Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos

Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos
Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores, Mesa, Janela, Viga
© Lauro Rocha

Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores, Mesa, Janela, Viga, CadeiraApartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores, Janela, VigaApartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores, Porta, CadeiraApartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores, Banco, Janela+ 46

  • Arquitetos: Elky Santos, RUÍNA
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área :  123
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano :  2022
  • Fotógrafo
    Fotografias :Lauro Rocha
  • Engenharia Civil E Instalações : ACS Empreiteira
  • Marcenaria : WSC Marcenaria
  • Serralheria : Consping Serralheria
  • Recuperação De Piso : Aplicadora Colonial
  • Triturador : Tec Service Máquinas
  • Acabamento De Pisos E Bancadas Em "Entulhite" : RM Tratamento de Pisos
  • Cidade : São Paulo
  • País : Brasil
Mais informaçõesMenos informações
Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores, Banco, Janela
© Lauro Rocha

Descrição enviada pela equipe de projeto. Apartamento Paraíso é um projeto de renovação de um apartamento de 123 m2 localizado no Edifício Olga Ferreira, no bairro do Paraíso, zona sul de São Paulo. Na região ainda é possível encontrar antigos sobrados, casarões e pequenos edifícios sobrevivendo frente ao avanço da especulação imobiliária.

Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores, Janela, Viga
© Lauro Rocha

O edifício de seis pavimentos foi construído em 1970, na esquina das ruas Achilles Masetti e Tomás Carvalhal, voltado para as faces norte e oeste.

Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores, Mesa, Janela, Viga, Cadeira
© Lauro Rocha

O apartamento está localizado no primeiro pavimento do edifício, e apresentava tipologia original de três quartos - uma suíte -, três banheiros - um de serviço -, sala, cozinha e área de serviço. Apesar dos pés-direitos altos e ampla metragem quadrada, a fragmentação e separação do espaço não permitia que a iluminação natural chegasse principalmente aos ambientes voltados para o miolo do edifício, além de bloquear a ventilação cruzada.

Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores, Janela, Mesa, Viga
© Lauro Rocha
Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Imagem 33 de 46
Planta baixa - Layout
Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores, Porta, Cadeira
© Lauro Rocha

A integração da cozinha com a área social e ampliação da sala foram as primeiras premissas de intervenção. Uma viga invertida antes embutida na parede, e que fazia divisa entre um dos quartos e a sala, tornou-se aparente durante a demolição e exigiu pensar uma estratégia que unisse esses dois ambientes separados pelo elemento estrutural de 10cm de altura acima do piso.

O que parecia um problema tornou-se solução: a viga invertida serviu de apoio a uma estrutura leve em marcenaria, que apelidamos de “elemento conector”. Fazendo a vez de banco para sentar e prateleiras, voltado para a sala de jantar/estar, e sofá com estante voltado para a sala de TV, escritório e corredor. O elemento conector setoriza os ambientes sem separá-los visualmente, além de possibilitar diferentes tipos de apropriações e programas para os espaços. As chapas de compensado do embasamento do elemento foram recortadas no tamanho preciso da viga, de modo a se encaixarem abraçando-a, e a partir dela se estruturando.

Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores, Porta, Cadeira
© Lauro Rocha

A demanda por duas suítes exigiu repensar o espaço de serviços, que deixou de contar com um pequeno banheiro mal ventilado e mal iluminado - herança de um Brasil colonial ainda muito presente - para a construção de um banheiro com acesso pela suíte principal e um lavabo voltado para o corredor e de uso comum.

Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores
© Lauro Rocha

Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores, Porta
© Lauro Rocha

Já a parede que dividia a cozinha da área de serviço ganhou fechamento com janelas de correr de madeira e vidro até o pé-direito, possibilitando não só uma permeabilidade visual de ponta a ponta do apartamento no sentido transversal, mas principalmente permitindo que a iluminação e a ventilação natural funcionassem plenamente.

