O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Casas
  4. Peru
  5. Nomena
  6. 2013
  7. Casa Archipielago / Nomena

Casa Archipielago / Nomena

  • 20:00 - 17 Junho, 2014
  • Traduzido por Isabela Costa
Casa Archipielago / Nomena
Casa Archipielago  / Nomena, © Juan Solano
© Juan Solano

© Juan Solano © Juan Solano © Juan Solano © Juan Solano + 15

  • Construtor

    Eng. Zosimo Palomino
  • Estruturas

    Eng. Cesar Villegas
  • Elétrica e Hidráulica

    Eng. Jose Luis Vega
  • Cliente

    Rizo Patron - Eguren
  • Área do Terreno

    550 m²
  • Mais informações Menos informações
© Juan Solano
© Juan Solano

Descrição enviada pela equipe de projeto. A Casa Archipielago explora uma arquitetura fragmentada. Utiliza o tipo de escala doméstica fragmentando o programa ao mesmo tempo que promove a interação nos espaços intersticiais. Localiza-se ao norte do Peru, Piura, Vichayito, longe da costa e muito isolada na imensidão do deserto. Não estamos unicamente interessados na vista do oceano, mas também na bela vista das dunas e do deserto peruano.

© Juan Solano
© Juan Solano

Se utiliza a ideia de um conjunto de peças que podem acomodar muitos usos e usuários. Este conjunto repensa a relação entre os volumes, entre os espaços interiores e exteriores. Sua condição isolada não necessita de fachadas e laterais, podendo ser explorada por todos os lados e perceber o ambiente de várias maneiras.

Isométrica
Isométrica

Embora localizado em terreno trapezoidal, o conjunto encontra-se fora do perímetro, gerando e implementando uma ordem própria ao local. Cada volume tem um uso determinado e condições espaciais específicas. Assim, a sala de estar, o dormitório principal, os dormitórios secundários e o volume de serviço foram separados para tensiona-los entre si, criando espaços informais para atender e realizar atividades diversas. Logo aparecem os usos não determinados entre os edifícios.

© Juan Solano
© Juan Solano

A encosta íngreme no eixo norte-sul é dotada de um pódio que busca dilatar os limites e conter o espaço. Como nas obras de Mies van der Rohe, este pódio nos permite transformar o território em uma fronteira clara das peças que ele contém. Estes parecem membros de corpos indiferenciados e adquirem a lógica de um arquipélago: um grupo de ilhas em um mar que as separa e une concomitantemente.

© Juan Solano
© Juan Solano

É escolhida uma materialidade estéril que permita diferenciar a arquitetura do entorno; que revele a presença de um objeto artificial na natureza. Pretende-se ainda que a arquitetura seja transparente, permitindo a visão através dos volumes para perceber o Oceano Pacífico a partir das dunas do deserto.

Planta
Planta

A entrada é composta pela tensão entre prismas abstratos. A sala principal é um cubo de 6m, independente, alterado por suas necessidades espaciais e visuais externas. O interior é austero, de madeira de pinho em estado rústico. As visuais diferentes fazem parte experiência visual interna, tentado dilatá-la a novos limites. O piso externo torna-se um material contínuo, um tapete que desliza pelo pódio, emoldurando a pouca vegetação do deserto peruano.

© Juan Solano
© Juan Solano

A sala de estar principal é configurado por um volume horizontal, aberto e transparente. Uma cobertura única de um só nível que gera a sombra necessária para abrigar as diversas atividades sociais. Os volumes subsequentes dos dormitórios buscam maior altura para aproveitar as visuais mais distantes. O pódio aparece como um elemento unificador dos volumes, apesar de diferenciar-se do entorno. Os espaços residuais, contidos pelo agrupamento de volumes, diminuem o limite entre o próprio e o distante, vinculando o horizonte através deles mesmos.

Croquis
Croquis

Finalmente, o projeto responde à busca de uma arquitetura consciente de seu passado e livre de seus limites, que se propõem a ser abstrata, transparente, fluída e aberta.

Ver a galeria completa

Sobre este escritório
Nomena
Escritório
Cita: "Casa Archipielago / Nomena" [Casa Archipielago / Nomena] 17 Jun 2014. ArchDaily Brasil. (Trad. Costa, Isabela) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/621139/casa-archipielago-slash-nomena> ISSN 0719-8906