Ampliar imagem | Tamanho original
O consultório é um pequeno edifício integrado no tecido da cidade. O projeto define um percurso de acesso que outorgue serenidade e calma para o paciente. Mais que um objeto para admirar desde o exterior, deve ser um lugar desde o qual olha e sentir, mediante as relações visuais com as montanhas, com a paisagem, conecte o doente com o bem-estar. Assim como as construções vizinhas, este edifício é térreo. Seus materiais e soluções construtivas seguem os recursos habituais da construção popular da região. Define-se como edifício público pela composição simétrica e contida, e pelo uso da cor branca na pele exterior e sua telhado, apesar das soluções construtivas simples. O acesso ocorre através  de uma pequeno pátio com duas portas e o pé-direito baixo, seguindo para um vestíbulo e sala de espera, onde o espaço se dilata recuperando toda a altura até o teto. Aqui é produzido um reencontro com a paisagem, mediante um grande caixilho no fundo, com vistas para a tranquilidade das montanhas, necessária durante os momentos de espera e eventual angústia. A iluminação natural neutra do norte acentua a sensação de serenidade. Numa lateral da sala de espera encontramos o acesso às comunicações verticais que conduzem aos espaços de servição do subsolo. Na outra lateral, duas amplas portas nos dão acesso às salas de consulta médica. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar