Ampliar imagem | Tamanho original
Durante os últimos anos, temos explorado diferentes maneiras de aproveitar os pequenos espaços na arquitetura residencial. De móveis eficientes e cozinhas com sistemas transformáveis a ideias para adaptar eletrodomésticos, os arquitetos têm buscado soluções eficazes para melhorar a qualidade de vida das pessoas em escassos metros quadrados, ou para flexibilizar as opções de espaço flexível em tipologias multifuncionais e de uso misto. A cama, como elemento indispensável, pode ser utilizada à favor desses conceitos. Suas funções podem ser cumpridas sem perder espaço valioso e a experiência do dormitório pode ser enriquecida com uma reflexão cuidadosa. Como reinventar e aproveitar as oportunidades da cama tradicional? Anexar armazenamento às camas existentes ou escolher opções predefinidas No mercado podemos encontrar camas com armazenamento integrado, no entanto, se as camas já existem ou serão adquiridas pelo utilizador –e tiverem espaço livre por baixo– é possível desenhar e fixar móveis sob medida. O mais importante neste processo é medir com precisão; não apenas o espaço total que dispomos (área e altura), mas também a dimensão dos objetos que planejamos armazenar. Uma cômoda eficaz pode ter entre 50 e 60 cm de profundidade e uma altura próxima a 20 cm. Nas camas mais altas, é possível colocar 2 ou mais gavetas empilhadas ou brincar com diferentes tamanhos, materiais e cores, principalmente se forem visíveis. No caso de gavetas móveis, podem ser utilizados rodízios ou sistemas de correr. Soluções mais leves e fáceis também podem ser criadas; por exemplo, uma prateleira de metal com rodas para guardar livros, revistas ou sapatos. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar