Centro Cultural La Jota / G///bang

Centro Cultural La Jota / G///bang

© Enric Duch© Enric Duch© Enric Duch© Enric Duch+ 35

  • Arquitetos: G///bang
  • Fotógrafo Fotógrafo:  Enric Duch
© Enric Duch
© Enric Duch

Descrição enviada pela equipe de projeto. A encargo deste projeto era criação de um espaço cultural onde seriam desenvolvidas três tipos de atividades: Um centro de lazer para as crianças até 14 anos, um centro de atividades culturais e um espaço de atuações polivalentes.

© Enric Duch
© Enric Duch

O espaço urbano a ser localizado era um pequeno lote integrado à Praça Miguel Aso que, de acordo com as normas, só permitia construções térreas, com altura não superior à das construções vizinhas.

© Enric Duch
© Enric Duch

Com o objetivo de complementar o programa de necessidades, as circunstâncias precedentes obrigaram a levar em conta a construção de um pavimento subterrâneo para duplicar a área. Necessariamente, teria que ser assim, já que a execução de um pavimento semienterrado implicaria em diminuir o pé direito acima.

© Enric Duch
© Enric Duch

As atividades infantis deveriam ser situadas no térreo, mas as bordas metálicas estruturais para poupar a iluminação e as limitações de altura sobre o nível do solo (< 4 m), além de implicações das normas de proteção contra incêndio, impediam a execução de espaços de Atuações Polivalentes no nível subterrâneo.

© Enric Duch
© Enric Duch

Nesse sentido, parecia apropriado situar os usos infantis e os culturais no subterrâneo. O piso ao nível do solo seria reservado para as necessidades comuns e a localização do Salão polivalente. O encaixe buscou a máxima utilização da área disponível.

Planta
Planta

Visto desta forma e considerando que o programa subterrâneo demandava muita luz, a obsessão era valorizar a arquitetura com a iluminação que não existia ali, mas que deveria ser a protagonista do espaço. Apreende-se o edifício como um objeto captador de luz, integrado como elemento urbano na praça, valorizando o espaço que não deve ser densificado. A altura do resto do construído domina nosso objeto e sua cobertura acaba por ser mais uma fachada no entorno urbano.

© Enric Duch
© Enric Duch

A luz é conseguida mediante três mecanismos: a utilização de duas escadas de vidro situadas nas duas extremidades da fachada, atuando como eixos de comunicação vertical e localização de espaços de serviço. A execução da fachada externa dupla de vidro e a carpintaria interna nas fachadas sudeste e sudoeste, que conformam um L percorrendo a sala de atuações polivalentes em todo o comprimento e largura, com o objetivo de preencher de luz as paredes do subsolo situados na mesma orientação. Além disso, localiza-se um vazio - um pátio na fachada sudeste que percorre toda a seção do edifício, ao redor do qual são incorporados os usos da Planta Subterrânea, ou seja, as Salas para atividades Culturais, os espaços para o Centro de Tempo Livre e as áreas de distribuição - conexões e acessos.

© Enric Duch
© Enric Duch

Neste contexto existente, o objeto situa-se como um volume puro de vidro, nos lugares em que necessita-se de iluminação em toda a seção, e de aço galvanizado nas zonas em que é necessário opacidade.

© Enric Duch
© Enric Duch

Nossa pretensão era instalar uma claraboia no vazio urbano, um captador de arquitetura.

© Enric Duch
© Enric Duch

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Zaragoza, Espanha

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Centro Cultural La Jota / G///bang" [Centro Cultural La Jota / G///bang] 13 Mai 2013. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/01-108803/centro-cultural-la-jota-slash-g-slash-slash-slash-bang> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.