Loja Conceito da Dengo Chocolates / Matheus Farah + Manoel Maia Arquitetura

Loja Conceito da Dengo Chocolates / Matheus Farah + Manoel Maia Arquitetura

© Fran Parente© Fran Parente© Fran Parente© Fran Parente+ 25

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  1500
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2020
  • Fotógrafo Fotografias:  Fran Parente
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Amata, Rewood
  • Equipe De Projeto:Polímnia Garro, Andreia Oshiro, Fernanda Miguel, Rafhael Silva, Pedro Benatti, Matheus Aleixo, Alex Pataro, Henrique Costa e Isabella Rosa
  • Arquitetos Responsáveis:Matheus Farah e Manoel Maia
  • Clientes:Dengo Chocolates
  • Paisagismo:Soma Arquitetos
  • Construtoras:Pedra Forte e Máximo Arquitetura e Engenharia
  • Instalações:Greenwatt
  • Climatização:AR-engenharia
  • Fundações:Apoio
  • Mobiliário:Butzke, Carlos Motta, Dpot, Tidelli
  • Luminotécnico:Mingrone Iluminação
  • Impermeabilização:Omnitrade
  • Comunicação Visual:Dea Design
  • Cidade:Pinheiros
  • País:Brasil
Mais informaçõesMenos informações
© Fran Parente
© Fran Parente

Descrição enviada pela equipe de projeto. O escritório Matheus Farah e Manoel Maia é autor do primeiro e mais alto edifício em madeira construído no Brasil, localizado na Avenida Faria Lima, em São Paulo. Projetado para abrigar a loja conceito da marca de chocolates Dengo, o prédio tem quatro pavimentos e foi inteiramente estruturado em madeira, feito inédito para a arquitetura e mercado construtivo brasileiros.

© Fran Parente
© Fran Parente

A edificação utilizou lajes em madeira CLT (Cross Laminated Timber / Madeira Lamelada Colada Cruzada) produzidas pela Amata e pilares e vigas em madeira MLC (Madeira Lamelada Colada / Glulam) produzidas pela Rewood. Ambas as empresas são referências na indústria de madeira engenheirada. “O projeto é uma aposta na tecnologia para rever os parâmetros construtivos e mostrar que é possível inovar e edificar reduzindo os danos ambientais e promovendo o desenvolvimento sustentável das nossas cidades, sem abrir mão da estética e do conforto”, diz Maia.

© Fran Parente
© Fran Parente
Diagrama
Diagrama
Corte
Corte
© Fran Parente
© Fran Parente

O jardim frontal ocupa parte do recuo de cinco metros e conecta-se com a rua através de uma passagem em nível. A volumetria é composta por cubos vazados que verticalizam o edifício e transmitem a ideia de permeabilidade a partir de subtrações estratégicas em pontos distintos da fachada. A madeira aparente, junto com a vegetação, contribuem para uma sensação de conforto e resgatam os valores da Dengo de produzir em harmonia com o meio ambiente. Transparências e aberturas, assim como o uso de tons terrosos, ampla iluminação, terraços e mobiliário em madeira acentuam essas características. 

© Fran Parente
© Fran Parente

A arquitetura buscou recriar uma fábrica de chocolate de maneira atraente e didática para o público, destacando o diferencial da Dengo: o envolvimento em todas as etapas produtivas, processo conhecido como “bean to bar” (do grão à barra). Isso inclui desde a produção das amêndoas de cacau em fazendas sustentáveis do sul da Bahia, até a finalização da barra de chocolate. Para ressaltar esse cuidado, o projeto previu no térreo a instalação do maquinário original dos anos 40, restaurado para exibir in loco o refino do chocolate. O moinho é abastecido por grãos que chegam através de dutos transparentes e percorrem um átrio central, criando um encantamento e enriquecendo o imaginário do público. 

© Fran Parente
© Fran Parente

No primeiro andar, na Estação Meu Dengo, clientes podem assistir à produção de itens personalizados. O primeiro e o segundo andares oferecem mesas e bancadas para acomodar os visitantes e possuem transparências e aberturas laterais que os conectam tanto com os demais pavimentos, quanto com o ambiente externo. 

© Fran Parente
© Fran Parente

O piso resgata os caquinhos cerâmicos típicos das residências paulistanas dos anos 40 e 50, garimpados em “cemitérios de azulejos”. Além de prestar uma homenagem à cidade e despertar a memória afetiva, ele remete ao “quebra-quebra” produto fortemente identificado com a Dengo, cujas lojas exibem amplas placas de chocolate em nichos de vidro para serem quebradas na hora na quantidade desejada pelo cliente. “Buscamos criar um espaço onde o rústico, o irreverente, o autêntico e o artesanal estivessem em destaque, a partir de uma releitura contemporânea do uso de elementos naturais e do próprio conceito de brasilidade”, afirma Farah.

© Fran Parente
© Fran Parente

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Av. Brg. Faria Lima, 196 - Pinheiros, São Paulo - SP, 05426-200, Brasil

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Loja Conceito da Dengo Chocolates / Matheus Farah + Manoel Maia Arquitetura" 15 Abr 2021. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/960042/loja-conceito-da-dengo-chocolates-matheus-farah-plus-manoel-maia-arquitetura> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.