Exposição "Matéria e Luz: Josep Ferrando Architecture" no MAM Rio

Exposição "Matéria e Luz: Josep Ferrando Architecture" no MAM Rio

O Museu de Arte Moderna do Rio de janeiro promove a exposição "Matéria e Luz: Josep Ferrando Architecture", que aborda questões fenomenológicas relativas à materialidade e a luz na arquitetura através da obra de Josep Ferrando Bramona, do escritório Josep Ferrando Architecture. A exposição permanece em cartaz até o dia 10 de abril deste ano.

Da organização: Na essência do projeto de arquitetura ou no trabalho construído reside uma inerente dualidade: o lugar e o arquiteto. O lugar sempre se impõe, e arquitetos adaptam nosso método, nosso olhar. Uma interpretação pessoal que prevalecerá durante o processo. A dualidade entre o estado de realidade imóvel – o contexto e o território -, e nossa interpretação destes é combinada no projeto e, finalmente, é percebida na obra construída.

© Pedro Kok
© Pedro Kok

O trabalho arquitetônico como uma combinação entre matéria e luz. O volume – matéria – no que concerne um objeto inanimado: silêncio e imóvel. E luz – espaço indefinido -, como um vazio definido pela matéria: vivo, móvel, dinâmico. Para alcançar esta simbiose entre matéria e luz, entre definição de espaço e o espaço habitável, o arquiteto trabalha em um lugar com um contexto, um lugar que se impõe e que não pode ser ignorado e que precisa ser endereçado.

Este processo arquitetônico é gerenciado por diversos tipos de documentos. Uma linguagem é gerada pelo arquiteto – pessoal e específica – a partir deste lugar. Este, além de ser utilizado pelo arquiteto para construir, é a origem de uma história que, em alguns casos, atingirá seu objetivo final: se tornar um espaço habitado por pessoas e que abriga novas histórias.

© Pedro Kok
© Pedro Kok

Josep Ferrando vive em uma dualidade entre o ofício e a educação; entre a prática e o método. O processo alimenta o objetivo final de se transformar em um edifício, e o trabalho construído alimenta o processo e todo o projeto arquitetônico. Desta maneira, a forma como um espaço é alcançado é tão importante quanto simplesmente alcançar o lugar. Porque sua interpretação através do processo se tornará mais tangível com a condição humana ao longo do tempo. Se o sólido não é definido, não poderá ser um vazio habitável. Sem matéria, não existe luz, e portanto, não existe vida. Nem arquitetura. Reconhecer um lugar e o processo de nos adaptar a ele concede ao arquiteto a habilidade de provê-lo com vida; dá-nos a oportunidade de trazer vida à matéria através da interpretação correta da luz.

Este evento foi enviado por um usuário de ArchDaily. Se você quiser, pode também colaborar utilizando "Enviar um evento". As opiniões expressas nos anúncios enviados pelos usuários archdaily não refletem necessariamente o ponto de vista de ArchDaily.

Cita: "Exposição "Matéria e Luz: Josep Ferrando Architecture" no MAM Rio" 11 Fev 2016. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/781898/exposicao-materia-e-luz-josep-ferrando-architecture-no-mam-rio> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.