Nikita Luke, Rohit Tak, Ariadne Samios e Claudia Adriazola-Steil

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE AUTOR

Como desenhar espaços urbanos mais seguros e saudáveis para crianças

Frequentemente as crianças não recebem prioridade ou até são desconsideradas no planejamento urbano. Estima-se que morram até 500 crianças por dia no mundo em acidentes de trânsito. Outras milhares acabam feridas em decorrência das colisões ou desenvolvem traumas psicológicos que podem acompanhá-las por anos. Seja nas ruas ou em espaços públicos, o sentimento de insegurança ou desconforto desencoraja as crianças da atividade física ao ar livre – e isso em um momento em que 80% das crianças entre 11 e 17 anos não são fisicamente ativas e outras 38 milhões com até 5 cinco anos estão acima do peso ou obesas.

As crianças participaram ativamente dos dias sem carro em Addis Ababa, conhecidos como “Menged Le Sewe” (Ruas para Pessoas). Foto: Nafkot GebeyehuUma criança em Dar es Salaam caminha até a escola em uma área escolar redesenhada pela Amend, organização vencedora da edição 2018-2019 do Prêmio WRI Ross para Cidades. Foto: Kyle LaFerriere/WRINeste momento em que as cidades estão preocupadas com a recuperação da crise e reavaliam as práticas do passado, devem levar em consideração as necessidades das crianças em termos de segurança, saúde e acessibilidade. Foto: Angela N. / FlickrUma zona de baixa velocidade recém-implementada no Distrito de Tunjuelito, em Bogotá, ajudou a reduzir os acidentes de trânsito e a melhorar a experiência nos deslocamentos. Foto: Segundo Lopez/WRI+ 9