26 Apartamentos Passivos / Benjamin Fleury

26 Apartamentos Passivos / Benjamin Fleury

© David Boureau© David Boureau© David Boureau© David Boureau+ 22

  • Arquitetos: Benjamin Fleury
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  1640
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2019
  • Fotógrafo Fotografias:  David Boureau
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Arcelor Mittal, AutoDesk, Billiet, Kronimus, LALLEMANT, Parex-Group, Ratheau, VELUX Commercial
  • Clientes:COOPIMO
  • Engenharia :EVP, SYNAPSE, Mdetc
  • Arquiteto Responsável:Benjamin Fleury
  • Equipe:S. Lee - A. Gaillard - C. Bureau
  • Cidade:Montreuil
  • País:França
Mais informaçõesMenos informações
© David Boureau
© David Boureau

Descrição enviada pela equipe de projeto. Este projeto está localizado na Rue des Chantereines, na cidade de Montreuil, um ambiente suburbano no qual a tipologia comum são os blocos habitacionais típicos dos anos 60, cuja altura varia de cinco a dez pavimentos. Apesar disso, o edifício é circundado por casas com quintais e jardins.

© David Boureau
© David Boureau

O cliente era o COOPIMMO, uma cooperativa de moradias populares, que se tornou uma das primeiras produtoras de habitação de interesse social empregando um sistema de aluguel e compra. O projeto é definido pelas seguintes características:

- Integração em um ambiente urbano complexo;
- Quadro econômico com propriedade para habitações de interesse social;
- Baixo consumo de energia (etiqueta MINERGIE-P);

© David Boureau
© David Boureau

1 - Multi-escala

A primeira intenção deste projeto é desenvolver uma inserção criando um diálogo entre os volumes encorpados de meados dos anos 60 e a pequena escala das casas ao redor, trazendo ao mesmo tempo uma morfologia contemporânea. Para atingir este objetivo, o projeto é dividido em dois blocos. O primeiro implantado na frente da parcela ao longo da rua, enquanto o segundo está localizado no coração da trama. O vazio criado entre os dois edifícios torna-se o centro da composição, onde as interações sociais podem facilmente ocorrer.

Plantas
Plantas

2 - Propriedade de habitação de interesse social em torno de um pátio verde

Estas acomodações foram oferecidas primeiramente a famílias locais que não podiam facilmente se dar ao luxo de ser proprietários. O princípio da propriedade social é simples: além da regulação de preços baixos, as famílias podem contratar um empréstimo sem capital preexistente, e depois se tornarem proprietários após um primeiro período de aluguel. Devido à fragilidade econômica dos compradores, que já têm que dar conta dos empréstimos, pareceu essencial reduzir eficazmente os custos de manutenção do edifício.

© David Boureau
© David Boureau

Até este ponto, o projeto foi estabelecido com uma circulação vertical única. Este, localizado no primeiro edifício ao longo da rua, leva a aterragens generosamente iluminadas. O segundo bloco de projeto está ligado a essa circulação por uma passarela, que é conectada aos apartamentos por uma passagem externa. Todas essas características (passarela, passagem, sacadas ...) reúnem o fluxo e a animação dos edifícios em um espaço central único, que estimula as interações entre as pessoas e a criação de laços.

© David Boureau
© David Boureau

3 - Baixa energia para baixos custos de construção e manutenção

As preocupações ambientais, além da necessidade de reduzir os custos de manutenção, levaram o projeto a soluções passivas. Em primeiro lugar, a única circulação vertical, que é complementada pelas passarelas e passagens entre os blocos, permite que 85% dos apartamentos tenham aberturas que viabilizam a ventilação cruzada. Todos os quartos estão virados para o leste ou oeste e são em grande parte banhados com luz solar direta, a fim de aproveitar o ganho de calor.

© David Boureau
© David Boureau

Por outro lado, as perdas de calor são limitadas graças às janelas de madeira com vidros triplos. Para acompanhar essa lógica, as pontes térmicas foram eliminadas com um projeto cuidadoso de fachadas. Eles são compostos por duas camadas de isolamento térmico: 10 centímetros no interior e 20 centímetros no exterior. Finalmente, os painéis solares colocados no telhado aquecem 40% da água quente utilizada pelos apartamentos.

© David Boureau
© David Boureau

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Montreuil, França

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "26 Apartamentos Passivos / Benjamin Fleury" [26 Passive Apartments / Benjamin Fleury] 30 Jul 2019. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/921386/26-apartamentos-passivos-benjamin-fleury> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.