O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Apartamentos
  4. França
  5. Rh+ Architecture
  6. 2012
  7. Plein Soleil / rh+ architecture

Plein Soleil / rh+ architecture

  • 17:00 - 19 Agosto, 2013
  • Traduzido por Naiane Marcon
Plein Soleil / rh+ architecture
Plein Soleil / rh+ architecture, © Luc Boegly
© Luc Boegly

© Luc Boegly © Luc Boegly © Luc Boegly © Luc Boegly + 33

  • Arquitetos

  • Localização

    15 Rue Riquet, 75019 Paris, França
  • Alta Qualidade Ambiental

    RFR éléments
  • Estrutura

    EVP Ingénierie
  • Eletricidade/Ventilação/Economia

    TECH Ingénierie
  • Fachada

    T/E/S/S atelier d’ingénierie
  • Construtora geral

    Capaldi Construction
  • Área

    2560.0 m²
  • Ano do projeto

    2012
  • Fotografias

© Luc Boegly
© Luc Boegly

Descrição enviada pela equipe de projeto. A situação do lote no número 16 da rua Riquet é excepcional: amplamente visível a partir da esquina da Avenue de Flandre, é muito próximo do Bassin de la Villette e tem uma extensão de 36 metros de fachada sul com uma profundidade que varia de 18 a 22 metros. O edifício na esquina da Avenue de Flandre construído em ângulos retos, assim como os pequenos edifícios com pisos adjacentes ao lado oeste, o contexto de um toque "faubourg" muito valioso. Do outro lado da mesma rua, a grande empena do número 14 permite que o novo edifício seja construído acima. A totalidade dessas características traz um rico potencial urbano. Nosso projeto busca fazer o máximo na configuração e no projeto do novo edifício.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

O proprietário tem um terreno vazio de 700 metros quadrados localizado na Rua Riquet no 19th arrondissement de Paris, próximo ao le Bassin de la Villette e Avenue de Flandre. Ele decidiu construir 28 unidades de aluguel livre com uma creche no pavimento térreo (administrada pela associação “ABC childcare”). Algumas opções foram óbvias: - Desenvolver uma abordagem ambiental no primeiro estágio do projeto, com a integração de consultores de engenharia especializados em "Alta Qualidade Ambiental", RFR Elements, - Aproveitar ao máximo a fachada linear. - Mover gradualmente para oeste a partir do prédio vizinho e criar vistas para o novo edifício. - Ciar um jardim no fundo do terreno e uma forma de levar ao bloco de apartamentos a partir da parte posterior do lado norte.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

O que a operação busca: O proprietário junto com seu projeto delegado AURIS estabeleceu os alvos seguintes: Obter um projeto robusto e duradouro, com uma assinatura arquitetural. - Otimizar a capacidade do edifício para receber a proporção de área bônus através do BBC Label com o certificado HQE.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

Criar um edifício combinando os valores de gestão de projeto particularmente nos aspectos a seguir: estética e interação urbana, qualidade e sustentabilidade. Respeitar as seguintes restrições:- Criar premissas de negócios no pavimento térreo para se tornar futuramente uma creche administrada por uma associação. - Otimizar o design do edifício para reduzir custos operacionais e portanto os custos cobrados aos inquilinos. - Otimizar custos de manutenção. - Reduzir consumo de energia. - Oferecer uma distribuição equilibrada de tipologias.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

Através de ventilação no verão, muito apropriada para refrescar os apartamentos à noite e portanto diminuir os picos de calor. Para assegurar um projeto termicamente eficiente, perdas devem ser minimizadas. A performance térmica do envelope foi obtida através da eliminação sistemática de pontes térmicas. Isso foi feito por: -  A escolha do isolamento a partir do exterior (material antes da laje de isolamento). - O uso de ruptura térmica no lado sul para separar a estrutura térmica na frente da fachada interior (parte sem aquecimento) de dentro dos apartamentos. - A escolha de um console do lado norte pretendia transportar por um período limitado o piso dos corredores.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

A fachada sul é organizada pelo princípio de loggia. O limite térmico fica na proporção de 30% de vidros opacos e duplos muito eficientes na fachada interna. O plano da janela que desliza no exterior é uma simples vidraça ligeiramente impressa para os dormitórios e transparente para os espaços de estar. No inverno e no começo/final da meia estação, durante o período de calor que geralmente vai do meio de outubro até o meio de março, estas loggias fazem o papel de um espaço intermediário cuja função do ponto de vista térmico pode ser desenvolvido de três formas: - função de proteger a vidraça interna dos efeitos do vento, o que resulta em aumento da transferência de calor e infiltração de ar frio, - função de acumular calor quando o clima estiver ensolarado e a loggia exposta à insolação direta, a temperatura é então mais alta do que a externa, - função de preaquecer o ar fresco, entradas para ventilação mecânica sendo localizadas do lado de fora dos espaços da loggia (apropriado no que se diz respeito a energia e conforto térmico).

