O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Espaços Fúnebres
  4. Holanda
  5. Atelier PUUUR
  6. 2012
  7. Pavilhão para Funerais Islâmicos / Atelier PUUUR

Pavilhão para Funerais Islâmicos / Atelier PUUUR

Pavilhão para Funerais Islâmicos / Atelier PUUUR
Pavilhão para Funerais Islâmicos / Atelier PUUUR , © Teo Krijgsman
© Teo Krijgsman

© Furkan Köse © Furkan Köse © Furkan Köse © Teo Krijgsman + 34

  • Arquitetos

  • Localização

    Kruislaan 126, 1097 GA Amsterdam, Holanda
  • Arquiteto Responsável

    Furkan Köse
  • Paisagismo

    Karres & Brands Landschapsarchitecten
  • Área

    190.0 m2
  • Ano do projeto

    2012
  • Fotografias

© Teo Krijgsman
© Teo Krijgsman

Construiu-se este ano, no Cemitério Oriental, o primeiro edifício com instalações completas para funerais islâmicos na Holanda, permitindo uma despedida e um enterro dignos. O novo cemitério islâmico próximo a ele é também o maior local de sepultamento islâmico na Holanda com espaço para cerca de 1.400 sepulturas. O edifício foi projetado pelo escritório de arquitetura Atelier PUUUR, de Amsterdam.

© Furkan Köse
© Furkan Köse

O novo cemitério islâmico localiza-se no sudoeste do Cemitério Oriental, com uma segunda entrada no Rozenburglaan. O pavilhão possui muitas facilidades para os rituais funerários islâmicos.
Desde o início do projeto, organizações muçulmanas de diversas etnias foram envolvidas no desenvolvimento. Notavelmente, todos estão unidos pela primeira vez, na Plataforma Islâmica para Enterros de Amsterdam (PIBA), onde turcos, marroquinos, surinameses, indonésios e muçulmanos paquistaneses estão representados.

© Furkan Köse
© Furkan Köse

Com a construção deste local, que atende aos requerimentos necessários para os ritos fúnebres islâmicos, é formado um marco para a integração da comunidade muçulmana. O advento deste lugar é uma contribuição essencial para a cidade e para a comunidade muçulmana em Amsterdam. O modelo do edifício foi recentemente incluído na coleção do Museu de História de Amsterdam.

© Teo Krijgsman
© Teo Krijgsman

Meca
Os princípios para o projeto são os eixos no parque e a orientação para Meca. Estas duas linhas fornecem uma contorção angular, que é visível nas fachadas. Os espaços triangulares formados por esse ato são como um intermediário entre o interior e o exterior. A relação espacial entre o parque, os espaços ao ar livre e interiores é essencial. As transições entre os mesmos são mantidas de uma maneira gradual, com a introdução dos espaços semi-fechados ao ar livre, sem limites rígidos entre o interior e o exterior.

© Teo Krijgsman
© Teo Krijgsman

A orientação à Meca é utilizada para fornecer ao volume uma especial percepção espacial. O pavilhão possui um caráter enclausurado que garante a intimidade desejada. Em um dos lados, a frente dobra-se para dentro e convida para a entrada no prédio. Por outro lado, a fachada traseira abre-se inteiramente ao jardim do cemitério através de grandes janelas e portas.

© Teo Krijgsman
© Teo Krijgsman

Paraíso
O salão de oração central tem vista para o longo eixo horizontal no jardim do cemitério. Este espaço pode também ser usado para além da oração, em homenagens personalizadas das famílias e amigos, o que pode ser incorporado às tradições funerárias holandesas. O pátio adjacente ao espaço de limpeza corporal é uma referência ao jardim do paraíso e forma uma verticalmente orientada, localização tranquila no edifício. A vista horizontal do cemitério é justaposta à visão vertical do céu - referindo-se ao terreno em frente ao celestial. A grande árvore de oliveira, que é considerada no Alcorão um símbolo de paz, amor, fé, força, vitória, e uma visão positiva para o futuro.

© Teo Krijgsman
© Teo Krijgsman

A luz natural é uma parte consciente do projeto. Como o salão principal com claraboias difusas permite que o coração do edifício seja iluminado de forma suave. Nos pátios, tanto na entrada principal quanto no pátio, a luz do sol entra pelos buracos na cobertura e garante que estes espaços estejam sempre iluminados. Assim, os visitantes que entram no edifício sempre caminham em direção à luz.

© Teo Krijgsman
© Teo Krijgsman

As fachadas de mármore travertino turcos são imprensadas ​​entre elementos em concreto branco pré-moldados. O volume é ligeiramente levantado da terra, tornando o edifício parecer mais leve e flutuante.

© Furkan Köse
© Furkan Köse

Infinito
Já na fase de concepção do edifício, um mosaico de cerâmica na parede  é desenvolvido para a fachada frontal, em colaboração com a artista Rem Posthuma. Este tipo de cooperação estreita e precoce, com a obra de arte  bem integrada na fachada, é uma referência para a ornamentação islâmica. Os padrões infinitamente contínuos são uma referência para o infinito da alma, já que o Islã é baseado em uma ressurreição geral da humanidade no dia do Juízo Final.

© Furkan Köse
© Furkan Köse

Colocado ao lado da entrada, esta constitui o ponto de reconhecimento e convida a ser visto e explorado a partir de uma distância e de perto. O jardim do cemitério foi projetado pelo escritório de paisagismo Karres en Brands Landscape Architects. O longo eixo longo no meio do jardim aponta na direção de Meca e integra-se ao interior, com o salão principal do edifício.

Fachada
Fachada

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Pavilhão para Funerais Islâmicos / Atelier PUUUR " [Islamic Funeral Pavilion / Atelier PUUUR ] 30 Jan 2013. ArchDaily Brasil. (Trad. Delaqua, Victor) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/93842/pavilhao-para-funerais-islamicos-slash-atelier-puuur> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.