Hotel do Deserto / Estudio Larraín

Hotel do Deserto / Estudio Larraín

© Guy Wenborne © Guy Wenborne © Guy Wenborne © Rodrigo Larraín Illanes+ 37

Antofagasta, Chile
  • Arquitetos: Estudio Larraín
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  32
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2008
  • Fotógrafo Fotografias:  Rodrigo Larraín Illanes
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Hunter Douglas, Cbb ReadyMix, Glasstech
  • Calculista:Santolaya, Ingenieros Consultores
  • Paisagismo:Eugenia Zalaquett
  • Iluminação:Mónica Pérez y Asociados
  • Construção:Salfa
  • Cliente:Enjoy
  • Área Do Terreno:23.420 m²
  • Cidade:Antofagasta
  • País:Chile
Mais informaçõesMenos informações
© Guy Wenborne
© Guy Wenborne

Descrição enviada pela equipe de projeto. Poucas cidades no mundo contam com o privilégio de ter um monumento, das proporções das ruínas de Huanchaca, no centro da cidade.

Esta antiga fundição de prata foi protagonista da história de Antofagasta, e tem se mantido como símbolo da cidade desde a sua construção. Não somente por suas dimensões, mas também por sua grande qualidade arquitetônica, monumentalidade e localização. Tais condições contribuíram para a construir uma identidade cultural a Antofagasta.

© Guy Wenborne
© Guy Wenborne

O projeto do Cassino Enjoy Antofagasta e o Hotel do Deserto se localizam ao sul da cidade, no setor das ruínas de Huanchaca. Esta zona de encontrava em total estado de abandono e sem vínculo com a cidade - situação contraditória devido ao enorme valor patrimonial e cultural das ruínas.

Desta forma, o projeto se origina como uma resposta urbana para integrar as ruínas de Huanchaca, tanto do ponto de vista de sua presença como de sua incorporação como área de uso público. Um espaço cívico de grandes dimensões é criado entre ambos edifícios.

© Guy Wenborne
© Guy Wenborne

Optou-se, então, por configurar um espaço de características "monumentais" entre as ruínas e o novo edifício, integrando o conjunto à trama urbana da cidade através da prolongação da Av. Angamos, eixo viário norte-sul, via estrutural da cidade.

Ao mesmo tempo, desejava-se resgatar a ligação original entre a fundição e a antiga sala de bombas e resfriamento, localizada na margem do rio. Isto foi conseguido através da formação de um eixo transversal leste-oeste, o que permitiu vincular urbana e visualmente as ruínas com o resto da cidade. 

© Guy Wenborne
© Guy Wenborne

Para atingir este objetivo, a construção foi concebida de frente para as ruínas, como uma sucessão de volumes revestidos com materiais diferentes com o objetivo de delimitar o espaço entre os edifícios. O deliberado confronto dos volumes gera uma tensão que proporciona a escala adequada para este espaço urbano.

Com o desenho do novo edifício, completa-se a transição entre o antigo e o contemporâneo, destacando a presença das ruínas.

© Guy Wenborne
© Guy Wenborne

Sendo coerente com esta abordagem, tanto os revestimentos escolhidos quanto as geometrias, as linhas de sombras, texturas e cores foram selecionadas levando em consideração o objetivo de valorizar as ruínas; considerando sempre as cores predominantes no entorno e sem esquecer que a área é repleta de memórias históricas.

Além disso, era preciso que o revestimento da fachada refletisse a identidade de Antofagasta.

© Guy Wenborne
© Guy Wenborne

Neste contexto, trabalhou-se fundamentalmente com três materiais de revestimento: arenito, vidros serigrafados e tela de cobre.

O arenito é utilizado como revestimento geral do edifício, especificado por sua cor e textura. Com esse material, conseguiu-se um grau significativo de empatia com o entorno.

© Guy Wenborne
© Guy Wenborne

Nas zonas que demandavam transparência, foram utilizados vidros serigrafados com o objetivo de filtrar a entrada de luz no edifício.

O elemento mais importante e simbólico é o cobre, material proveniente da região, aplicado numa grande tela, utilizada como revestimento principal do edifício. A tela de cobre foi concebida como uma "trama" inspirada numa reinterpretação artística e estética das expressões culturais do norte do Chile, dando identidade ao edifício.

© Guy Wenborne
© Guy Wenborne

Planta - 1º Pavimento
Planta - 1º Pavimento

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Angamos 1307-1395, Antofagasta, Antofagasta, Chile

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Hotel do Deserto / Estudio Larraín" [Hotel del Desierto / Estudio Larrain] 04 Jun 2016. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/788681/hotel-do-deserto-estudio-larrain> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.