O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Arquitetura De Escritórios
  4. Brasil
  5. Vernare Projetos
  6. 2013
  7. Casa Yucca / Vernare Projetos

Casa Yucca / Vernare Projetos

  • 05:00 - 3 Janeiro, 2016
Casa Yucca / Vernare Projetos
Casa Yucca / Vernare Projetos, © Pedro Vannucchi
© Pedro Vannucchi

© Pedro Vannucchi © Pedro Vannucchi © Pedro Vannucchi © Pedro Vannucchi + 25

  • Arquitetos

  • Localização

    São Paulo - São Paulo, Brasil
  • Equipe

    Maria Inês Jabur Zemella, Luciano Soares de Oliveira, Kelly Floreste
  • Área

    280.0 m2
  • Ano do projeto

    2013
  • Fotografias

  • Estagiários

    Luana Broner, Julia Jabur Zemella, Gustavo Stehling
  • Desenho do mural

    Julia Jabur Zemella
  • Estrutura, hidráulica e elétrica

    RM6 Engenharia
  • Luminotecnia

    Vernare Projetos
  • Fundações

    Constrauss
  • Mais informações Menos informações
© Pedro Vannucchi
© Pedro Vannucchi

cara de casa

Demos o nome de Casa de Trabalho Yucca ou Casa Yucca desde o momento em que pensamos na construção de um espaço que servisse de abrigo a várias empresas ou profissionais autônomos que tivessem em comum o desejo de trabalhar perto de casa num ambiente com cara de casa. A partir daí, juntamos materiais que lembrassem esse clima: a pedra portuguesa no piso, ladrilhos hidráulicos, muita madeira, uma escada leve, quintal com jardim, tudo inserido num quarteirão de bairro com criança brincando na rua e praça a dois quarteirões.

© Pedro Vannucchi
© Pedro Vannucchi

Yucca é um arbusto forte, habita nosso imaginário porque serve de abrigo a  milhares de ninhos de maritacas e não são simples ninhos, são verdadeiros condomínios, bem dentro do conceito do que sonhávamos fazer com essa casa de trabalho.

Plantamos uma Yucca no quintal da ceramista que ficou com o conjunto 04 do terceiro pavimento, pra fixarmos o referencial de partida das ideias. 

© Pedro Vannucchi
© Pedro Vannucchi

o terreno

O terreno que encontrei na região da estação Vila Madalena, estreito e longo, voltado para a região dos bairros de Sumaré e Pompeia, tem um aclive extremamente acentuado o que forçou à construção de 3 arrimos para amoldarmos a obra ao chão.

Planta - Térreo
Planta - Térreo

No projeto, estes arrimos deveriam festejar os “lances” que galgávamos do terreno e por isso separamos os revestimentos especiais para eles: ladrilho hidráulico ou pedra madeira no formato rachão marcando cada pavimento. 

© Pedro Vannucchi
© Pedro Vannucchi

o córrego, a mina e as casas

O córrego da Água Preta passa pelo aclive e se junta a uma mina que fica próxima à escada da Casa no pavimento térreo. Este córrego está hoje 100% subterrâneo e se junta a outros córregos até desaguar no rio Tietê. Parte do projeto hidráulico previu a utilização futura desta água da mina para irrigação dos jardins.

A existência do nível de água elevada no terreno nos levou a fundações profundas, acarretando cuidado redobrado com a vizinhança já presente há anos na rua.

Corte A
Corte A

Existem casas vizinhas com características de pequenas chácaras, durante o dia trabalhamos com galos cantando do outro lado da rua e nesta linha tínhamos que respeitar o perfil topológica da rua no momento de inserção da nossa casa. Altura, recuos, tudo devia estar num acordo com os vizinhos.

A casa, então, se acomodou discretamente entre os vizinhos, quase pedindo licença para apresentar o concreto, a madeira e a contemporaneidade ao bairro. 

© Pedro Vannucchi
© Pedro Vannucchi

ladrilhos e concreto

O ladrilho hidráulico é um elemento marcante na obra, ele brinca com o símbolo da Vernare em diversas composições. Respeitando a orientação de nunca inverter a “letra V”, representativa do nosso símbolo, torna-se o acabamento de dois dos três arrimos da casa. Por suas características e porosidade ele auxilia a conter e minimizar o respiro da terra por detrás destes arrimos.

© Pedro Vannucchi
© Pedro Vannucchi

O concreto aparente é o traço da arquitetura paulistana atemporal. Ele aparece nas estruturas e no bloco de elemento vazado do térreo, permitindo a dúvida na finalidade de uso da casa: será casa, será escritório? 

© Pedro Vannucchi
© Pedro Vannucchi

inquilinos e coworking

Respeitamos as diferentes necessidades dos inquilinos, mas no geral os ambientes buscam a informalidade, desfrutando das estruturas aparentes ,dispensando o uso de forros contínuos e de alvenarias que bloqueiem os salões. Penso que a exceção maior esteja no térreo: a psicóloga necessitava de um conforto acústico mais apurado, daí a inserção do gesso como forro e das paredes de drywall reforçadas entre ambientes e parcialmente por detrás do elemento vazado da fachada.

© Pedro Vannucchi
© Pedro Vannucchi

A ceramista e o assessor de imprensa caminharam mais na linha dos interiores do escritório da Vernare, que ocupa o conjunto do primeiro andar. Aliás, a própria Vernare auxiliou os inquilinos com a ocupação e os interiores.

© Pedro Vannucchi
© Pedro Vannucchi

Também era premissa fazer da casa um espaço de experiência de coworking onde todos pudessem usufruir dos melhores ambientes de copa e sala de reuniões, sendo que ambos ficaram no espaço de “porão”da Vernare, onde temos nossa sala de reunião reversível.

© Pedro Vannucchi
© Pedro Vannucchi

E isso vem ocorrendo, aumentando a sensação de integração dos andares e das pessoas numa convivência quase “doméstica”, nosso principal objetivo com a casa Yucca.

© Pedro Vannucchi
© Pedro Vannucchi

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Casa Yucca / Vernare Projetos" 03 Jan 2016. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/779638/casa-yucca-vernare-projetos> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.