© Luc Boegly
© Luc Boegly

Como projeto vencedor da chamada de projetos de construção de baixo consumo (BBC) de ADEME 2010, e tendo obtido o certificado Cerqual H & E perfil A, oferecemos uma filosofia de abordagem ambiental limpa. O projeto é parte de um lote de alta qualidade caracterizada por uma fachada linear sul significativa. Antes do trabalho de esboço ser realizado, a equipe de projeto manteve o foco em questões ambientais, então em nossa resposta a questão está intimamente ligada à oferta de arquitetura e enraizada em elementos fundamentais de qualidade de vida.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

Quanto a planta baixa e organização espacial, as qualidades do projeto são óbvias: todos os apartamentos e banheiros recebem luz do sol.  E mais, cada apartamento se abre amplamente no lado sul para obter o máximo de sol. As qualidades ambientais internas do nosso projeto consistem em: - Uma oferta de sol livre na fachada sul. - Possibilidade de ventilaçao no verão, apropriada para resfriar os apartamentos à noite e diminuir os picos de calor.- Estas qualidades tem um grande impacto no conforto mas também no consumo de energia: menos aquecimento necessário no inverno e no verão, nenhum desconforto que provavelmente levaria ao uso de aparelhos de ar condicionado, desastrosos em termos energéticos e ambientais. Também devemos mencionar que, altamente apropriado do ponto de vista ambiental, o fato das partes em comum serem majoritariamente externas: isso reduz consumo de aquecimento, iluminação artificial e portanto os custos.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

O aproveitamento máximo da fachada sul foi conseguido através do projeto de uma fachada térmica junto com espaços abertos privados que aumentam o conforto e qualidade dos apartamentos. A loggia é uma área intermediária que consiste em duas paredes de vidros deslizantes que podem abrir e fechar de acordo com as variações de temperatura. Este conceito traz várias funções: - Uma função de proteção: perdas de calor são reduzidas. - Uma fonte livre de calor através do sol: este calor é absorvido pelo piso e pelas paredes e liberado durante a noite. - Dadas as 1.700 horas sol por ano, esta oferta é particularmente significativa em termos de economia energética. - A função de preaquecer o ar frio, através de ventilação mecânica controlada.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

Esta fachada "grossa" consiste em loggias externas ao longo das áreas de estar e dos dormitórios fornece um belo pátio. A profundidade dessa loggias permite que mesas e cadeiras aproveitem o sol. Como extensões das áreas de estar, algumas das loggias tem vãos de vidro transparente em dois níveis. Este espaço extra pode ser aberto ou fechado dependendo da luz do sol. É tanto uma sacada quanto um jardim de inverno. Como extensões dos quartos, as loggias tem vãos de vidro transparente no primeiro plano e vãos de vidro blindado para a rua. Este tratamento filtra vista e sol para maior privacidade.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

Os edifícios vizinhos  no número 18 da rua Riquet tem uma identidade própria: formas um complexo com um toque muito “faubourg” no tipo e altura dos prédios e na imbricação dos lotes. Parece-nos que de várias formas havia uma conexão forte entre o projeto e este complexo: - deve haver respeito na forma como os edifícios são conectados, o projeto não deve esmagar os prédios existentes ou fazer muita sombra sobre eles. - O projeto deve oferecer apartamentos abertos ao exterior com vistas para oeste (boa posição, voltada para direções múltiplas). - A luz do sol deve alcançar o jardim no fundo do lote.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

Por todas essas razões optamos por gradualmente diminuir terraços no lado oeste. Os terraços iriam de oeste a leste, e também de sul a norte, o que permite que a luz alcance o fundo do lote. A escolha dos terraços e telhados verdes faz com que seja até mais agradável para futuros moradores na vizinhança. Consistente com a arquitetura parisiana e de acordo com o Plano Urbano Local, o projeto sugere fazer uma base no pavimento térreo do edifício em uma fachada de vidro por todos os 3.20 metros de altura. Os dois últimos níveis ficam afastados de acordo com os modelos, de modo que o sótão se destaque. O pátio criado no canto nordeste do lote como uma extensão dos pátios adjacentes existentes existe para criar apartamentos que cruzam.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

Um grande pátio com um jardim para a creche no térreo. mantendo em mente o fato de que o apartamento se localiza em uma área de cultivo de plantas, os dois formam um grande espaço aberto de proporções agradáveis: 150 metros quadrados. Isto cria uma faixa de vegetação que pode ser aproveitada não só no térreo mas também nos corredores de distribuição e nos terraços a oeste. Estes edifícios são abertos e deixam as perspectivas livres.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

E por fim este jardim é um espaço valioso para os edifícios próximos aos terrenos. Como uma extensão de um pátio adjacente que já existe, umpátio no canto permite a criação de apartamentos atravessados e na escala da cidade, para manter espaços abertos projetados para deixar o bloco residencial respirar. No último pavimento, o terraço do estúdio R 5 é um espaço comunitário, abrigado da rua e multi-orientado. Cada apartamento, exceto os estúdios sobre o pátio, tem uma loggia aberta privada. Os apartamentos do canto oeste tem até um terraço voltado para o sul.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

O edifício muito estreito (8 metros dentro dos apartamentos) permite a criação de edifícios brilhantes na seguinte disposição: Halls, cozinhas e banheiros ao norte. - Estares e dormitórios com loggias voltados ao sul. Aqueles localizados no lado oeste se voltam para sudoeste e norte. Há um apartamento no térreo com um terraço de 35 metros quadrados de face oeste. exceto pelos dois quartos sobre o pátio, todos tem espaço aberto privado. Os telhados são de 2.5 metros de altura e no lado oeste os espaços de estar tem pé direito duplo parcial (+ 1 m). Tipologias seguem o padrão: sete estúdios, oito apartamentos de um quarto, cinco de três quartos, oito de quatro quartos.

Corte
Corte
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato. Cita: "Plein Soleil / rh+ architecture" [Plein Soleil / rh+ architecture] 19 Ago 2013. ArchDaily Brasil. (Trad. Marcon, Naiane) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/135200/plein-soleil-slash-rh-plus-architecture> ISSN 0719-8906