O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Galeria
  4. Reino Unido
  5. RCKa
  6. Galeria Open Eye / RCKa

Galeria Open Eye / RCKa

  • 13:00 - 21 Maio, 2014
  • Traduzido por Camilla Sbeghen
Galeria Open Eye / RCKa
Galeria Open Eye / RCKa, © Mark Reeves
© Mark Reeves

© Mark McNulty © Mark Reeves © Mark Reeves Cortesia de RCKa + 10

© Mark McNulty
© Mark McNulty

Descrição enviada pela equipe de projeto. A Galeria Open Eye é uma galeria fotográfica com financiamento público localizada nas docas de Liverpool. O edifício faz parte do mais amplo complexo Mann Island, dentro de um patrimônio mundial da UNESCO.

O projeto equilibra os requisitos curatoriais específicos com a necessidade de criar um espaço único e envolvente, com um orçamento limitado. O desejo de tornar a arte mais acessível ao público levou a uma abordagem que desvendou o valor máximo desse local, proporcionando mais espaço para a galeria do que estava inicialmente previsto.

Cortesia de RCKa
Cortesia de RCKa

Uma grande variedade de espaços da galeria são fornecidos ao público e, sempre que possível, o edifício abre-se para o seu entorno a fim de anunciar a presença da Galeria, envolvendo, assim, os transeuntes e incentivando os visitantes. Há três espaços de exposição internos, cada um com distinto caráter e propósito: começando pela Galeria Um, com seu espaço de altura dupla logo na entrada principal; até a Galeria Três, que acomoda exposições de menor escala do vasto arquivo fotográfico; a Galeria Dois é aberta à cidade e acomoda eventos e palestras de artistas, animando assim a fachada leste e anunciando as atividades da galeria para o público em geral. O limite entre os espaços distintos dentro da galeria é marcada por corredores de carvalho manchados de escuro, que são ao mesmo tempo íntimos e táteis.

Planta Baixa - Primeiro Pavimento
Planta Baixa - Primeiro Pavimento

Uma característica fundamental do projeto é a introdução do Muro Oeste entre a Galeria e o espaço público coberto. A parede fornece uma tela estimulante para instalações; trazendo o interior da galeria para fora e diretamente para o olhar do público; permitindo que a galeria se aproprie do área pública coberta como seu quarto espaço. A forma de dobradura da parede, contrasta propositalmente com o caráter do edifício Mann Island e divertidamente se move em torno da linha de colunas na sua frente. A forma aproveita ao máximo a oportunidade de conectar-se com o público e cria um local de grande visibilidade para a livraria, sem comprometer a qualidade espacial da Galeria Um.

© Mark Reeves
© Mark Reeves

O Muro Oeste é feito de Corian semi-translúcido, que lhe confere uma qualidade limpa e etérea. Isto contrasta com os elementos mais tangíveis, como as maçanetas das portas de bronze e o carvalho, não tratado, da recepção carvalho que irá manchar com a idade e o uso.

O novo edifício tem dado maior presença a Galeria Open Eye aumentando o número de visitantes de uma média de 6-7.000 para 53.000 visitantes em seu primeiro ano de abertura.

Planta Baixa - Térreo
Planta Baixa - Térreo

A maior visibilidade aumentou a renda auto-gerada da galeria através de vendas no varejo, doações e aluguéis dos espaços. O aumento no número de visitantes levou a um crescimento de 9% no financiamento de receitas do Conselho de Artes da Inglaterra no momento em que a ACE liderava em capital e financiamento de receitas em todo o país. O edifício, portanto, não apenas possibilitou a expansão do programa da Galeria Open Eye; mas também assegurou seu futuro financeiro.

© Mark Reeves
© Mark Reeves

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato. Cita: "Galeria Open Eye / RCKa" [Open Eye Gallery / RCKa] 21 Mai 2014. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/602204/galeria-open-eye-slash-rcka> ISSN 0719-8906