O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Museu
  4. Holanda
  5. Shift architecture urbanism
  6. 2015
  7. Museumplein Limburg Kerkrade / Shift Architecture Urbanism

Museumplein Limburg Kerkrade / Shift Architecture Urbanism

Museumplein Limburg Kerkrade / Shift Architecture Urbanism
© Rene de Wit
© Rene de Wit
  • Arquitetos

  • Localização

    Kerkrade, Holanda
  • Equipe de Projeto

    Pieter Heymans, Rene Sangers, Davide Prioli, Thomas Grievink, Dalia Zakaite, Irgen Salianji, Mariya Gyaurova
  • Arquitetos Responsáveis

    Thijs van Bijsterveldt, Oana Rades, Harm Timmermans
  • Ano do projeto

    2015
  • Fotografias

© Rene de Wit © Rene de Wit © Rene de Wit © Rene de Wit + 36

  • Engenharia Estrutural

    ABT, Delft
  • Consultor de Código da construção e da segurança contra incêndio

    Bureau Bouwkunde, Rotterdam, NL
  • Consultor de Instalações e Gestão da Construção

    Bremen Bouwadvies, Heerlen, NL
  • Empreiteira

    Mertens Bouwbedrijf, Weert, NL
  • Empreiteira de Instalações

    Spie, Elsloo, NL
  • Execução da Construção

    Van de Laar, Eindhoven, NL
© Rene de Wit
© Rene de Wit

Museumplein Limburg, projetado por Shift architecture urbanism, foi concluído em Kerkrade, cidade na fronteira germano-holandesa. Duas novas instalações públicas, Cube e Columbus, foram adicionadas ao Continuum Discovery Centre existente. Com essas adições, Kerkrade recebe o primeiro museu de design na Holanda, o primeiro planetário invertido na Europa, bem como uma vasta gama de novos serviços públicos. O projeto é um conjunto urbano definido por volumes claramente identificáveis, todos ligados por um espaço público subterrâneo. O Museumplein Limburg formaliza a entrada em Kerkrade, tanto para passageiros de trem como visitantes que chegam de carro da principal estrada de acesso.

Planta Baixa
Planta Baixa

Trindade de museus

Museumplein Limburg cria uma trindade de museus complementares: Continium, Cube e Columbus, combinando tecnologia, ciência e design em um distrito de museus. Continuum é um centro de descoberta para a ciência e tecnologia, enquanto Cube é um museu de design que consiste em exposições e laboratórios exploratórios. Columbus abriga um exclusivo Teatro Terra, na forma de um planetário invertido e um cinema 3D concebido em parceria com a National Geographic.

Museumplein Limburg Kerkrade / Shift Architecture Urbanism, © Rene de Wit
© Rene de Wit

Juntos, esses elementos tornam-se um "museu sem fronteiras", onde os visitantes são considerados como participantes em vez de espectadores. Eles descobrem o mundo e seu lugar nele por meio da interação, participação e debate. Por isso, além de galerias do museu, Museumplein Limburg também oferece instalações compartilhadas para conferências, eventos, workshops e educação.

© Rene de Wit
© Rene de Wit

Composição das formas primárias vs. elaborada paisagem subterrânea

Acima do solo, o complexo aparece como uma composição de sólidos primários: um cubo, uma esfera e uma barra. Sua geometria pura e orientação omnidirecional contrariam o caráter amorfo e introvertido do museu existente. Cada edifício tem uma fachada feita sob medida que enfatiza sua forma pura e caráter livre. Os novos materiais industriais conectam-no ao edifício original, um antigo museu industrial.

© Henry van Belkom
© Henry van Belkom

Uma grande parte do novo programa, de 7.500 m², está localizado no subsolo. Ao estender a praça subterrânea (a principal característica do museu original) sob os novos volumes, uma paisagem subterrânea contínua é criada que liga todas as facilidades do Museumplein Limburg, tanto antigas como novas. Além da nova praça museu, essa paisagem escavada em concreto vermelho abriga um hall central de entrada, um restaurante, um pátio fechado e dois túneis de ligação para o Cube e Columbus.

© Rene de Wit
© Rene de Wit

Cubo

Cube, o museu de design, é realmente um cubo de 21x21x21 metros. Um embasamento de vidro cria a ilusão de um volume flutuante acima da paisagem vermelha. Juntamente com o pátio, este pedestal permite luz natural e vistas para o espaço de exposições temporárias localizado abaixo. Cube é uma máquina de exposições verticais, que oferece aos seus programadores liberdade e flexibilidade máxima. Os vários andares do edifício criam espaço para um conjunto mutante de laboratórios de design e exposições. O piso superior dispõe de um espaço para eventos multifuncionais que pode ser dividido em várias formas diferentes, por meio de um sistema curvo.

© Rene de Wit
© Rene de Wit

A estrutura do Cube é constituída por elementos pré-fabricados de concreto aparentes no interior. Sua qualidade inacabada e neutra permite que os designers de exposições apropriem-se dos espaços genéricos de acordo com um determinado tema. O único elemento formal especificamente no interior do Cube é a escadaria principal que conecta todos os espaços de galeria do museu vertical. É feito de pisos retos idênticos rotacionados, criando o efeito de uma cascata caindo em um vazio de 25 metros de altura.

