Ampliar imagem | Tamanho original
A tendência das casas pequenas tem sido difícil de ignorar nos últimos anos. O mercado está cada vez mais saturado de programas de televisão e imagens do Pinterest dedicados ao tópico das micro-habitações, onde a casa é reduzida ao tamanho de um closet e cada cômodo assume uma função tripla. O que parece atraente na TV costuma ser muito menos desejável na vida real, e a medida que as pessoas desejam cada vez mais um estilo que as liberte dos bens materiais e da capacidade de viajar, o que isso significa para a realidade da construção de pequenas casas? É apenas uma fantasia que ninguém realmente vive e que foi prometida no mundo convencional? O interesse nas pequenas casas aumentou após a econômica mundial mostrar que os aluguéis e hipotecas estão disparando e consomem uma grande proporção da renda e que a disponibilidade de casas de qualidade está diminuindo cada vez mais. Paralelamente, o sonho outrora comum da casa própria não é apenas difícil de realizar, mas também menos desejável, pois as gerações mais jovens querem flexibilidade em vez de um compromisso de 30 anos com uma hipoteca. Embora a ideia seja que casas pequenas possam oferecer mais liberdade, flexibilidade e dar ênfase em experiências pessoais, esse estilo de vida atrai apenas um determinado nicho da população. Dados mostram que, na verdade, ele não capitaliza e não está sendo aceito na vida nômade e minimalista em massa. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar