O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Arquitetura Educacional
  4. Espanha
  5. Pereda Pérez Arquitectos
  6. 2016
  7. Jardim de Infância Pamplona / Pereda Pérez Arquitectos

Jardim de Infância Pamplona / Pereda Pérez Arquitectos

Jardim de Infância Pamplona / Pereda Pérez Arquitectos
Jardim de Infância Pamplona  / Pereda Pérez Arquitectos, © Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

© Pedro Pegenaute  © Pedro Pegenaute  © Pedro Pegenaute  © Pedro Pegenaute  + 18

  • Arquitetos

  • Localização

    Pamplona, Navarre, Espanha
  • Arquitetos Responsáveis

    Carlos Pereda, Óscar Pérez
  • Área

    1.630 m²
  • Ano do projeto

    2016
© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

Descrição enviada pela equipe de projeto. Neste projeto, o valor do terreno foi a principal restrição, e, sem considerá-lo, o projeto não seria fácil de entender. O lote, resultado de um projeto de realocação, localiza-se na beira de um subúrbio em Pamplona. Sua geometria tinha uma forma praticamente triangular, onde dois dos seus lados constituíam-se de paredes divisórias correspondentes à parte traseira de uma fileira de edifícios, enquanto que o terceiro lado, com o maior comprimento, foi orientado a sul, aberto à praça, onde o acesso é feito.

© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

Devido às condições extremas do terreno e o programa, pensamos que seria um exercício onde, primeiramente, o bom senso e a lógica deveriam ser impostos em relação ao uso do edifício e a prioridade de explorar a luz solar antes de qualquer outra abordagem de maior complexidade ou exuberância.

Planta Baixa
Planta Baixa

Por essa razão, a proposta não foi considerada como uma construção isolada numa localização agressiva; entendemos isso como o embasamento de edifícios pré-existentes. Por essa razão, consideramos que o projeto deveria manter esses valores e agir como tal. Dessa forma, ele foi conformado como uma célula independente, cujo perímetro de concreto é locado e integrado na base desta parede divisória. A partir disso, foram pensadas distintas formas de ventilar e iluminar, através de mecanismos arquitetônicos.

© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

O projeto do terreno e o programa esperado deveriam funcionar a partir do contraste adaptando-se às duas situações. De um lado o exterior tratado como um embasamento abstrato, de uma maneira ordenada, modular e categórica. E no outro, o interior da seção tratado como desigual, permeável, amigável e luminoso.

© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

O programa foi ajustado, basicamente, para cinco módulos de ensino, um grande espaço geral para organizar tais módulos e permitir que sejam utilizados como espaço de recreação, quando as condições climatológicas impedirem  o desfrute dos dois playgrounds ao ar livre, com suas também arcadas solicitadas, além de espaços internos adicionais para administração, serviços e instalações.

© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

Decidiu-se implantar, a partir da lógica organizacional, os módulos educacionais - entendidos como espaços principais - no único lado externo do terreno, a fim de garantir luz solar direta e as vistas para o espaço público. Desta decisão desenvolveu-se o restante do programa de uma forma natural com a restrição física do terreno. Os módulos de ensino foram centrados no desenvolvimento linear da borda quadrada para liberar aos seus lados e extremidades os espaços planejados de playgrounds externos, onde a própria geometria do lote tornou difíceis outros usos, reforçando a ideia de que os espaços previstos para as crianças sempre tivessem luz solar direta.

© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

Na parte interna do lote, um espaço entre duas paredes de apoio foi planejado como um local de serviço não público, administração e instalações organizadas em torno de um pátio que abastecem as necessidades primárias, luz solar e ventilação. Entre ambos os espaços que separam duas paredes de suporte, comunicando-as, loca-se o espaço central distribuidor do edifício, de trânsito, brincadeiras, múltiplos usos, e que ao mesmo tempo comunica-se diretamente com as arcadas e os playgrounds.

© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

Módulos educacionais, compostos por uma sala de aula, um dormitório, uma oficina e o banheiro, são organizados visando a continuidade física e visual. Exceto o dormitório que é isolado, para garantir o objetivo necessário.

© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

Em um terreno com uma grande profundidade contra uma única fachada, a proposta é articulada com mecanismos arquitetônicos de pátios e claraboias que garantem ao edifício as necessidades primárias de iluminação e ventilação.

© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

As claraboias, como mecanismos para captar a luz solar direta, são sobrepostas e aumentam de acordo com sua disposição na profundidade da planta, com o intuito de fazer a luz penetrar, e ao mesmo tempo melhorar o impacto visual da parede divisória, enquanto permanece harmonizado por esses volumes. E os pátios, difusores de luz indireta, reforçam a iluminação e geram uma atmosfera íntima em cada um dos módulos educacionais.

© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

O edifício apresenta dois acessos, o principal, inserido quase no centro da fachada, é o único ponto na grade que permite o acesso ao edifício da praça. Esta entrada permite o acesso à arcada e aos principais playgrounds ao ar livre.

Detalhe
Detalhe

Construtivamente, o projeto caracteriza-se pela utilização de componentes pré-fabricados de concreto. Em um dos lados, a laje nervurada permite espaços com vãos longos, versatilidade e velocidade de construção. E no outro lado da estrutura da fachada, também construída com concreto e com uma forma pré-moldada de concreto, torna o edifício especial. Isso, como mecanismo de proteção da escola para a praça que, sem isolar, garante quatro aspectos em que os projetos está focado: um controle adequado da luz solar, uma privacidade maior num edifício de tais recursos inserido no piso térreo, garantindo uma melhor presença deste no espaço público, assumindo e harmonizando o típico "caos" sob controle desses tipo de construção e, finalmente, unindo-o com os limites dos pátios externos construídos no mesmo estilo do edifício, tendo uma maior presença nas condições do terreno.

© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

O projeto, desde sua concepção, foi concebido sob uma forte preocupação ambiental. Sem dúvidas, tal orientação colabora notavelmente de um lado usando os recursos geotérmicos, como energias renováveis e limpas. Por outro lado, tornar o andar superior como uma área de jardim, além de melhorar o comportamento térmico do edifício, melhora o impacto visual, sendo uma construção térrea entre edifícios mais altos.

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Jardim de Infância Pamplona / Pereda Pérez Arquitectos" [Nursery School Pamplona / Pereda Pérez Arquitectos] 15 Nov 2015. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/776879/nursery-school-pamplona-pereda-perez-arquitectos> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.