Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Vilanova Artigas

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE ESCRITÓRIO

Clássicos da Arquitetura: Casa Niclewicz / Vilanova Artigas

Cortesia de Marcos Bertoldi Cortesia de Marcos Bertoldi Cortesia de Marcos Bertoldi Cortesia de Marcos Bertoldi + 31

A casa Niclewicz é um verdadeiro tesouro arquitetônico escondido em Curitiba. É reconfortante poder encontrar obra tão serena e receptiva numa época em que quase tudo é aparência sem substância, e predomina uma ideia equivocada de criatividade, resultando em objetos extravagantes, visualmente impactantes, mas culturalmente irrelevantes.

Clássicos da Arquitetura: Rodoviária de Londrina / Vilanova Artigas

via Ana Maria Barbosa Lemos, 2007 © Francisco de Almeida Lopes via Ana Maria Barbosa Lemos, 2007 via Ana Maria Barbosa Lemos, 2007 + 25

Por Maria Augusta Pisani e Paulo Roberto Corrêa

A proposta da estrutura materializa-se por meio de um conjunto de cascas de concreto com doze centímetros de espessura. Tal dimensionamento, além de propiciar uma leveza estrutural e visual para o conjunto, explorando os recursos tecnológicos do concreto armado de forma inovadora, objetivava também consumir uma quantidade mínima de material.

Rodoviária de Jaú, a doze mãos

Durante o II Workshop ArchDaily Brasil, realizamos um texto a doze mãos sobre a Rodoviária de Jaú, Clássico da Arquitetura de Vilanova Artigas. Um texto criado em voz alta a partir da observação de doze arquitetos a um único detalhe: o encontro das vigas com o pilar. Em seguida, os participantes aprofundaram a observação através de novos textos complementares e novos desenhos.

Os resultados desse experimento você lê a seguir.

Clássicos da Arquitetura: Ginásio de Guarulhos / Vilanova Artigas e Carlos Cascaldi

© Julio Beraldo Valente. Via Arquitetura Brutalista (CC BY-NC 3.0) Via Arquitetura Brutalista (CC BY-NC 3.0) © Julio Beraldo Valente. Via Arquitetura Brutalista (CC BY-NC 3.0) © Julio Beraldo Valente. Via Arquitetura Brutalista (CC BY-NC 3.0) + 16

Por Jamile Weizenmann

O edifício é formado por um volume único retangular organizado por uma malha regular cujo módulo é um quadrado de nove metros de lado. Na sua totalidade possui treze módulos no sentido longitudinal e quatro módulos no sentido transversal.

Clássicos da Arquitetura: Segunda residência do arquiteto / Vilanova Artigas

Cortesia de Rosa Artigas
Cortesia de Rosa Artigas

© Nelson Kon © Nelson Kon © Pedro Kok © Pedro Kok + 27

O acesso ao edifício é delimitado pelos muros da garagem a quarenta e cinco graus em relação à fachada principal. Sobre eles uma abóboda rebaixada, aberta em ambas as frentes. Esta é a entrada da casa: o retângulo do portão da garagem e sobre ele o arco da abóbada. Entra-se por um portãozinho de ferro entre muretas de alvenaria pintadas de branco que leva a um caminho descoberto rente à garagem. Logo chega-se a um átrio coberto por uma laje plana.

Clássicos da Arquitetura: Santa Paula Iate Clube / Vilanova Artigas

A Garagem de Barcos é definida por uma cobertura retangular em laje tripartida, com oito apoios dispostos simetricamente nas duas laterais extensas, amparados diretamente nos blocos de fundação sobre muros de arrimo revestidos de pedra. Um pavimento em superior dá continuidade à cota da avenida e um pavimento inferior ocupando 2/3 da área de projeção da cobertura situa-se na cota de nível do lago conformando um embasamento semi-enterrado envolto pelas paredes-arrimo.

© Julio Beraldo Valente. Cortesia de Brutalist Connections © USP © Julio Beraldo Valente. Cortesia de Brutalist Connections © Julio Beraldo Valente. Cortesia de Brutalist Connections + 14

Fotografias antigas da construção da Rodoviária de Jaú de Vilanova Artigas

© FAU, via Arquigrafia © FAU, via Arquigrafia © FAU, via Arquigrafia © FAU, via Arquigrafia + 31

Uma seleção de 31 fotografias antigas da construção da Rodoviária de Jaú em 1973, de Vilanova Artigas.

Clássicos da Arquitetura: Rodoviária de Jaú / Vilanova Artigas

Os pilares são quadrados. Medem oitenta e cinco centímetros de lado. Estão dispostos sob uma retícula de dez por dezessete metros: dezoito pilares em três linhas de seis. Sobre eles, uma laje retangular em caixão perdido de cinquenta por cinquenta e oito metros, e um metro e meio de altura, configura a cobertura do edifício.