Ampliar imagem | Tamanho original
Em uma esquina privilegiada de São Paulo de grande movimento, foi um ponto importante de nosso desejo de romper a fronteira entre interno e externo. A fachada era marcada por uma estrutura metálica que, em nossa proposta, seria reaproveitada e integrada ao projeto. Uma fachada toda em veneziana, que permite a possibilidade de ventilação permanente e entrada de luz natural na cozinha no andar superior e no salão, janelas camarão também em veneziana, criam pequenas marquises quando abertas e permitem uma visibilidade completa de todo entorno. Janelas guilhotinas em metal com vidros, protegem do vento e chuva. Mantendo este pensamento de não ter um limite entre dentro e fora, na fachada lateral integrada com a estrutura metálica existente, foi feito um grande balcão com a altura da mesa do lado interno e banquetas na calçada, tornando assim uma grande mesa coletiva e valorizando ainda mais esta vivencia da cidade. O piso de mosaico português foi colocado em toda calçada e entra na varanda ampliada, uma forma de integrar todo entorno ao conjunto arquitetônico. As cores adotadas foram variações de verde e caramelo. Cores da natureza que trazem tranquilidade, aconchego e bem-estar ao conjunto. O jardim vertical em todo pé direito duplo da varanda fortalece esta intenção. No salão interno a parede de chapisco grosso e toda tubulação aparente, tanto de elétrica como hidráulica, receberam uma pintura verde claro uniformizando assim, pela cor, a variedades de texturas e imperfeiçoes aceitas por nossa proposta. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar