O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Arquitetura Cultural
  4. Espanha
  5. IDOM
  6. 2013
  7. Arquivo Histórico do País Basco / ACXT

Arquivo Histórico do País Basco / ACXT

  • 12:00 - 30 Abril, 2014
  • Traduzido por Arthur Stofella
Arquivo Histórico do País Basco / ACXT
Arquivo Histórico do País Basco / ACXT, © Aitor Ortiz
© Aitor Ortiz

© Aitor Ortiz © Aitor Ortiz © Aitor Ortiz © Aitor Ortiz + 49

  • Arquitetos

  • Localização

    Rua María Díaz de Haro, 3, 48013 Bilbao, Biscay, Espanha
  • Arquiteto projetista

    Gonzalo Carro
  • Diretor de projeto

    Gonzalo Carro
  • Área

    8550 m²
  • Ano do projeto

    2013
  • Fotografias

  • Category

© Aitor Ortiz
© Aitor Ortiz

Corte 1
Corte 1

A edificação se localiza na Rua María Díaz de Haro, próximo à avenida principal da cidade de Bilbao, a Gran Via. O terreno mede 20 metros entre as empenas dos edifícios adjacentes por 70 metros de profundidade, e faz parte de um dos blocos do Ensanche (alargamento da cidade) de Bilbao.

© Aitor Ortiz
© Aitor Ortiz

Abaixo do solo o edifício ocupa todo o lote. Acima do solo ele tem 25 metros de profundidade, seguindo os critérios estabelecidos na legislação de planejamento.

© Aitor Ortiz
© Aitor Ortiz

O programa é organizado por pavimento, dependendo do grau de controle de acesso dos diferentes usos da edificação.

© Aitor Ortiz
© Aitor Ortiz

O térreo, primeiro pavimento e parte do primeiro subsolo são espaços públicos de livre acesso: saguão principal, área de recepção, e diversas salas de exposição que também podem ser utilizadas como um espaço multifuncional. Através do saguão no térreo pode-se acessar o jardim, um espaço designado para acomodar diferentes usos, como exibições ao ar livre, área de leitura ou área para projeções de filmes.

© Aitor Ortiz
© Aitor Ortiz

No segundo pavimento está a sala de leitura e a área de consulta de documentos, acessada pelo público após credenciamento na recepção.

© Aitor Ortiz
© Aitor Ortiz

Nos outros níveis acima do solo estão as áreas de administração, laboratórios e áreas de processamento de documentação. Estas são áreas restritas ao público. Abaixo do solo, e também para uso privado, estão os cofres de documentos, salas de reunião e estacionamento. Estes espaços são acessados ​​diretamente do nível da rua através de um elevador para carros.

© Aitor Ortiz
© Aitor Ortiz

A fachada principal foi concebida como uma vibrante frente de vidro que aumenta a percepção do edifício, rompendo com planicidade da rua e dando ênfase a sua localização. O projeto procura grande transparência, permitindo que o funcionamento do edifício e a estrutura possam ser entendidos do exterior. A pele de vidro exterior é estampada com trechos de textos de alguns dos documentos preservados dentro do arquivo, de tal forma que o edifício não é visto como lugar fechado, privado e fechado a partir do cidadão.

© Aitor Ortiz
© Aitor Ortiz

A fachada interior foi projetada com uma linguagem que tenta estabelecer um diálogo formal com o resto dos edifícios do bloco, mantendo o caráter contemporâneo do edifício. Esta fachada e jardim procura projetar uma imagem amigável para os usuários do pátio, dignificando uma tipologia normalmente negligenciada nos edifícios da Ensanche.

© Aitor Ortiz
© Aitor Ortiz

No interior do edifício, optamos por utilizar um pé direito duplo, com pontos de passagem visíveis que irão enriquecer a relação entre os diferentes usos existentes no edifício. As áreas de trabalho planejadas são claras, livre de colunas e flexíveis, a fim de facilitar a adaptação às possíveis alterações funcionais.

© Aitor Ortiz
© Aitor Ortiz

Como a maior parte do programa foi desenvolvido no subsolo, o uso da luz natural e ventilação foi maximizada, de tal forma que os saguões para acessar os cofres de documentos ou garagem, que fica a 20 metros abaixo do nível do solo, contam com luz e ventilação natural. O núcleo de comunicações verticais e o núcleo dos sanitários do edifício, acima do nível do solo, também contam com luz natural. Como resultado, a maioria dos espaços e áreas de circulação são claras e agradáveis.

As paredes do subsolo, que ocupam todo o lote, foram executadas usando a técnica de hydrofraise, permitindo-lhes ser finalizadas antes da escavação se iniciar no terreno rochoso. Esta decisão significa que os tempos de execução das obras do subsolo foram encurtados e os efeitos da vibração sobre os edifícios adjacentes (alguns com quase 100 anos) foram significativamente reduzidos.

© Aitor Ortiz
© Aitor Ortiz

Os três primeiros pisos subterrâneos abrigam o arquivo de documentos, com capacidade para 20 quilômetros lineares de prateleiras; equipado com um sistema de condicionamento de ar para controlar a temperatura e umidade, bem como um sistema de protecção contra incêndios.

Arquivo Histórico do País Basco / ACXT, © Aitor Ortiz
© Aitor Ortiz

Foi pojetado um sistema de condicionamento de ar altamente eficiente que incorpora a recuperação da entalpia e um sistema de refrigeração livre, aproveitando ao máximo as condições internas e externas para reduzir o consumo de energia. Além disso, no pátio foi criado um jardim com vegetação que ajudará a resfriar o ar nos meses mais quentes do ano, permitindo que o sistema funcione de forma mais eficiente.

A energia utilizada para a iluminação é limitada pelo uso de equipamento de alto desempenho e tira vantagem de luz difusa para iluminar todas as áreas no subsolo e garagem. Apesar da profundidade de 20 metros, o uso de cores claras e poços de luz tornas estes espaços bastante claros durante os períodos diurnos, abrindo mão de iluminação artificial.

  • Colaboradores

    Ion Zubiaurre, Javier Manjón, Oscar Ferreira da Costa
  • Gerência do Projeto

    Gonzalo Carro
  • Custo

    Gabriel Bustillo, Fco. Javier Ruiz de Prada, Agurtzane Insa
  • Estruturas

    Miguel Angel Corcuera, Romina González
  • Engenhearia Ambiental

    Álvaro Gutierrez-Cabello, Rafael Pérez, Mikel Aguirre, Lorena Muñoz
  • Iluminação

    Álvaro Gutierrez Cabello, Miguel García, Susaeta iluminación
  • Serviços de Saúde Publica

    Álvaro Gutierrez Cabello, Lorena Muñoz
  • Engenharia Elétrica

    Álvaro Gutierrez Cabello, Miguel García
  • Telecomunicações

    Alvaro Gutierrez Cabello Arce, Estibaliz Lekue, Ignacio Alcázar
  • Design Gráfico

    Natalia González Matrelle, Roberto Fernández de Gamboa, Inés Uribarren Rua
  • CAD

    José Ramón Rodríguez, Carlos Olmedillas, Virginia Martín, Luis Miguel Escalona, Rebeca Pesquera
  • Administração

    Sonia López, Blanca Ugarte, Rosa Gutierrez
  • Supervisão do Terreno

    Gonzalo Carro
  • Gerência Executiva do Projeto

    Gabriel Bustillo
  • Construtor

    FERROVIAL Agroman SA

Ver a galeria completa

Localização do Projeto

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Escritório
Cita: "Arquivo Histórico do País Basco / ACXT" [Historical Archive of the Basque Country / ACXT] 30 Abr 2014. ArchDaily Brasil. (Trad. Stofella, Arthur) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/601349/arquivo-historico-do-pais-basco-slash-acxt> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.