Estudo encomendado pelo Ministério das Cidades avalia o programa “Minha Casa, Minha Vida”

O Programa “Minha Casa, Minha Vida”, por atender primordialmente aos interesses do setor privado, tem reproduzido um padrão de cidade segregada e sem urbanidade, já que seus empreendimentos são mal servidos por transporte, infraestrutura e ofertas de serviços urbanos. Essa é a síntese de avaliação do maior programa habitacional do Brasil feita pela Rede Cidade e Moradia a pedido do Ministério das Cidades. 

O programa, segundo o governo, já engloba 7,3 milhões de brasileiros, desde sua criação, em 2009, com a entrega de 1,8 milhões de moradias e um investimento de R$ 230 bilhões. 

A Rede é um consórcio de onze instituições,  coordenadas pelo  Observatório das Metrópoles, contratado em 2013 pelo Ministério das Cidades e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), com o objetivo de fomentar a produção acadêmica, o desenvolvimento de metodologias de avaliação e oferecer insumos para o aprimoramento da política habitacional do país. 

Micro Cluster Cabins / Reiulf Ramstad Arkitekter

  • Arquitetos: Reiulf Ramstad Arkitekter
  • Localização: Herfell, 3280 Tjodalyng, Noruega
  • Área: 70.0 m²
  • Ano Do Projeto: 2014
  • Fotografias: Lars Petter Pettersen, Cortesia de Reiulf Ramstad Arkitekter

© Lars Petter Pettersen © Lars Petter Pettersen © Lars Petter Pettersen © Lars Petter Pettersen

Os 9 edifícios mais controversos de todos os tempos

Faz pouco mais de um ano que foi revelado o Estádio Al-Wakrah de Zaha Hadid em Doha, Qatar, e nos doze meses seguintes, parece que esta edificação nunca saiu dos noticiários. Mais recentemente, observações feitas por Hadid sobre as mortes de trabalhadores da construção civil em condições de trabalho questionáveis no Qatar geraram uma tempestade de mídia de proporções jurídicas. O estádio de Hadid tem sido amplamente ridicularizado devido a sua aparência "biológica", para não mencionar o fato de que a Copa do Mundo de 2022 no Qatar, para qual o estádio foi construído, também encontrou uma tempestade de controvérsias próprias.

As críticas em torno do Al Wakrah nos levaram a procurar os edifícios mais debatidos no mundo. Poderia o Al Wakrah ser o edifício mais controverso de todos os tempos? Confira uma lista do ArchDaily de nove candidatos, a seguir.

Descubra quais edificações estão no topo desta controversa lista na continuação.

Conservatório em Melun / DE-SO

© Hervé Abbadie
© Hervé Abbadie
  • Arquitetos: DE-SO
  • Localização: Melun, França
  • Área: 3170.0 m2
  • Ano Do Projeto: 2014
  • Fotografias: Hervé Abbadie

© Hervé Abbadie © Hervé Abbadie © Hervé Abbadie © Hervé Abbadie

UIA lança concurso internacional de projetos voltado para o tratamento contra Ebola

O grupo de saúde pública da União Internacional dos Arquitetos (UIA-PHG) lançou recentemente um concurso internacional de ideias para o desenvolvimento do projeto de uma unidade móvel de isolamento, diagnóstico e tratamento de Ebola e de outras epidemias transmissíveis.

O objetivo do concurso é procurar abordagens inovadoras que possam ajudar a conter o surto de epidemias de doenças transmissíveis, aumentar a conscientização das pessoas sobre os impactos globais das ameaças concretas e potenciais à saúde pública, e encorajar mais estudantes a se envolverem com o projeto de equipamentos de saúde.

Tribunal de Justiça das Comunidades Europeias / Dominique Perrault

  • Arquitetos: Dominique Perrault Architecture
  • Localização: Cour de Justice, Luxemburgo
  • Arquitetos Associados:  Bureau CJ4 (Dominique Perrault Architecte, Paczowski & Fritsch, M3 architectes)
  • Área: 150000 m²
  • Ano Do Projeto: 2008
  • Fotografias: Georges Fessy

© Georges Fessy © Georges Fessy © Georges Fessy © Georges Fessy

Arquivo de Arquitetura / Hugh Strange Architects

© David Grandorge © David Grandorge © David Grandorge © David Grandorge

Acessibilidade Universal: Berlim para todos

Por Peter Loch, que escreve de sua cadeira de rodas buscando dar visibilidade às pessoas com deficiência.

