O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Edificios Públicos
  4. Espanha
  5. Daniel Jiménez + Jaime Olivera
  6. 2011
  7. Centro Integral Territorial da Mancomunidade de Olivenza / Daniel Jiménez + Jaime Olivera

Centro Integral Territorial da Mancomunidade de Olivenza / Daniel Jiménez + Jaime Olivera

Centro Integral Territorial da Mancomunidade de Olivenza / Daniel Jiménez + Jaime Olivera
Centro Integral Territorial da Mancomunidade de Olivenza / Daniel Jiménez + Jaime Olivera , © Jesús Granada
© Jesús Granada

© Jesús Granada © Jesús Granada © Jesús Granada © Jesús Granada + 23

  • Colaboradores

    Juan Yruela, Joao Durao, Aurora Fernández, Carlos Olivera, Nacho Jiménez, Fernando García.
  • Engenharia

    Numatec-Juan Ruiz, Luis Fernández-Conejero
  • Instalações Sustentáveis

    Hemera
  • Promotor

    Diputación de Badajoz
  • Empreiteiro

    Procondal, Promociones y Construcciones, S.A.
  • Orçamento

    925.242,20 €
  • Custo

    805 €/m²
  • Mais informações Menos informações
© Jesús Granada
© Jesús Granada

Descrição enviada pela equipe de projeto. A serra de Alor, no sudoeste peninsular, é uma formação vulcânica de pedra escura, formações de xistos em ardósia, granilíticos e a dura rocha metamórfica local conhecida como mármore queimado.

Entre as ladeiras de morrenas instáveis e as planícies do rio Guadiana se concentra Olivenza, uma cidade fechada num cinturão de sua muralha Vauban, solo rebaixado recentemente com crescimentos horizontais, anárquicos, modernos. Entre Atalayas, a serra de Alor, as torres de San Jorge e de San Benedito da Contienda, a torre do Cubo de Castillo de Olivenza, está localizado o projeto. No proceso de elaboração da proposta, o terreno está gradualmente cercado por um magma cada vez maior em habitação de baixa densidade ...

© Jesús Granada
© Jesús Granada

Ação-Reação. Optamos pela concentração. O CIT (Centro Integral Territorial) aposta por referenciais profundos, anacrônicos: a rocha escura da montanha, os volumes das torres defensivasm as pedras reunidas, juntoas, num campo trabalhado, a varanda sempre fresca da casa.

© Jesús Granada
© Jesús Granada

Como um barco encalhado no mar assimétrico de telhas pré-fabricadas de concreto e grelhas mecanizadas de um lado a outro, dada a extrema condição de limite do solar, os horizontes longínquos marcados pela simplificação agrícola da vegetação, o edifício emerge e se constitui em referência local e urbana. Como um atlante que dá um passo vigoroso em frente, o CIT de Olivenza quer estruturar-se como um centro social local, oferecendo sua planta baixa, estacionamento, jardins, salas de aula, de reuniões como espaço essencialmente público cedido ao bairro.

© Jesús Granada
© Jesús Granada

Um projeto que busca o fomento das novas tecnologias na zona, a melhora dos entornos naturais, a promoção econômica e empresarial, a consciência ambiental, ecológica e de igualidade, todas pretenções radicalmente modernas, deve prever do mesmo edifício um caráter marcado de compromisso e sinceridade. Tocamos o solo quase de pontinha, reduzindo ao máximo a impermeabilização num terreno pouco favorável. Como resposta ao entorno mais próximo, propomos um contorno cego, um edifício como uma rocha que se perfura e se abre ao exterior de forma controlada e útil, embora não sem alguma auto-absorção e que indica a concentração e trabalho. Pelo contrário, a planta baixa se faz amável, permeável, convida a entrar no edifício, percorrê-lo, a tocá-lo. Até mesmo o recuo obrigatório em relação aos limites do terreno é ajardinado, levantando uma cortina verde que é como um presente ao bairro de duros alinhamentos. A arquitetura se transforma então num recipiente de sensações onde o princípio segundo o qual o espaço interior deve transcender em direção ao exterior foi substituído pelo princípio da indiferença: interior e exterior são a mesma coisa. Desde modo, a arquitetura se aproxima da sociedade através de sensações, mais que ao através da geometria euclidiana... Mas não são as novas sensações a aplicação duma nova geometria? Uma geometria sensorial, uma endoarquitetura.

© Jesús Granada
© Jesús Granada

O novo centro CIT apresentará o valor da inovação, dos novos aproveitamentos e renovadas fórmulas de gestão e concentração social que conduz à sustentabilidade dos recursos da comarca num edifício feito de sensações agradáveis, propositivas, germinais. Não é um momento nem um edifício institucional. Não há grandes escadarias, nem grandes salões nem zonas de circulação perdidas. Existe sim espaço e matéria. Luz. Existe sim controle energético automatizado e abundância de isolamento. De inércia térmica. Existem instalações bioclimáticas, tornando o edifício quase autosuficiente. Paredes, pisos refrescantes e radiantes termicamente, ventilação contínua, coberturas de teto verde ecológicas, cisternas...

Corte
Corte

Um pedaço de atmosfera vital e efervescente comprometido com o lugar e o meio ambiente. Um edifício pleno de massa crítica que deverá demonstrar ao visitante e ao usuário, no primeiro contato, a estreita relação entre o homem e suas atividades com a natureza e o meio. O espaço nunca é neutro, mas no projeto propõe-se a simplicidade, abandonar o que sobra, ficar no cru, é estratégia, não forma. A condição corpórea e tátil da proposta tem algo de recuperação de situações originárias que, sem dúvida, estiveram presentes nas obras de aqueles que pela primeira vez se enfrentaram à construção: um abrigo, uma sombra, um caminho, um lugar na natureza... uma aposta pelo vazio que é radicalmente contemporânea, e por sua vez, sutilmente anacrônica: ressoa de fundo o verso de Evtuchenko, em que a diferença da chamada de Rimbaud a ser sempre absolutamente modernos, recomendava manter-se algo anacrônicos para poder ser reconhecido por todas as gerações, as anteriores e as futuras... Vazio, pátios, sim, mas com um toque nostálgico, um certo anacronismo... Como Latour, nunca fomos modernos.

Planta 01
Planta 01

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Centro Integral Territorial da Mancomunidade de Olivenza / Daniel Jiménez + Jaime Olivera " [Centro Integral Territorial De La Mancomunidad De Olivenza / Daniel Jiménez + Jaime Olivera ] 29 Abr 2013. ArchDaily Brasil. (Trad. Santiago Pedrotti, Gabriel) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/111099/centro-integral-territorial-de-la-mancomunidad-de-olivenza-slash-daniel-jimenez-plus-jaime-olivera> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.