Instalação Walk the curve / Ayelen Peressini + Inês Teles

Instalação Walk the curve / Ayelen Peressini + Inês Teles

© Alexandre Ramos© Alexandre Ramos© Alexandre Ramos© Alexandre Ramos+ 10

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  11
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2019
  • Fotógrafo Fotografias:  Alexandre Ramos
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: AutoDesk, Induzir, Nuno Cardoso Serralharia, Oficinas do Convento - Centro de Investigação Cerâmica + Telheiro da Encosta do Castelo, Oficinas do Convento - Laboratórios da Terra, Robert McNeel & Associates, Sobreira e Serras, Vitruvius FabLab ISCTE-IUL
Mais informaçõesMenos informações
© Alexandre Ramos
© Alexandre Ramos

Descrição enviada pela equipe de projeto. Ayelen Peressini e Inês Teles apresentam Walk the curve, um projeto site-specific de arte pública criado em colaboração com a Câmara Municipal de Évora. Walk the curve é uma instalação de grande escala concebida para o geossítio do Alto de São Bento. Desta colaboração surgiu o desejo de criar uma peça para o espaço público que investiga os diferentes materiais e processos de construção arquitetónica da região do Alentejo.

© Alexandre Ramos
© Alexandre Ramos

Ayelen Peressini desenvolve uma prática transdisciplinar entre as fronteiras da arte, o design e a arquitectura. No seu trabalho, explora materiais, formas e espaços, numa tentativa de criar novas estruturas que nos permitam pensar e redesenhar os ambientes. Com um grande foco em materialidade, Ayelen cria peças únicas, instalações e desenhos espaciais para contextos públicos e privados. Inês Teles revela desde cedo um forte interesse em processo, materialidade e transformação. No seu trabalho encontramos imagens consumidas por tempo, muitas vezes marcadas simultaneamente pela ideia de densidade e ausência, procurando chegar à redução através do ato de acumulação. Embora a sua formação e prática artística estejam enraizadas na pintura, o seu trabalho expandiu-se para outros campos. A pintura como lugar de diálogo com a superfície, como relação entre forma e fundo, visibilidade e invisibilidade, passou a incluir também questões relacionadas com a leitura de objectos no espaço.

© Alexandre Ramos
© Alexandre Ramos

Também conhecido como o miradouro da cidade, o Alto de São Bento é conhecido como um lugar de contemplação. O mirante estabelece uma distância em relação ao centro da cidade ou, por hora da noite, uma distância dada pela observação das estrelas. No ato da observação e em consonância com o lado introspetivo do lugar, advinha-se uma medição entre o sujeito e a realidade, entre o sujeito e o universo. Esta colaboração partiu de uma investigação do lugar, seus aspectos históricos, geofísicos e ambientais e visa criar uma articulação entre a arquitetura e a paisagem rural, utilizando uma variedade de materiais, incluindo metal, madeira, taipa e cerâmica. Numa tentativa de revelar diferentes patamares de construção, solos e matérias, esta intervenção possui vários tempos de leitura, várias camadas que se apreendem numa atitude de interrogação instigada pelo ato de caminhar, já que como Richard Serra defende “walking is measuring”.

© Alexandre Ramos
© Alexandre Ramos

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:38°34'51.2"N 7°56'15., EN1, 7000 Évora, Portugal

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Instalação Walk the curve / Ayelen Peressini + Inês Teles" 12 Jul 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/943274/instalacao-walk-the-curve-ayelen-peressini-plus-ines-teles> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.