O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Casas
  4. México
  5. Juan Ignacio Castiello Arquitectos
  6. 2014
  7. Casa do Lago / Juan Ignacio Castiello Arquitectos

Casa do Lago / Juan Ignacio Castiello Arquitectos

Casa do Lago / Juan Ignacio Castiello Arquitectos
Casa do Lago / Juan Ignacio Castiello Arquitectos, © Marcos García
© Marcos García

© Mito Covarrubias © Marcos García © Mito Covarrubias © Mito Covarrubias + 32

  • Colaboradores Coordenação

    Zarak Alaine Modad Betancourt, Alejandra Chávez Castiello, Gustavo Ramos Gallo, Diana Molina Alonso, Omar Robles Aldana, Rebecca López-Vera Martinez, Tadeo Emmanuel Jimenez Guzman, Julián Adalberto Garcia Figueroa, Adolfo Aguilar Alcantara, Alejandro de la O Robles, Luis Piña Plaza
  • Construção

    Ing. Jorge Varela Martinez Negrete
  • Decoração

    Karima Dipp
  • Superfície lote

    2,720 m2
  • Mais informações Menos informações
© Mito Covarrubias
© Mito Covarrubias

Descrição enviada pela equipe de projeto. PROBLEMA ARQUITETÔNICO

O programa deste projeto é uma casa de descanso para uma família de Guadalajara. O edifício faz parte de uma pequena área ecológica localizada sobre o pé dos morros que delimitam o lado de Chapala, próxima à cidade de San Juan Cosala, município de Jocotepec, Jalisco, México.

© Mito Covarrubias
© Mito Covarrubias

O lado de Chapala gera a seu redor um clima temperado muito confortável durante todo o ano, o que faz o clima local ser considerado um dos melhores do país. O terreno possui uma superfície de 2720 m². Conta com uma forma retangular irregular e com uma inclinação constante de 15% que desce até o lago em direção norte-sul.

Planta
Planta

Os clientes, um casal de união sólida, estão casados há 35 anos. Eles têm 5 filhos com idades entre 32 e 17 anos: 1 mulher (a mais velha) e 4 homens. Queriam uma casa "gostosa, funcional, prática, acolhedora, ampla, ventilada, fresca e de fácil manutenção. Que conte com bangalôs para os filhos e convidados, e também com um espaço aberto de oração. Que seja um lugar cativante, que sintamos falta ao ir embora e alegria ao voltarmos.".

© Mito Covarrubias
© Mito Covarrubias

INTENÇÃO DO PROJETO

Por tratar-se de uma casa de descanso, buscou-se gerar no usuário experiências diferentes das que se vivem cotidianamente na cidade, por meio de espaços diversos, de ambientes informais e livres, de passeios surpreendentes que estimulem a descobrir e aproveitar o lugar, que propiciem um diálogo constante entre usuário e entorno - com os morros, com a casa, com o lago.

© Mito Covarrubias
© Mito Covarrubias

Tentou-se diminuir o impacto da construção total da casa no conjunto, que a casa falasse por si mesma sem ser invasiva no local, que se integrasse à paisagem com propriedade, buscando esse sutil equilíbrio da elegância. A intenção foi que os majestosos morros descessem ao edifício, que tomassem parte no jardim e que subissem à casa. Tínhamos claro que quanto maior superfície de jardim silvestre, maior sua integração ao contexto e menor o custo de sua manutenção.

Planta
Planta

Tanto o gênero arquitetônico, como o lugar sugeriam para a casa uma linguagem dinâmica, festiva e livre, que em um primeiro momento fizesse reverência ao sul, ao imponente lado de Chapala (maior lago do México). E em um segundo momento, que se reverenciasse ao norte, aos majestosos morros, que foram, para o lago, suas constantes testemunhas, seus fiéis guardiões.

© Mito Covarrubias
© Mito Covarrubias

Tratou-se de respeitar a necessidade de independência, tanto dos filhos - de acordo com suas idades - como dos convidados, motivo pelo qual optou-se pelos bangalôs separados da massa principal da casa. A localização destes, assim como do espaço de oração, foram determinados pelos passeios ao longo do terreno, para otimizar e aproveitar todo o edifício.

© Mito Covarrubias
© Mito Covarrubias

Buscou-se utilizar as energias renováveis passivas, como o sol e os ventos com o objetivo de manter a casa ventilada e fresca de forma natural, e também para diminuir os custos com energia elétrica. Havia uma vista tendenciosa extraordinária da borda das margens do morro encontrando o lago, o problema é que ela coincidia com um vício cultural que acredita que a orientação oeste é ruim. Convencemos os clientes a aproveita-la com a grande convicção de hoje não existem "más orientações", mas más soluções.

© Mito Covarrubias
© Mito Covarrubias

DESCRIÇÃO DA OBRA

O conjunto foi resolvido dividindo-se o edifício, basicamente, em 3 plataformas de forma escalonada, respeitando a inclinação natural do terreno. A massa principal da casa foi implantada sobre a plataforma mais alta do projeto, que é a que oferece as melhores vistas do lago e a partir de onde se experimenta uma maior sensação de domínio. Implantou-se um bangalô de dois dormitórios mais serviços em cada uma das plataformas restantes.

© Mito Covarrubias
© Mito Covarrubias

A massa principal da casa foi projetada em dois pavimentos. No térreo, situam-se a sala principal (que por abrir-se totalmente ao exterior funciona como varanda), a cozinha e seu terraço privado (dimensionada para poucas pessoas) e, por último, os espaços de serviço que foram colocados na esquina nordeste do edifício, tais como: lavanderia, dormitório e banheiro de serviço, assim como a dispensa etc. Na planta superior localizam-se 3 dormitórios com vista ao lago e uma sala com vista aos morros. O dormitório principal ocupa o local de domínio, autoridade e hierarquia que corresponde a ele. Com o dormitório 3 aproveitou-se a vista do lago do oeste, e esta orientação radical foi solucionada através de uma treliça deslizante de madeira que contribui para gerar um espaço flexível e ambivalente.

Planta
Planta

Os bangalôs foram projetados com base em dois critérios fundamentais: evitando obstruir vistas ao lago da plataforma imediatamente mais alta e fundindo, tanto suas janelas com os muros de contenção, como seus telhados verdes com os jardins superiores. O bangalô da plataforma mais baixa, por não ter vista ao lago, foi implantado na esquina sudeste do edifício com a intenção de criar um espaço diferente do restante, mais delimitado e mais íntimo, originando, com seu traço, uma homenagem ao velho cactus silvestre.

© Marcos García
© Marcos García

Ver a galeria completa

Sobre este escritório
Cita: "Casa do Lago / Juan Ignacio Castiello Arquitectos" [Casa del Lago / Juan Ignacio Castiello Arquitectos] 20 Jun 2015. ArchDaily Brasil. (Trad. Brant, Julia) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/768435/casa-do-lago-juan-ignacio-castiello-arquitectos> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.