Intencionando reduzir ao máximo o entulho proveniente da demolição - e com isso reduzir inclusive os custos da obra -, foi traçada uma estratégia de reaproveitamento dos materiais já presentes no apartamento: tijolos maciços, pisos cerâmicos, revestimentos cimentícios, tijolo de vidro, blocos irregulares de argamassas e concreto, o piso de taco em peroba rosa. Toda a variedade de materiais disponíveis no próprio local da obra deveriam retornar na sua função original ou incorporados a uma nova utilidade. A nova infraestrutura elétrica se deu por eletrodutos aparentes, de forma a evitar recortes nas alvenarias e maior produção de entulho na obra. Janelas originais de ferro do hall de entrada e área de serviços foram desinstaladas, recuperadas e reinseridas.

Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Imagem 36 de 46
Diagrama reuso

Com auxílio de um triturador de pequeno/médio porte, foi possível produzir em canteiro todo tipo de agregado graúdo (diâmetro superior a 4,8mm) e miúdo (diâmetro inferior a 4,8mm), para reaplicação em contrapisos, argamassas de chapisco, reboco e acabamentos, bancadas e pisos de concreto, além de revestimentos com azulejos. Graças ao não descarte e armazenamento apropriado dos tacos de peroba rosa originais descolados ou danificados, foi possível restaurar completamente o piso de madeira sem que fosse necessária reposição com novos tacos.

Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores
Cortesia de RUÍNA
Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores
Cortesia de RUÍNA
Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores
Cortesia de RUÍNA

Durante o processo desenvolvemos um material próprio para execução de pisos e bancadas economicamente acessíveis - o “entulhite” -, feito com entulho de obra e com estética semelhante ao convencional granilite. A estrutura das bancadas da cozinha e da área de serviço foram erguidas com tijolos maciços originais provenientes da demolição da abertura de paredes. Tijolos de vidro existentes foram instalados na parte superior da parede que faz a divisa entre o lavabo e o banheiro da suíte principal, proporcionando maior iluminação nos dois ambientes. Os azulejos antigos que revestiam os banheiros, danificados devido à ação do tempo e à sua retirada - desinstalar esse tipo de material mais sensível configura um processo de maior complexidade -, serviram como piso e revestimento de parede para as áreas avarandadas em forma de “caquinho” - mesma técnica dos conhecidos pisos de caquinhos da Fábrica de Cerâmica São Caetano, muito comuns nas décadas de 1950 e 1960 em São Paulo.

Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores
© Lauro Rocha
Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores
© Lauro Rocha

A possibilidade de prototipar diversas amostras com os materiais durante a obra foi fundamental para a definição das soluções técnicas e estéticas mais adequadas. Foram algumas idas e vindas do desenho para o canteiro: a experimentação permite a constante correção de vícios consequentes de uma formação de arquitetura ainda muito projetual mas pouco prática, e proporciona aprendizados com os quais é possível buscar a coincidência entre arquitetura e construção. E a aproximação com a demolição evidencia o quanto esse processo tão fundamental e ao mesmo tempo tão negligenciado pelo campo da arquitetura necessita reflexão e proposição, a fim de buscarmos modos de produzir que gerem maior autonomia e autossuficiência.

Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos - Fotografia de Interiores, Janela, Cadeira
© Lauro Rocha

As intervenções do projeto alteraram consideravelmente a dinâmica espacial anterior: as novas materialidades resultantes do reuso dos materiais originais, com novas aplicações e significados, ainda que reverenciando uma memória ali constituída; a luz natural que passou a construir novos espaços e tempos dentro dos ambientes com o passar das horas; e a gentileza da copa das árvores da calçada que adentram pelas janelas, e que agora são vistas com maior nitidez, conferiram aos diferentes espaços do apartamento uma certa nostalgia de um tempo que ainda pode ser vivido, dessas coisas que não se projeta.

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Rua Achilles Masetti - Paraíso, São Paulo - SP, 04006-020, Brasil

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Escritório
Cita: "Apartamento Paraíso / RUÍNA + Elky Santos" 09 Abr 2022. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/979947/apartamento-paraiso-ruina-plus-elky-santos> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.