© Rene de Wit
© Rene de Wit

Cube é envolto em uma cortina reflexiva revestida em aço que enfatiza o caráter vertical do museu. O efeito de cortina é obtido pela colocação aleatória de perfis verticais de três dobras diferentes que refletem a luz de forma diferente. A fachada é cortada por duas janelas idênticas: uma vertical, que revela os pisos de exposições empilhados, e uma horizontal que fornece o espaço multifuncional no piso superior com uma vista panorâmica sobre a paisagem de Limburg.

Museumplein Limburg irá programar o Cube em colaboração com o prestigiado German Red Dot Award, o Design Museum em Londres e Cooper Hewitt, Smithsonian Design Museum, em Nova York.

Detalhe
Detalhe

Esfera

Columbus é um edifício esférico, metade acima do solo e metade subterrâneo. A metade inferior acomoda o Teatro Terra, onde uma esfera de projeção espetacular, com 16 metros de largura e 9 metros de profundidade, pode ser vista de duas varandas de vidro em formato de argolas. Este planetário invertido oferece aos visitantes a experiência de um astronauta olhando para o planeta Terra. Na metade superior da esfera Columbus, sob a cúpula, está o primeiro cinema National Geographic 3D da Europa. Ela mostrará filmes e documentários produzidos pela National Geographic.

© Henry van Belkom
© Henry van Belkom

A cúpula do Columbus é feita de duas conchas de concreto projetado. O concreto foi pulverizado sobre uma armação geodésica preenchida com placas triangulares de isolamento EPS. A uniformidade da pele em concreto enfatiza a forma absoluta e sua densidade garante isolamento acústico das exposições sonoras no interior.

© Rene de Wit
© Rene de Wit

Barra

Uma parte importante das funções comuns no Museumplein Limburg está localizado no volume retangular de 80 metros de comprimento, pairando sobre a zona de entrada rebaixada. Com seu pedestal de vidro embutido, o feixe serve como uma grande copa para o passeio público entre a estação ferroviária e o centro da cidade que atravessa o distrito de museus. Além disso, marca as duas entradas de Museumplein Limburg com dois grandes balanços em ambas as extremidades.

© Rene de Wit
© Rene de Wit

A estrutura de ponte da barra permite o máximo de transparência entre a passarela pública ao nível do solo e o hall de entrada subterrâneo. Vigas treliçadas ao longo de ambas as paredes longitudinais são suportadas em algumas colunas inseridas aleatoriamente em combinação com elementos funcionais, tais como o poço do elevador. Esse sistema híbrido escapa da leitura rápida e faz com que a barra pareça flutuar. Ela é revestida em uma fachada modular preta com costelas salientes criando um peso que reforça a ideia de um volume flutuando no espaço.

Corte
Corte

Paisagem escavada

A nova praça afundada do museu forma o coração do Museumplein Limburg. Estende-se perfeitamente por baixo da barra flutuante que paira acima do hall de entrada de dupla altura. O hall de entrada linear serve como a espinha dorsal logística de toda a área dos museus. Visitantes descem para este espaço através de uma das duas escadas largas em ambas as extremidades: uma orientada para a estação de trem e a outra em direção ao centro da cidade.

© Rene de Wit
© Rene de Wit

Todas as escadas, paredes e pisos da parte escavada são feitos de um concreto uniforme vermelho para salientar o caráter conjunto do espaço. As paredes foram moldadas em fôrmas de pranchas de madeira rústica adicionando uma qualidade tátil que contrasta com os volumes abstratos acima do solo. A escavação do concreto vermelho, combinada com a experiência de descer abaixo do solo, referindo-se ao passado minerador de Kerkrade.

© Rene de Wit
© Rene de Wit

Ao situar a uma grande parte das funções no subterrâneo, a pegada construída no nível do solo foi minimizada, deixando assim espaço para passeios públicos que cruzam o complexo a este nível.

Detalhe
Detalhe

Integração do espaço público

As passarelas públicas que cruzam através do Museumplein Limburg incorporam firmemente o distrito de museus ao espaço público de Kerkrade. Da passarelam desenhada como uma faixa de pedestres ampliada, os pedestres podem ver as áreas animadas de Museumplein Limburg, como o hall de entrada, a praça rebaixada e a sala de exposições temporárias sob o Cube. O diálogo visual entre o museu e a área da estação aumenta a experiência tanto do visitante como do passageiro de trem.

© Rene de Wit
© Rene de Wit

Uma passagem transversal, perfurando através do hall de entrada, liga a Praça do Museu subterrânea ao terminal de ônibus do distrito no pátio. Essa passagem fornece aos passageiros do trem e ônibus acesso direto ao restaurante do museu, que pode funcionar como sala de espera, transformando a praça do museu em uma verdadeira extensão do domínio público de Kerkrade.

© Henry van Belkom
© Henry van Belkom

A combinação de espaço público e dos transportes com o distrito dos museus se encaixa perfeitamente na ideia de um "museu sem fronteiras", onde até mesmo os transeuntes se tornem participantes.

Corte
Corte

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Shift architecture urbanism
Escritório
Cita: "Museumplein Limburg Kerkrade / Shift Architecture Urbanism" [Museumplein Limburg Kerkrade / Shift Architecture Urbanism] 24 Jan 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/780604/museu-limburg-kerkrade-shift-architecture-urbanism> ISSN 0719-8906