O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Arquitetura Educacional
  4. Brasil
  5. Goma Oficina
  6. Vila Flores / Goma Oficina

Vila Flores / Goma Oficina

  • 05:00 - 24 Maio, 2016
Vila Flores / Goma Oficina
Vila Flores / Goma Oficina, © Lauro Rocha, Fernando Banzi
© Lauro Rocha, Fernando Banzi

© Lauro Rocha, Fernando Banzi © Lauro Rocha, Fernando Banzi © Lauro Rocha, Fernando Banzi © Lauro Rocha, Fernando Banzi + 21

  • Arquitetos

    Flavia Tenan, Guilherme Tanaka, Gonzalo Sarnago, Maria Cau Levy, Pablo Urquiza, Rodrigo Oliveira, Rodrigo Gonzaga e Sofia Bicca
  • Localização

    Rua Hoffmann 447, 459 e Rua São Carlos, 765, 753, Bairro Floresta, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Coordenadores de projeto

    João Felipe Wallig e Vitor Pena
  • Área

    2330.0 m2
  • Fotografias

  • Estagiários

    Lorena Sierra, Lívia Lerch, Martina Miloro, Felipe Piva, Diana Echevaria, Lucas Piccoli
  • Colaboradores

    Ana David, Caio Ramires, Josephine Delpech, Mathilde Moaty, e Renato Tanaka
  • Levantamento arquitetônico

    Oficina Conceito Arquitetura (OCA)
  • Consultoria de estrutura

    Antonio Piccoli
  • Cliente, instituição, interlocutor, agente cultural

    2012 Associação Cultural Vila Flores
  • Mais informações Menos informações
© Lauro Rocha, Fernando Banzi
© Lauro Rocha, Fernando Banzi

Um processo arquitetônico: ressignificação, coletividade e aprendizado

O Projeto Vila Flores vem acontecendo ao longo de 6 anos e por muitas mãos, devendo ser descrito com uma lógica que o inscreve no tempo e guia seu partido arquitetônico, pela perspectiva da VIDA que hoje nele pulsa.

© Lauro Rocha, Fernando Banzi
© Lauro Rocha, Fernando Banzi

Datado de 1928, localizado na antiga região industrial na várzea do Rio Guaíba, Porto Alegre, o conjunto de edificações não apenas permitiu como inspirou o Vila Flores. A semente de um espaço compartilhado, adequado ao desenvolvimento de atividades colaborativas, já estava no projeto original de Joseph Lutzenberger, pela diversificação dos tamanhos das unidades destinadas uso misto e pela concepção dos espaços de uso comum.

© Lauro Rocha, Fernando Banzi
© Lauro Rocha, Fernando Banzi

Ocupar, trabalhar, viver e conviver são as bases para o processo de readequação do conjunto arquitetônico, que está listado como interesse cultural para o patrimônio da cidade. O projeto vem sendo desenhado de maneira  processual e colaborativa, desde 2011, quando o conjunto arquitetônico foi aberto para a comunidade com a intenção de tornar-se um centro de cultura, educação e economia criativa. de ouvidos abertos para a construção de uma ideia coletiva

© Lauro Rocha, Fernando Banzi
© Lauro Rocha, Fernando Banzi
Vila Flores em construção
Vila Flores em construção
Vila Flores hoje
Vila Flores hoje

 VIDA 

Desde 2012, muitas atividades culturais são realizadas no local e abertas a comunidade do entorno. A Associação Cultural Vila Flores (ACVF) nasceu em 2014, quando o complexo começou a acolher iniciativas de pequenos empreendedores e artistas que desenvolvem atividades próprias de sua área de atuação e que, além de gerir o espaço coletivamente, desenvolvem projetos compartilhados que promovem a interação e diálogo entre as diferentes áreas do conhecimento. Cada iniciativa contribui com uma mensalidade, que permite à associação ter recursos para gestão cultural, administração, manutenção, e zeladoria dos espaços comuns.

