O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Comunitário
  4. Brasil
  5. Sérgio Roberto Parada Arquitetos Associados
  6. 2007
  7. Posto Comunitário de Segurança / Sérgio Roberto Parada Arquitetos Associados

Posto Comunitário de Segurança / Sérgio Roberto Parada Arquitetos Associados

  • 05:00 - 20 Agosto, 2016
Posto Comunitário de Segurança / Sérgio Roberto Parada Arquitetos Associados
Posto Comunitário de Segurança  /  Sérgio Roberto Parada Arquitetos Associados, © Haruo Mikami
© Haruo Mikami

© Haruo Mikami © Rodrigo Biavati © Haruo Mikami © Haruo Mikami + 27

© Haruo Mikami
© Haruo Mikami

 Em 2007 vencemos a licitação do Governo do Distrito Federal para desenvolvermos o projeto arquitetônico do Posto Comunitário de Segurança - PCS. Este equipamento foi licitado e implantado em diversos locais do Distrito Federal e deveriam obrigatoriamente estar inseridos na linguagem arquitetônica desta cidade Patrimônio da Humanidade. Nos dias de hoje, infelizmente os planos do Governo do DF não aceitam mais estes equipamentos. Apesar de várias tentativas que fizemos para serem reaproveitados com outros usos, pois são patrimônio de toda a sociedade, os mesmos vêm sofrendo uma ação predatória em função de grande parte estarem fechados e abandonados pelo Estado.

© Haruo Mikami
© Haruo Mikami

Os PCS’s do Distrito Federal, conforme exigência do programa de Governo, deveriam se integrar harmonicamente a paisagem urbana de Brasília, e não criar uma barreira entre a população e os policiais que neles trabalham, pelo contrário, o próprio desenho aproxima e facilita essa interação. Foram propostos como construções modulares, produzidos industrialmente, de características únicas e de forte identidade visual, os quais abrigam as instalações do Policiamento Urbano Integrado do Distrito Federal.

© Rodrigo Biavati
© Rodrigo Biavati
© Haruo Mikami
© Haruo Mikami

Somam-se neste projeto as características do design do mobiliário urbano e da arquitetura. Podemos dizer então que conceitualmente o PCS foi pensado como mobiliário urbano, mas que nele abriga um espaço arquitetônico. É mobiliário porque não tem o caráter definitivo nos locais onde foi implantado, pois pode ser relocado quando necessário for, seja por motivos estratégicos do Plano de Segurança do DF, ou até mesmo para melhor se adaptar ao espaço urbano, e somado a isso, o processo de execução é industrial, resultado do grande número de repetições. É arquitetura porque dentro desse “mobiliário” abriga um espaço habitável, 24 horas, e para tal a qualidade e conforto destes espaços são fundamentais para bem atenderem seus usuários, sejam os policiais como o público que a ele recorrerá. Todo o programa arquitetônico destes espaços foi definido pelo Comando da Polícia Militar da época.

Corte
Corte
Corte
Corte

A partir da concepção dos três elementos construtivos: módulo básico, módulo da torre de observação e módulo de ligação, foram desenvolvidas duas tipologias para atender as necessidades particulares do programa de implantação do contingente de policiais. O número de Postos e a tipologia adotada dependeram da avaliação e planejamento da Secretaria de Segurança do Governo do Distrito Federal.

© Rodrigo Biavati
© Rodrigo Biavati

O partido arquitetônico tinha como premissa a adoção de um sistema construtivo industrializado. Os módulos foram entregues totalmente montados, acabados e equipados, saindo da fábrica prontos para serem instalados nos locais definidos. Desta forma, a padronização dos módulos e os prazos de execução foram garantidos, com consequente redução nos custos de execução em função da produção em escala.

Vista
Vista
Planta Baixa
Planta Baixa

Os módulos foram fabricados em estrutura de aço com revestimento externo em fibra de vidro com isolamento termo acústico em EPS ocupando o miolo, e revestimento interno em chapa de aço corrugada. As vedações também foram executadas em painéis sanduiches de fibra de vidro com tratamento termo acústico. O piso é flutuante, em chapa de alumínio corrugada, para fácil manutenção, permitindo total liberdade para as instalações.

© Haruo Mikami
© Haruo Mikami

Além do tratamento termo acústico da cobertura e vedações, os módulos possuem aberturas protegidas através de marquises para bloquear a irradiação solar direta e as chuvas. A circulação de ar cruzada foi garantida tanto pela abertura das portas de vidro pivotantes de acesso ao PCS, como pela abertura das basculantes superiores que permitem um ambiente confortável e arejado. Vale aqui ressaltar que os PCS’s sempre deveriam estar localizados sobre áreas verdes e circundado por árvores, criando assim o microclima exigido para o conforto de seus usuários. No entanto, infelizmente este princípio não foi acatado e os mesmos foram implantados até mesmo sobre espaços asfaltados, fazendo com que a temperatura ao seu redor ficasse desconfortável para o uso no interior destes módulos.

© Haruo Mikami
© Haruo Mikami
Planta Baixa
Planta Baixa

A implantação no local determinado foi bem simplificada. Os módulos foram entregues com os pontos de içamento pré-determinados, podendo ser transportados em caminhões convencionais com guindauto. O trabalho de campo foi reduzido ao posicionamento e fixação dos módulos sobre bases de concreto previamente construídas, soltando o módulo do solo. Este fato facilitou as conexões das instalações à rede de infraestrutura local, além de provocar a circulação de ar sob o equipamento.

© Rodrigo Biavati
© Rodrigo Biavati
Implantação
Implantação

A tipologia composta por módulo único foi denominada de Posto Comunitário de Segurança Simples. Na tipologia composta por dois módulos, denominada de Posto Comunitário de Segurança Duplo, os módulos foram conectados através da montagem do módulo de ligação no canteiro de obras.

Esquema de Pré-Montagem
Esquema de Pré-Montagem

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Sérgio Roberto Parada Arquitetos Associados
Escritório
Cita: "Posto Comunitário de Segurança / Sérgio Roberto Parada Arquitetos Associados" 20 Ago 2016. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/793477/posto-comunitario-de-seguranca-sergio-roberto-parada-arquitetos-associados> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.