O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Escolas
  4. Afeganistão
  5. Robert Hull
  6. 2015
  7. Escola Feminina Gohar Khatoon / Robert Hull + University of Washington

Escola Feminina Gohar Khatoon / Robert Hull + University of Washington

  • 13:00 - 9 Abril, 2016
  • Traduzido por Camilla Sbeghen
Escola Feminina Gohar Khatoon / Robert Hull + University of Washington
Escola Feminina Gohar Khatoon / Robert Hull + University of Washington, © Nic Lehoux
© Nic Lehoux
  • Arquitetos

  • Localização

    Mazari Sharif, Afeganistão
  • Equipe de Projeto

    Yasaman Esmaili, Christopher Garland, David Miller, FAIA
  • Arquiteto e Designer

    Robert Hull, FAIA, em colaboração com a Universidade de Washington, Departamento de Arquitetura
  • Área

    1700.0 m2
  • Ano do projeto

    2015
  • Fotografias

© Nic Lehoux © Nic Lehoux © Nic Lehoux © Nic Lehoux + 33

  • Arquiteto de Projeto

    Elizabeth Golden, Assistant Professor, UW
  • Construtora

    Jason Simmons (Afghanistan American Friendship Foundation), Sayed Ali Mortazavy, Hussain Ahmady, Farkhonda Rajaby, Airokhsh Faiz Qaisary
  • Engenharia Civil e Estrutural

    Solaiman Salahi
  • Iluminação Natural

    Michael Gilbride, UW Integrated Design Lab
  • Ventilação

    Allan Montpellier, PAE
  • Metalurgia

    Jack Hunter
  • Sistemas de Pesquisa

    Mariam Kamara
  • Pesquisa

    UW Studio - Bryan Brooks, Marcus Crider, Grace Crofoot, Sarah Eddy, Yasaman Esmaili, Christopher Garland, Mariam Kamara, Michelle Kang, Kevin Lang, Carolyn Lacompte, Benjamin Maestas, Jaclyn Merlet, Holly Schwarz, Mazohra Thami, Andrew Thies, Mackenzie Waller, Patricia Wilhelm
© Nic Lehoux
© Nic Lehoux

Descrição enviada pela equipe de projeto. Situada no centro de Mazar-i-Sharif, a quarta maior cidade do Afeganistão, a Escola Feminina Gohar Khatoon substitui uma antiga estrutura que se encontrava em um extremo estado de deterioração, expandindo a capacidade de uma escola de histórica importância urbana. O complexo de 2 mil metros quadrados oferece espaço para um jardim infantil até o 12º grau, tendo - pelo menos - 3 mil estudantes.

© Nic Lehoux
© Nic Lehoux

Mazar-i-Sharif abriga várias universidades e Gohar Khatoon - atuando como porta de entrada para a educação superior, posiciona-se de forma que se converte em uma instituição-chave para a educação de milhares de meninas e mulheres em um importante centro urbano. As escolas para meninas já são consideradas como as principais contribuintes para o desenvolvimento do Afeganistão, e estas instituições servem como poderosos mecanismos para inclusão na sociedade afegã. As escolas são o espaço no qual as mulheres e meninas negociam esta transição e Gohar Khatoon foi desenhada para apoiar este processo através da promoção da estabilidade, comodidade e participação comunitária.

© Nic Lehoux
© Nic Lehoux

Um oásis urbano para meninas

As maiores cidades como Kabul e Mazar-i-Sharif estão atualmente presenciando o desaparecimento de espaços verdes ao ar-livre devido a urbanização. A escola responde a esta deficiência, oferecendo às crianças locais algo que tanto necessitam, o acesso a ar fresco, plantas e árvores. A escola é, frequentemente, o único lugar onde é permitido que a mulheres socializem, além das suas casas: espaços para atividades ao ar livre oferecem um lugar culturalmente aceitável para a aptidão física, de estar e áreas de reunião que foram desenhadas para promover a interação social entre os estudantes. A educação de jardinagem possui uma longa tradição na cultura persa e nas instalações da escola foram plantadas árvores frutíferas, hortas e jardins cuidados pelas próprias estudantes. A água é um recurso precioso e todo o jardim é irrigado por águas residuais tratadas biologicamente. 

Planta de Situação
Planta de Situação

Participação da comunidade

Sessões de projeção proporcionam aos estudantes a oportunidade de aprender sobre sua nova escola e permite que eles participem no processo de desenho. A arte também é um importante meio para a participação na escola. Seis novas mulheres artistas foram selecionadas para instalar seus trabalhos nas escadas centrais da escola.

© Nic Lehoux
© Nic Lehoux
Detalhe
Detalhe

Conforto, sustentabilidade e autossuficiência 

Muitas crianças que frequentam a escola no Afeganistão devem fazê-lo em condições muito desfavoráveis. As escolas, frequentemente, estão conectadas a uma fonte de alimentação limitada ou instável e estas instituições operam com quase nenhum orçamento, deixando a insuficiência de fundos para o combustível de calefação. Para superar estes obstáculos, a Escola Khatoon se posiciona para maximizar o ganho de luz solar nos meses de inverno e ventilação natural durante as temporadas de verão.

© Nic Lehoux
© Nic Lehoux

As espessas paredes de alvenaria da escola contam com a alta massa térmica para absorver e reter o calor. Uma escada central em cada bloco de salas de aula forma um 'espaço solar' que captura o calor para aquecer o edifício durante o inverno. Ventiladores reguláveis e aberturas sobre as portas permitem que o ar quente circule através das salas de aula orientadas ao norte. A orientação sul recebe o suficiente ganho solar para operar de forma autônoma. 

© Nic Lehoux
© Nic Lehoux

O resfriamento é alcançado com uma combinação de ventilação cruzada e passiva. Grandes portas no final dos espaços abertos podem se abrir nos meses mais quentes e claraboias da cobertura, localizadas nos corredores centrais, ajudam a expulsar o ar através do edifício.

Croqui
Croqui

As fachadas da escola são inspiradas na rica história do Afeganistão, a construção de alvenaria e as janelas multicoloridas brilhantes refletem as telhas vibrantes da famosa Mesquita Azul de Mazar-i-Sharif. As fachadas também cumprem o requisito pragmático de equilibrar a luz do dia com o ganho de calor solar, através de uso da espessura da parede, assim como o tamanho das aberturas, maximizando o ganho solar o inverno e as superfícies de vidro, sombreado no verão. Os tetos de cores claras também ajudam a equilibrar a luz difusa através da salas de aula.

© Nic Lehoux
© Nic Lehoux

Incorporando a autonomia das estratégias ambientais, a autossuficiência permite que a escola possa seguir funcionando durante difíceis circunstâncias utilizando poucos recursos. Aproveitando as respostas climáticas de baixa tecnologia se traduz em uma instituição confiável que proporciona aos estudantes e aos funcionários um refúgio e comodidade ao longo prazo. Este é um importante aspecto a ser considerado em um momento em que a ajuda internacional ao Afeganistão está diminuindo e as tropas da OTAN estão abandonando o país. 

© Nic Lehoux
© Nic Lehoux

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Robert Hull
Escritório
University of Washington
Escritório
Cita: "Escola Feminina Gohar Khatoon / Robert Hull + University of Washington" [Gohar Khatoon Girls' School / Robert Hull + University of Washington] 09 Abr 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/785243/escola-feminina-gohar-khatoon-robert-hull-plus-university-of-washington> ISSN 0719-8906