© Lauro Rocha, Fernando Banzi
© Lauro Rocha, Fernando Banzi

Surge, assim, uma relação de afeto e pertencimento, no envolvimento dos grupos chamados iniciativas residentes. Juntos esses grupos formam a ACVF, em que cada coletivo mantém suas atividades autorais e autônomas e também é responsável pela gestão compartilhada dos espaços comuns destinados ao convívio, ao encontro, a troca de serviços e produtos, exposições, mostras, exibições, oficinas, cursos e palestras.

Uma grande rede de relações vem se criando em torno do Vila Flores, conectando sociedade civil, iniciativa privada, universidades e poder público, que cada vez mais estão voltando seu olhar para o patrimônio industrial de Porto Alegre, região identificada na cidade como o Quarto Distrito.

© Lauro Rocha, Fernando Banzi
© Lauro Rocha, Fernando Banzi
Processo Arquitetônico
Processo Arquitetônico

 EDIFÍCIOS: O CONJUNTO

O Conjunto VF é formado por dois prédios de três pavimentos de estrutura mista (alvenaria portante e concreto armado) e um galpão de alvenaria, conformando juntos o pátio interno. São 2.332m2 construídos em um terreno de 1.415 m2. As edificações são parte do Inventário do Patrimônio Cultural de Bens Imóveis do Bairro Floresta, inseridas em área de interesse cultural da cidade. O conjunto foi originalmente desenhado pelo engenheiro e arquiteto alemão Joseph Franz Seraph Lutzenberger, e construído pela multinacional Dyckerhoff & Widmann s.a. no final da década de 20, conta com poucos adornos e bay-windows nas suas salas principais. No projeto original, Lutzenberger garantiu uma excelente implantação aproveitando-se da iluminação natural e ventilação cruzada, além de boa distribuição entre área construída e vazios abertos.

© Lauro Rocha, Fernando Banzi
© Lauro Rocha, Fernando Banzi

O projeto de arquitetônico de renovação  foi desenvolvido para ser executado em etapas, de acordo com as possibilidades e sustentabilidade financeiras, e factível para adequação e captação de recursos junto a investidores e editais, o projeto tem como objetivo a requalificação dos edifícios e adaptação de seu uso a uma demanda contemporânea. Está previsto o uso do conjunto programas de serviço, comércio e habitação.

© Lauro Rocha, Fernando Banzi
© Lauro Rocha, Fernando Banzi

 As premissas de projeto são o restauro das fachadas externas e elementos originais, resolução de sistemas infraestruturais, circulação e acessibilidade, e questões estruturais da saúde das edificações.

 CONCLUSÃO

O Vila Flores é um projeto não convencional, realizado em etapas e aberto à participação da comunidade. Um núcleo de resistência originado em um bem privado, que hoje presta serviços de utilidade pública através de ações que fomentam a preservação do patrimônio material e imaterial, o acesso à cultura, o desenvolvimento de novas tecnologias sociais, valorizando a arte em todas as suas linguagens e o crescimento do empreendedorismo criativo.

© Lauro Rocha, Fernando Banzi
© Lauro Rocha, Fernando Banzi

O projeto encontra-se em fase de captação de recursos através de leis de incentivo, para que possa atingir o ideal de readequação arquitetônica e viabilizar a sua continuidade como equipamento cultural da cidade. O que se almeja é que o Vila Flores seja um espaço de experimentação e transformação, cada vez mais aberto ao público, vivo e diverso e que isso possa se refletir no dia a dia da cidade.

© Lauro Rocha, Fernando Banzi
© Lauro Rocha, Fernando Banzi
Diagrama
Diagrama

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Goma Oficina
Escritório
Cita: "Vila Flores / Goma Oficina" 24 Mai 2016. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/788135/vila-flores-goma-oficina> ISSN 0719-8906