Essa típica fase que se diz a alguém que quer algo que não tem e é difícil de obter é uma expressão que pode refletir em que pé se encontra tema da acessibilidade atualmente. Em 2013 a cidade de Berlim foi eleita a cidade mais acessível do mundo, mas conseguir isso não foi fácil. Houve com um grande planejamento e não foi feito de um dia para o outro – algo que no Brasil se destaca pelas políticas de curto prazo.

Apesar de ter vencido no ano passado, Berlim não se deu por satisfeita e se impôs uma nova meta: converter-se até 2020 em uma cidade para todos. Pois é disso que se trata a inclusão. Não queremos cidades repletas de rampas, pois isso seria um remendo. É preciso pensar em uma cidade que seja construída para todos.

Apartamento MW / Albert Arquitetura + Flávia Chiari

© Haruo Mikami © Haruo Mikami © Haruo Mikami © Haruo Mikami

BIG divulga projeto para a praça da estação de energia Battersea

O escritório BIG divulgou o projeto de seu anexo para a estação de energia Battersea, uma praça pública que conectará o edifício da estação com o empreendimento Electric Boulevard de Norman Foster e Frank Gehry. Chamado de Malaysia Square devido ao consórcio malaio responsável pelos planos, o projeto é constituído por platôs que ligam a praça principal no nível mais baixo com a entrada da estação. 

Fábrica de Azeite Dicoal S.A. / Francisco Walter y Diego Pitters

© Pablo Blanco © Pablo Blanco © Pablo Blanco © Pablo Blanco

CAU/BR assina acordos de cooperação com três conselhos europeus

No mês em que se comemora o Dia Nacional do Arquiteto e Urbanista o CAU/BR assinou três importantes acordos com conselhos da Europa: o Architect’s Council of Europe (ACE), da União Europeia; o Consejo Superior de los Colegios de Arquitectos de España (CSCAE); e o Royal Institute of British Architects (RIBA), da Grã Bretanha – conselho de arquitetos mais antigo do mundo, com origem em 1834.

O objetivo comum é auxiliar na consolidação das ações e dos esforços para tratar de questões de interesse mútuo relacionadas à arquitetura, ao ensino da arquitetura, à pesquisa, aos padrões profissionais e regulatórios, à mobilidade profissional, às questões ambientais, à prática e ao desenvolvimento profissional e à influência política.

Cinema e Arquitetura: “Gran Horizonte: Around the Day in 80 Worlds”

“Num mundo onde sete bilhões de não-arquitetos constroem as cidades [...] a linguagem do arquiteto, para se referir ao projeto e construção da cidade está obsoleta.”

Através da compilação do material recolhido por Urban-Think Tank durante o período de três anos, este documentário dirigido por Martin Schwartz & Daniel Andersson, retrata a realidade da informalidade urbana em todo o mundo, estruturado numa viagem irreal pelo mundo em apenas um dia.

Fazendo perguntas ao invés de apresentar respostas, "Gran Horizonte" tem como objetivo ampliar a perspectiva dos espectadores sobre o mundo em que vivem e o mundo que poderiam ajudar a criar. O filme é baseado na filosofia de que o futuro do desenvolvimento urbano radica na colaboração entre os arquitetos, governos, empresas privadas e a população mundial dos bairros marginais.

Mais detalhes e o trailer do documentário, a seguir.

Infográfico: Os arranha-céus mais caros do mundo

Ele pode ou não ser o edifício mais alto da América do Norte, mas uma coisa é certa: quando se trata de custos, nenhum outro arranha-céu chega perto do One World Trade Center de Nova Iorque. Esse é um dado da Emporis, cuja lista dos dez edifícios mais caros colocou o 1WTC em primeiro lugar, atingindo a cifra de US$3.9 bilhões. Com custo original previsto para metade disso, essa diferença no orçamento se tornou uma tendência entre os dez edifícios mais caros, com muitos deles tendo o custo final muito superior ao previsto no projeto. O segundo colocado, The Shard, por exemplo, orçado em £350 milhões, alcançou quase quatro vezes a cifra (embora isso seja esperado em Londres).

1: One World Trade Center. Imagem © Khalid Mahmood 2 (empatado): The Palazzo. Imagem © Ed Lewis 2 (empatado): The Shard. Imagem © Eric Smerling 4: Taipei 101. Imagem © Michiel van Dijk

Markthal Rotterdam / MVRDV

© Daria Scagliola+Stijn Brakkee
© Daria Scagliola+Stijn Brakkee

© Daria Scagliola+Stijn Brakkee © Ossip van Duivenbode © Daria Scagliola+Stijn Brakkee © Nico Saieh