão as habitações interiores, suas formas diretamente relacionadas com seus próprios usos e ambientes desejados. 

Foi conferida especial atenção a área compreendida entre as janelas do bar, o terraço panorâmico e o campo de críquete para permitir oportunidades de vistas simultâneas. Aqui, a secção está escalonada em camadas a fim de oferecer numerosos pontos de vista formais e informais.

© Alice Clancy
© Alice Clancy

Em resposta aos riscos de inundação do terreno, o edifício está elevado do solo e possui um revestimento de cimento impermeável até o nível do peitoril da janela. Barreiras contra inundações temporárias se deixam cair nas aberturas das portas em caso de uma inundação. Por cima deste nível, as paredes são de vidro ou de tijolo sólido de argila. Estas paredes de tijolo são utilizadas como fôrma permanente para o anel de concreto ao redor do perímetro do edifício.

Planta - Térreo
Planta - Térreo

Descrição Técnica 

Existiram dois fatores impulsores da resolução técnica do novo pavilhão - um orçamento de construção modesto e a necessidade de proteção contra inundações. Estes fatores combinam com a consideração primária da coerência desejada da forma e a estética do edifício. Considerou-se importante que as restrições do terreno e do orçamento não deveriam oprimir a experiência do usuário.

© Alice Clancy
© Alice Clancy

O nível de inundação mais recente no terreno, em 2010, foi de 1500 mm acima do nível do solo. Decidiu-se que o novo pavilhão seria protegido até 1700mm (altura da cabeça para a maioria das pessoas) acima do nível do solo. Para evitar uma sensação de bunker e manter os pontos de vista para os principais espaços sociais (o bar e salão de chá) no campo de críquete, o nível do piso foi elevado 600 mm - o máximo permitido sem a necessidade de guarda-corpo. Uma 'caixa' de concreto à prova d'água foi construída em torno dos espaços internos com as paredes que alcançam desde o nível do solo até 1100 mm por cima do nível do piso elevado - a altura ideal sobre a qual apoiar-se enquanto visualiza o jogo ou desfruta de uma bebida. Nos lugares onde a parede à prova d'água dá lugar as portas, são instaladas barreiras contra inundações.

© Alice Clancy
© Alice Clancy

As habitações estão isoladas internamente por trás dos muros de proteção contra inundações. Forros internos seriam sacrificados se a inundação superasse as barreiras. A linha de proteção contra inundações é vista através dos espaços internos na altura do revestimento de madeira no bar e salão de chá e nas peças cerâmicas do piso nos vestiários. Onde o orçamento permitiu, janelas e portas de vidro deslizam de um lado para o outro, a fim de aumentar a conexão com o terraço e diminuir o custo anual de substituição de janelas quebradas como consequência das bolas de críquete. 

Fachada
Fachada

O terraço exterior é formado no espaço entre as habitações internas protegidas contra a inundação e a coluna na borda do teto que sobressai. Bancos pintados de verde são fixados entre colunas abaixo das janelas e do terraço. Os suportes delicados para os bancos servem para contrastar visualmente com o peso da estrutura de concreto. A borda da laje de concreto elevada, que forma o terraço exterior, é escalonada para facilitar o acesso ao campo e aos assentos informais nesse mesmo nível.

© Alice Clancy
© Alice Clancy

A estanqueidade da forma externa é feita através de uniões entre as superfícies externas. As paredes de tijolo (um composto de blocos e tijolos atados juntos, já que paredes de tijolo maciço eram muto custosas) foram colocadas diretamente na parte superior das paredes da área à prova d'água. Não existem tijolos cortados e o anel de concreto da cobertura verte diretamente na parte superior escalonada das paredes de tijolo. A viga aparece na face interior da parede para permitir um detalhe de canal rebaixado. Os canais possuem inserções de grelha para assegurar que as bolas de não fiquem presas nas partes mais altas. As calhas estão ocultas internamente ou dentro das colunas. A superfície superior do anel de vigas é inclinada em duas direções - na parte superior das paredes e na inclinação da cobertura - para manter o perfil da forma do edifício. 

© Alice Clancy
© Alice Clancy

A cobertura está formada por vigas de madeira com cantos de aço, método mais rentável devido a sua similaridade com a construção local. As partes mais longas das vigas estão apoiadas sobre as paredes internas. A cobertura está revestida com zinco escolhido para suportar a chuva torrencial inclinada e as bolas de críquete em alta velocidade. 

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Clube de Críquete Merrion / TAKA Architects" [Merrion Cricket Club / TAKA Architects] 07 Fev 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/804812/clube-de-criquete-merrion-taka-architects> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.