O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Casas
  4. Argentina
  5. DCN Estudio
  6. 2015
  7. Casa AC / DCN Estudio

Casa AC / DCN Estudio

Casa AC / DCN Estudio
Casa AC / DCN Estudio, © Federico Cairoli
© Federico Cairoli

© Federico Cairoli © Federico Cairoli © Federico Cairoli © Federico Cairoli + 28

  • Arquitetos Autores

    Sebastián del Campo, Norberto Nenninger
  • Colaboradores

    Arq. Pilar Gondell – Arq. Andrés Palazzo - Emilia Calleja – Arq. Carolina Arias
  • Assessores

    Engenharia estrutural - Hector Sepliarsky / Construção - Arq. Marcelo Fontana
  • Mais informações Menos informações

Restrições e preexistência

O terreno, localizado em um beco sem saída, é um espaço rodeado por grandes árvores que transforma-se em inexoráveis preexistências. A lei aplicada ao lote permite construir, devido aos recuos exigidos, sobre um espaço de 14 por 14 metros em dois pavimentos de altura como gabarito máximo. Por questões dimensionais, as demandas de uso foram materializadas em uma volumetria que constrói os limites do gabarito permitido. Surge um desafio: como trazer ar e espaço para uma planta profunda desde a definição do projeto?

A resposta se encontra na disposição de uma série de vazios que cumprem o duplo papel de organizar os diferentes espaços funcionais, e relaciona-los ao arvoredo preexistente. Assim, por exemplo, o vazio de acesso foi posicionado de forma tangente à árvore na frente, o hall é arejado como um pátio que mira a outra importante árvore sobre a lateral, e a galeria é recortada para dar lugar a uma árvore mais ao fundo do lote.

© Federico Cairoli
© Federico Cairoli
Planta - Térreo
Planta - Térreo

O vazio como matéria

O projeto opera com o vazio como matéria excludente da organização formal. Atendendo às decisões gerais, contextuais e de uso, modela uma sucessão de espaços que se relacionam ora em planta, ora em corte. Esta forma de organização formal-espacial, encontra-se apoiada visualmente a partir do uso de diferentes materiais de acabamento. Assim, uma peça revestida em chapa constrói o acesso principal contendo uma escada no vazio do hall revestida em madeira, que atua como figura sobre o fundo branco das paredes que a contém.

Estas decisões formais apoiam-se em um pretendido ocultamento da estrutura, que se constrói em diversos materiais segundo sua posição relativa. Dessa forma, quando se encontra no interior das paredes brancas é construída em concreto armado, enquanto vincula-se a materiais lineares como os perfis de marcenaria, materializando-se com perfis metálicos laminados.

© Federico Cairoli
© Federico Cairoli

O sólido e a membrana

Uma organização volumétrica sólida, que recebeu intervenções apenas com operações de perfuração, sobrepõe-se no primeiro pavimento um sistema de fechamentos metálicos contínuos, que cobre todo o pavimento. Ele se manifesta unificado por sua materialidade (uma chapa que passou por um processo de oxidação), e diferenciado por sua função: é, ora um revestimento de chapa lista sobre as paredes, ora tela de chapa perfurada que contém o sol da tarde no dormitório principal, ora como veneziana perfurada que fecha o envoltório e contém visualmente os espaços íntimos em dormitórios e banheiros.

© Federico Cairoli
© Federico Cairoli

Os limites difusos

A organização de pátios, vazios e lugares de uso determinado força uma pretendida continuidade visual entre os espaços. Os pátios envidraçados em todo seu perímetro vinculam-se por contato com espaços abertos que permitem uma perspectiva ampla, gerando, assim, um sistema de visões cruzadas no qual os limites ficam difusos e dotam de profundidade os diferentes ambientes.

© Federico Cairoli
© Federico Cairoli
Cortes
Cortes

Revestimento e cor

A realização do projeto centrou-se na investigação sobre as capacidades do revestimento, utilizando-o como material construtivo da obra, capaz de gerar diferentes experiências interessantes. Nesse sentido, a utilização da cor torna-se fundamental como meio para a diferenciação das diversas peças formais e funcionam da obra, assim como para o manejo de suas proporções. Assim, os revestimentos de cores escuras foram utilizados para ressaltar o primeiro pavimento, em alguns casos e outros, como no acesso semi-coberto, para reforçar a sensação de profundidade que cria a subtração realizada na massa. A chapa passivada marcará então, o perímetro do primeiro pavimento, adquirindo a dupla função de veneziana e de revestimento dependendo do caso, situação que será demarcada pelo cinza do parapeito das janelas, quando ao abrir as venezianas, a peça que se encontra por trás delas continua sendo reconhecida como separada do térreo. No interior, a escada totalmente revestida em madeira marcará o acesso ao pavimento superior, antecipando uma mudança de materialidade no piso, que anunciará a madeira, diferenciando-se da cor cimentícia do piso do pavimento inferior.

© Federico Cairoli
© Federico Cairoli
Cita: "Casa AC / DCN Estudio" [Casa AC / DCN Estudio] 24 Dez 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Brant, Julia) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/801500/casa-ac-dcn-estudio> ISSN 0719-8906