Ampliar imagem | Tamanho original
Por que chamamos um complexo como este de cidade judicial e não edifício judicial?Entendemos que as dinâmicas absorvidas pelo conceito de cidade são mais amplas. Os elementos estão em diálogo constante, em uma comunicação espacial que permite a liberdade e transparência entre eles. A reflexão sobre a cidade permite pensar em crescimento, permite pensar no futuro. Propõe-se um agrupamento dinâmico, ordenado e limitada, geradora de múltiplos espaços abertos como praças que absorverão a topografia da paisagem buscando melhores orientações e vistas para obter edifícios saudáveis e sustentáveis. Estas praças incluem e potencializam o vazio que permite movimento aos volumes, e é aqui onde aparece a dinâmica do conjunto que denominamos cidade judicial. O local em questão se encontra em uma zona marginal da cidade, onde se observa uma profunda carência de vínculos com os núcleos de desenvolvimento existentes da cidade. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar